Como um bom Pinot Noir!

Thibaut Pinot, da Groupama-FDJ, venceu a quinta e última etapa do Tour of the Alps! Tal como no dia de ontem, o gaulês conseguiu integrar a fuga do dia, mas desta feita com sucesso, superiorizando-se ao seu colega de escapada, David de la Cruz, da Astana, segundo classificado da tirada. Em termos de geral, Romain Bardet deixou Pello Bilbao para trás na última subida, garantindo o triunfo no último suspiro!

O único português em prova, Daniel Viegas, da EOLO-Kometa, terminou fora do limite de tempo.

A jornada final da Volta aos Alpes trazia um desafio de 114.5 km, com partida e chegada na localidade austríaca de Lienz e um périplo pelas montanhas da região. Frio e chuva eram os ingredientes deste prato final da prova alpina, prometendo um dia épico de ciclismo!

Perfil da etapa 5 da Volta aos Alpes

No início da corrida, os ataques surgiram em catadupa. A quilometragem era reduzida, pelo que havia muitos interessados em garantir o seu lugar na fuga desde cedo. Antagonicamente, não só a fuga não se formou de imediato, como a corrida se tornou algo caótica, com cortes no pelotão ainda antes da subida de 1ª categoria para Bannberg.

Em função desses cortes, acabaria por se formar mesmo a fuga do dia, com um grupo de 15 unidades a isolar-se na frente, incluindo nomes de destaque como o segundo classificado do dia de ontem, Thibaut Pinot, e também o vencedor da etapa 3, Lennard Kämna, entre outros.

Depois, a cerca de 70 km do final, o grupo da frente quebrou, ficando na frente um lote de seis ciclistas (Pinot, Kämna, De la Cruz, Arrieta, Traeen, e Amador). O pelotão rodava já a cerca de 4 minutos da dianteira.

A 66 km da meta, nova movimentação, com Pinot e De la Cruz a arrancarem para o que prometia ser um duro teste às suas capacidades, com a chuva e o frio a não darem tréguas.

A 40 km do risco, a vantagem da dupla para os mais diretos perseguidores era curta, abaixo dos 30 segundos, mas o pelotão estava já fora de cena, com um atraso de mais de 10 minutos.

Já dentro dos 30 km finais, De la Cruz conseguiu ganhar alguma vantagem sobre Pinot, nas zonas em descida, mas o francês, conhecido pelo trabalho que dedicou a melhorar as suas capacidades de “descedor”, cerrou os dentes, compôs-se, e recuperou o espaço para o espanhol.

No início da subida final, para Stronach, a dupla rodava com 40 segundos de avanço para os mais diretos perseguidores, com o pelotão liderado pela Bahrain-Victorious a mais de 12 minutos. Pinot estava a cerca de 14 minutos de Bilbao na geral, pelo que a situação estava controlada.

Nas zonas mais inclinadas da subida, a chegar aos 15%, Pinot desceu o martelo e começou a abrir espaço para o seu rival. Era uma mostra de raça, querer, e resiliência, depois de ter ficado em lágrimas no final da etapa de ontem, roubada na última pelo Superman Ángel López! Parecia estar perto o fim do calvário para Pinot, quase três anos depois do último triunfo que, recorde-se, foi na etapa 14 do Tour de France 2019, no mítico Col du Tourmalet.

Se a subida trazia alguma definição em relação ao vencedor da etapa, também o trazia em relação ao vencedor da geral final. Bilbao ia perdendo o contacto com o grupo de favoritos nas zonas mais inclinadas, com Bardet a poder arrancar para o triunfo final. Lembre-se que apenas dois segundos separavam os dois no início da etapa.

Na descida, Pinot pedalou vigorosamente, tentando manter-se na frente. Um pouco atrás, De la Cruz começava a recuperar os segundos perdidos na subida, e tornava-se uma séria ameaça para o gaulês. A 6 km da meta, menos de 10 segundos separavam os dois homens da frente.

Eram duas corridas em uma, pois mais atrás Bardet lançava-se ao ataque, tentando desferir o golpe fatal em toda a concorrência na luta pela geral. No apoio a Bardet seguia Thymen Arensman, realizando um grande trabalho em prol do seu líder.

A 4 km da meta, De la Cruz alcançou mesmo Pinot! Note-se que também o espanhol procurava acabar com uma seca de vitórias que durava já desde o triunfo na classificação da montanha do Criterium-Dauphiné em 2020.

Aproximava-se o quilómetro final, que seria em subida, o que dava alguma esperança a Pinot. Ainda assim, na abordagem à meta, De la Cruz arrancou primeiro tentando surpreender o francês, mas Pinot estava numa missão! Compenetrado, cerrou os dentes novamente, ordenou às pernas que não lhe falhassem, e arrancou atrás do espanhol, conseguindo ultrapassá-lo nos derradeiros metros, para uma vitória enorme, a todos os níveis! As lágrimas de tristeza davam lugar às lágrimas de felicidade! Acabava-se o calvário para um dos grandes nomes do ciclismo francês!

Já para De la Cruz, um final algo inglório, também ele muito emocionado após cortar o risco, mas também ciente de que não era fácil de bater Pinot neste dia!

Depois, chegaram a conta-gotas Kämna, Arrieta, Traeen, e Amador, seguindo-se depois os primeiros homens do pelotão, a cerca de 8:36 do vencedor, primeiro Michael Storer (Groupama-FDJ) e depois Romain Bardet. Pello Bilbao chegou com 39 segundos de diferença para o “bardo”, o que significa que este é mesmo um grande dia para os nomes históricos do ciclismo contemporâneo francês, com Pinot a levar a etapa e Bardet a levar a geral deste Tour of the Alps!

No segundo posto da geral acaba por ficar Storer, a 14 segundos de Bardet, com Arensman a coroar a sua grande etapa com o terceiro lugar final, a 16 segundos do seu companheiro de equipa na DSM.

A classificação da montanha ficou para Traeen, a da juventude para Arensman, e a classificação coletiva para a Groupama-FDJ.

Pódio Final

Pódio final com Michael Storer – Romain Bardet – Thymen Arensman (da esquerda para a direita)

Resumo da Etapa

Classificações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock