Chantal Blaak vence Strade Bianche em domínio absoluto da SD Worx!

A holandesa Chantal van den Broek – Blaak (Team SD Worx) venceu a Strade Bianche, após 136km com partida em Siena e chegada também em Siena, na Piazza del Campo, batendo a italiana Elisa Longo Borghini (Trek – Segafredo) por 7 segundos e a sua compatriota e colega de equipa, a Campeã Mundial Anna van der Breggen (Team SD Worx) por 9 segundos.

A clássica começou com diversos ataques, mas nenhuma ciclista conseguiu estabelecer uma fuga antes do primeiro setor de sterratto ao km17. As quedas começaram a acontecer desde cedo e Floortje Mackaij (Team DSM) foi das primeiras a ir ao chão, logo ao km27.

Ao km35 Elena Pirrone (Valcar – Travel & Service) conseguiu sair do pelotão e foi ganhando progressivamente uma vantagem que chegou a ser de 1:10, mas o pelotão teve-a sempre sob controlo e a italiana foi alcançada com pouco mais de 60km para o final. Mal isso aconteceu, foi a neozelandesa Niamh Fisher-Black (Team SD Worx) que atacou e Lotte Kopecky (Liv Racing) saiu no seu encalço, com o duo a ganhar uma vantagem de 1 minuto com 50km para a meta.

A 36km para o final, um novo ataque no pelotão com 8 ciclistas a tentarem fazer a ponte para a frente com Jelena Erić (Movistar), Mavi García (Ale BTC Ljubljana), Alena Amialiusik (Canyon \\ SRAM), Brodie Chapman (FDJ Nouvelle-Aquitaine Futuroscope), Sabrina Stultiens (Liv Racing), Chantal van den Broek-Blaak (Team SD Worx), Ellen van Dijk (Trek – Segafredo) e Elizabeth Banks (Ceratizit – WNT Pro Cycling), e rapidamente a chegarem à frente com 31km para a meta.

Na frente a corrida foi-se partindo e mais atrás também com acelerações constantes a selecionarem naturalmente o que ainda restava do pelotão. Marianne Vos (Jumbo – Visma) foi a primeira a lançar um ataque sério e a partir a corrida, com Annemiek van Vleuten (Movistar), Cecilie Uttrup Ludwig (FDJ Nouvelle-Aquitaine Futuroscope), Kasia Niewiadoma (Canyon \\ SRAM) e Demi Vollering (Team SD Worx) a chegarem à frente sem dificuldades de maior. Anna van der Breggen (Team SD Worx) e Elisa Longo Borghini (Trek – Segafredo) demoraram um pouco mais, mas ainda conseguiram chegar antes do último setor de sterratto.

No último setor, novas mexidas sucederam e Vleuten conseguiu isolar-se na companhia de Vos, enquanto Mavi Garcia perdia terreno e Lotte Kopecky saía da corrida com um furo na roda traseira. A SD Worx jogou depois com a força dos números e conseguiu alcançar a dupla de holandesas ainda com 9km para o final.

Num grupo com uma dúzia de ciclistas, sendo 4 delas da SD Worx, obviamente a equipa jogou com isso para desgastar as adversárias. Vollering e Blaak atacaram por inúmeras vezes enquanto Pasio tentava gerir a perseguição. A decisão deu-se a 6km da meta quando um ataque de Blaak levou na sua roda Borghini e o grupo não mais se entendeu para perseguir.

Blaak não trabalhou, em função de ter a líder Breggen atrás, e isso acabou por ser o grande fator decisivo da clássica. Na rampa final Borghini entrou claramente mais desgastada e Blaak atacou quando quis para conquistar a primeira vitória na carreira nesta corrida. Mais atrás, Breggen já se lançava ao ataque com Vleuten a seguir com algumas dificuldades e rapidamente passavam a intermédia Marta Cavalli (FDJ Nouvelle-Aquitaine Futuroscope). Breggen chegaria perto de Borghini mas não conseguiria alcançar à italiana, fechando na terceira posição para colocar a SD Worx em dois lugares de pódio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock