Caruso conquista o Etna e torna-se o novo rei e senhor da Sicília!

O siciliano Damiano Caruso (Italy National Team) venceu a quarta e última etapa do Il Giro di Sicilia, uma ligação de 140km com partida em Ragalna e chegada no vulcão Etna, a quase 1800m de altitude, batendo o sul-africano Louis Meintjes (Intermarche – Wanty – Gobert) por 5s e o equatoriano Alexander Cepeda (Drone Hopper – Androni Giocatolli) por 10s, para conquistar pela primeira vez na carreira, em casa, a corrida siciliana!

A etapa rainha do Giro di Sicilia, com chegada ao Etna e muita montanha, prometia fechar a corrida em beleza e cumpriu exatamente dessa forma! A fuga do dia formou-se antes da primeira subida categorizada, por volta do km 60, após um início de corrida perante estradas bastante acidentadas. Filippo Fiorelli (Bardiani – CSF – Faizane), Michael Belleri (Biesse – Carrera), Rafael Pineda e German Gomez (Colombia Tierra de Atletas), David Martin (EOLO – Kometa), Pier-Andre Cote (Human Powered Health), Stefano Gandin (Team Corratec), Nicola Venchiarutti (Work Service – Vitalcare – Dynatek) e Matteo Zurlo (Zalf Euromobil Desiree Fior) foram os animadores da jornada, conseguindo ganhar 3min a um pelotão controlado pela Seleção Nacional Italiana.

A primeira de duas ascensões à Contrada Giuliana decorreu de forma tranquila, com a vantagem a manter-se estabilizada nos 3min, e o pelotão, com os principais favoritos, a fazer uma descida tranquila e sem grandes preocupações. Passado o sprint intermédio de Mascali, esperava os ciclistas uma longa subida de quase 40km, com duas contagens de montanha colocadas de forma quase consecutiva e com apenas 4.5km de ligeira descida para o pelotão poder descansar entre ambas.

O ritmo da Seleção Italiana na segunda subida a Contrana fez a diferença para os fugitivos começar a cair, e foram os dois colombianos, Pineda e Gomez os únicos a conseguirem manter-se na frente, com o pelotão a encurtar visivelmente e a ficar reduzido aos principais candidatos, enquanto os escapados eram alcançados um por um.

A entrada para o Etna deu-se a 18km do fim, com os colombianos ainda na frente, e o ritmo da Seleção Italiana a ser fatal para o líder da geral, Fran Miholjevic (Cycling Team Friuli ASD), que perdeu o contacto, rebentando completamente na ascensão até ao topo do vulcão. Na dianteira, Gomez ficou isolado, com Pineda a ser alcançado, mas seria também absorvido pelos favoritos já dentro dos 10km finais. Damiano Caruso foi o primeiro dos candidatos a atacar, a mais de 7km do fim, e apenas Vincenzo Nibali (Astana Qazaqstan Team) e Cepeda conseguiram segui-lo.

A pequena descida antes dos últimos 3km acabou por voltar a trazer Kenny Elissonde (Trek – Segafredo) e Meintjes ao grupo, com o grupo de cinco unidades a entrar junto para os kms finais em subida. Rapidamente Elissonde cedeu e foi alcançado por Diego Rosa (EOLO – Kometa Cycling Team), que por muito pouco não tinha regressado ao grupo, e foi Cepeda o primeiro a acelerar perante o descolar de Meintjes. Caruso sentiu Nibali em dificuldade e atacou, com o tubarão a provar desta vez do seu próprio veneno, deixando Caruso escapar em solitário a 1.5km do fim! Meintjes fez uma subida de trás para a frente, e Cepeda agarrou-se ao sul-africano para passar Nibali já dentro do km final. Caruso celebrou a vitória tranquilamente e Meintjes ainda acabou em segundo, com Cepeda em terceiro, e o tubarão abatido a ser a apenas quarto, a 17s do vencedor.

Com o triunfo na etapa, Caruso conquistou também a geral do Giro di Sicilia, levando também consigo a classificação por pontos. Gandin venceu a classificação da montanha e Cepeda foi o melhor jovem. A Astana venceu coletivamente.

O momento decisivo

O Pódio Final

Pódio final com Cepeda – Caruso – Meintjes (da esquerda para a direita)

Classificações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock