Caos na abertura dos 4 Dias de Dunquerque! Welsford desclassificado, vitória para De Kleijn!

O neerlandês Arvid de Kleijn, da Human Powered Health, venceu a primeira etapa da 66ª edição da corrida 4 Jours de Dunkerque/Grand Prix des Hauts de France! Na segunda posição, terminou o francês Jason Tesson, da St Michel-Auber 93, enquanto o terceiro posto ficou para outro neerlandês, Nils Eekhoff, da Team DSM. A corrida fica marcada por uma queda massiva no sprint final, causada por Sam Welsford, da Team DSM. O sprinter australiano encostou em Arnaud de Lie, da Lotto Soudal, que ao cair arrastou Daniel McLay, da Arkéa-Samsic, e uma grande parte do pelotão atrás de si! Welsford ainda cruzou a meta em primeiro lugar, mas seria desclassificado, com a vitória a ser atribuída a De Kleijn.

O primeiro de seis dias que compõem a edição de 2022 dos 4 dias de Dunquerque apresentava uma jornada de 161.1 km, entre Dunquerque e Aniche, e um perfil maioritariamente plano. Este é o regresso da emblemática competição francesa, que não se realizava desde 2019, na altura com triunfo de Mike Teunissen.

Perfil da etapa 1 dos 4 Dias de Dunquerque

No início da corrida, deram-se os primeiros ataques, com uma fuga a estabelecer-se ao fim de alguns quilómetros. Os três corajosos eram: Cyril Barthe (B&B Hotels – KTM), Milan Fretin (Sport Vlaanderen – Baloise), e Evaldas Siskevicius (Go Sport – Roubaix Lille Métropole).

Com a Lotto Soudal a trabalhar na frente do pelotão, a margem dos escapados nunca foi muito expressiva, e o grupo principal haveria mesmo de alcançar a frente da corrida quando estávamos sensivelmente a meio do percurso. Esta situação de corrida propiciou uma nova fornada de ataques, com o pelotão a esticar, na tentativa de eliminar uma movimentação muito forte.

Já dentro dos 50 km finais, formou-se mesmo uma nova fuga, novamente com três unidades: Gijs Van Hoecke (AG2R Citroën Team), Alex Colman (Sport Vlaanderen – Baloise), e Lionel Taminiaux (Alpecin-Fenix). Na frente do pelotão, juntava-se à Lotto Soudal a Team DSM, garantindo que a margem dos escapados não crescia de forma expressiva.

Com outras equipas a juntarem-se à perseguição, como a St Michel-Auber 93, os fugitivos acabariam por ser alcançados um a um, com o último a ser Taminiaux, já dentro dos 3 km finais.

No sprint final, algo caótico e sem grandes comboios, acaba por se dar uma queda de grande dimensão! No momento em que Sam Welsford (DSM) e Arnaud de Lie (Lotto) iam a ultrapassar Daniel McLay (Arkéa), Welsford desviou a sua trajetória, dando um toque claro em De Lie, que por sua vez se desequilibrou, caindo e arrastando consigo McLay e uma boa parte do pelotão logo a seguir!

Welsford passou na frente, mas nem festejou, olhando por cima do ombro para a hecatombe atrás de si, com praticamente a totalidade do pelotão a cair sobre a linha de meta! O australiano seria depois desclassificado, sendo-lhe atribuída a última posição do grupo.

Assim, a vitória fica para o segundo a cortar a meta, Arvid de Kleijn, da Human Powered Health, com o segundo posto a ser atribuído a Jason Tesson, da St Michel-Auber 93. O ciclista belga é assim o primeiro líder da prova, tirando partido das bonificações para seguir com uma vantagem de 4 segundos sobre Tesson e 6 sobre Nils Eekhoff.

Amanhã disputa-se a etapa 2, com um desafio de 181.5 km, entre Béthune e Maubeuge, em mais um dia com boas possibilidades de sprint em pelotão compacto.

Classificações

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock