Biniam Girmay para a história, o primeiro africano de cor negra a vencer numa grande volta!

O eritreu Biniam Girmay (Intermarche – Wanty – Gobert) venceu a 10ª etapa do Giro d’Italia, uma ligação de 196km entre Pescara e Jesi, batendo num emocionante sprint o neerlandês Mathieu van der Poel (Alpecin – Fenix) e o italiano Vincenzo Albanese (EOLO – Kometa), para fazer história e se sagrar o primeiro africano de cor negra a vencer uma etapa numa grande volta!

A segunda semana do Giro d’Italia arrancou com uma jornada explosiva, com várias colinas que foram desfazendo o pelotão até à meta. A fuga do dia formou-se ao km 6, com Alessandro de Marchi (Israel – Premier Tech), Mattia Bais (Drone Hopper – Androni Giocatolli) e Lawrence Naesen (AG2R Citroen Team). Do pelotão ainda tentaram sair mais homens para integrar a escapada, mas não tiveram sucesso, e com 15km o trio distanciou-se com a acalmia natural do pelotão.

A vantagem dos escapados chegou a ser superior a 6min, mas reduziu-se para 4min até à entrada na fase mais dura do dia, os 95km finais. O pelotão entrou nas primeiras colinas com um ritmo elevado, e rapidamente começou a causar estragos. Christopher Juul-Jensen (BikeExchange – Jayco) atacou logo na primeira colina, mas não teve sucesso e foi pouco depois alcançado, enquanto na frente era De Marchi a vencer a primeira contagem de montanha.

A 77km da meta, Caleb Ewan (Lotto Soudal) foi o primeiro a passar por dificuldades, cedendo terreno ainda muito longe do final. Richard Carapaz (Ineos Grenadiers) estava na traseira do pelotão, mas porque havia sofrido uma queda numa zona de mato. David de la Cruz (Astana Qazaqstan Team) atacou a 70km do fim, em mais uma colina, mas foi alcançado 1km depois, enquanto Mark Cavendish (Quick-Step Alpha Vinyl) descolava do pelotão. De Marchi vencia também a segunda contagem de montanha, sem grande contestação dos colegas de fuga.

A 57km do fim, Mathieu van der Poel sofria com um problema mecânico, mas o neerlandês conseguia recolar no pelotão 7km depois. Carapaz foi também obrigado a trocar de bicicleta, mas reentrou sem problemas. A vantagem dos escapados foi-se reduzindo progressivamente e era já de apenas 1min com 35km para o fim. A 32km da chegada, De Marchi isolou-se dos colegas de fuga e permaneceu sozinho, enquanto no pelotão Juul-Jensen voltava a atacar, agora na companhia de Dries de Bondt (Alpecin – Fenix) e Lorenzo Rota (Intermache – Wanty – Gobert). O trio não tinha sucesso e era alcançado com 30km por percorrer, assim como a dupla de Bais e Naesen, já com 25km pela frente.

O italiano ainda tentou resistir na frente, mas acabaria alcançado com 20km por percorrer, fazendo então esperar-se um final muito explosivo, em que a colocação seria fundamental para não se perder tempo. A Alpecin entrou com tudo na colina final e gastou todos os seus elementos para selecionar o pelotão e fazer a corrida ao jeito de Mathieu van der Poel. Rui Costa (UAE Team Emirates) havia garantido a colocação de João Almeida (UAE Team Emirates), e o português estava também nas primeiras posições.

Apesar do trabalho da Alpecin, só quando Pavel Sivakov (Ineos Grenadiers) assumiu o trabalho e pouco depois Alessandro Covi (UAE Team Emirates) atacou, é que se começaram a fazer as grandes diferenças. O grupo partiu para responder às movimentações e Domenico Pozzovivo (Intermarche – Wanty – Gobert) assumiu o trabalho para Girmay. Com a chegada à descida, muitos ataques foram acontecendo, com Vincenzo Nibali (Astana Qazaqstan Team), Simon Yates (BikeExchange – Jayco) e Mathieu van der Poel a serem os protagonistas. O próprio Richard Carapaz (Ineos Grenadiers) tentou mexer, mas não teve sucesso.

A 2km do fim, Alessandro Covi surgiu de novo na frente, com João Almeida na roda, garantindo uma colocação segura do português para o sprint final. O italiano abriu já no último km e foi Pozzovivo a assumir o lançamento do sprint. Girmay estava na roda de van der Poel e abriu a contenda a 200m do fim, surpreendendo o neerlandês que teve de gastar toda a sua potência para se agarrar à roda do eritreu. Van der Poel ainda tentou passar Girmay, mas percebeu que já não teria forças para tal, mesmo estando ao seu lado, e abriu com um gesto de enorme fair-play, para apreciar o momento histórico que Girmay acabava de conseguir! Albanese cortava a meta na terceira posição, com os principais favoritos à geral atrás de si.

João Almeida concluiu na nona posição, mantendo-se na roda dos principais candidatos para o sprint final. O português segue na segunda posição da geral, a 12s de Juan Pedro Lopez (Trek – Segafredo), que chegou também tranquilamente no primeiro grupo. Rui Costa foi 123º, a 8:48 e Rui Oliveira (UAE Team Emirates) 133º, a 11:35.

Juan Pedro Lopez segue na liderança da geral e da juventude, com a camisola branca a ser envergada por empréstimo por João Almeida. Diego Rosa (EOLO – Kometa) segue na frente da classificação da montanha e Arnaud Demare (Groupama – FDJ) segura a camisola dos pontos por apenas 3pts.

O Último Km

Classificações

Classificações do Passatempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Releated

Gustav Pedersen e Monique Halter vencem título europeu de júniores na capital portuguesa do ciclismo!

Hoje era o 3º dia de competição em Anadia, com a disputa dos títulos de XCO do escalão de Júniores. Nos masculinos iam competir pela nossa seleção Artur Mendonça, Guilherme Barros, Rafael Sousa, Francisco Silvestre, Tomás Gaspar e Eduardo Rodrigues. Nas femininas representaram Portugal as atletas Íris Chagas, Mariana Líbano, Marta Carvalho, Catarina Lopes, Laura […]

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock