Bauhaus serve à Deceuninck o seu próprio veneno!

O alemão Phil Bauhaus (Bahrain Victorious) venceu a 4ª e última etapa do Tour de la Provence, batendo ao sprint o italiano Davide Ballerini (Deceuninck – Quick Step). Na 3ª posição ficou o francês Nacer Bouhanni (Team Arkéa Samsic). Na classificação geral, a vitória foi para o colombiano Iván Ramiro Sosa (Ineos Grenadiers) que terminou integrado no pelotão, mantendo assim a vantagem obtida graças à vitória na etapa de ontem em Chalet Reynard, no emblemático Mont Ventoux.

A última etapa do Tour de la Provence de 2021 apresentava uma ligação de 163km entre Avignon e Salon-de-Provence e um perfil bastante suave que culminaria num final em plano. Pelo caminho, os ciclistas enfrentavam três montanhas de 3ª categoria, a última das quais colocada a 36km da linha de meta, o que fazia antever uma chegada ao sprint.

Quanto à luta pela geral, com Iván Ramiro Sosa com 15 segundos de avanço sobre Egan Bernal e 18 sobre Julian Alaphilippe, era difícil de prever que houvesse grandes movimentações, pelo menos no início da jornada.

No entanto, logo no início da etapa, ao fim de 16km, existia um sprint intermédio que oferecia 3 segundos de bonificação ao mais rápido, e o campeão do mundo não se fez rogado. Alaphilippe passou em 1º no sprint, ultrapassando desde logo Bernal no 2º posto da geral!

Depois, formou-se a fuga do dia, com a movimentação de 4 ciclistas: Luis Mas Bonet (Movistar), Andreas Leknessund (Team DSM), Tony Gallopin (AG2R Citröen Team), Jérémy Leveau (Xelliss – Roubaix Lille Métropole). A vantagem do grupo chegou perto dos 5 minutos, altura em que o pelotão começou a recuperar gradualmente a diferença.

A 6 km do fim, a situação parecia controlada pelo pelotão, com o quarteto da frente apenas a 20 segundos de diferença. No entanto, a 3 km do fim, os fugitivos possuíam ainda 13 segundos sobre o pelotão e a situação começava a tornar-se algo tensa, com o final técnico a colocar dificuldades ao trabalho de perseguição do grupo principal. Apenas a 2 km do final a fuga foi eliminada, com as equipas já em posição para o sprint final.

No assomo à meta, com a Groupama – FDJ fora de cena, a Deceuninck lançou o sprint de Davide Ballerini através de Julian Alaphilippe e Zdenek Stybar, permitindo que o italiano fosse o primeiro a começar o sprint nos 100 metros finais.

No entanto, atrás dos homens da equipa belga vinha Phil Bauhaus (Bahrain Victorious), que acabou por fazer a Davide Ballerini aquilo que o italiano tinha feito a Arnaud Démare e à Groupama – FDJ no primeiro dia. O alemão ainda aproveitou de forma preciosa a roda de Stybar, que muito possivelmente errou ao continuar a pedalar já depois de Ballerini lançar o sprint. O checo foi a plataforma perfeita para Bauhau poder ganhar impulso e ultrapassar Ballerini, vencendo por meia roda sobre o risco de meta!

No 3º posto fechou Nacer Bouhanni, ficando a ideia que também teria força para passar Ballerini se não fosse tão próximo das barreiras, o que o obrigou a desacelerar de forma periclitante nos metros finais. O francês ainda protestou com Ballerini, mas o italiano não parece ter desviado a sua trajetória no sprint final.

Nas contas finais da classificação geral do Tour de la Provence, a vitória fica para Iván Ramiro Sosa com 18 segundos de vantagem sobre Julian Alaphilippe (Deceuninck – Quick Step) e 19 sobre Egan Bernal (Ineos Grenadiers).

No que toca às demais classificações, os pontos ficam Davide Ballerini (Deceuninck- Quick Step), a montanha para Filippo Conca (Lotto Soudal), a juventude para Iván Ramiro Sosa, e classificação por equipas para a Ineos Grenadiers.

Fotografia : @tourlaprovence

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock