Barbier vence sprint final, Steimle leva a geral!

O francês Rudy Barbier, da Israel Start-Up Nation, venceu a quarta e última etapa da Volta à Eslováquia, batendo ao sprint o colombiano Álvaro Hodeg (Deceuninck – Quick Step) e o estónio Martin Laas (BORA – hansgrohe).

Na classificação geral, a vitória acabou por ficar para o alemão Jannik Steimle, da Deceuninck – Quick Step, com o mesmo tempo do segundo classificado, o compatriota Nico Denz (Team Sunweb) e com 18 segundos de vantagem para o terceiro, o neozelandês Shane Archbold (Deceuninck – Quick Step).

A quarta e última etapa da Volta à Eslováquia disputou-se entre Topol’cianky e Skalica, numa distância de 171.7 km. O perfil da jornada apresentava três contagens de terceira categoria, mas estas estavam colocadas na primeira metade da etapa. A parte final da jornada, predominantemente plana, indicava que a Volta à Eslováquia podia ser decidida apenas nos metros finais, através de um sprint. À partida, Steimle levava vantagem na liderança da competição, mas Denz tinha o mesmo tempo e podia tentar a vitória na prova através dos sprints intermédios e do assomo final.

À imagem das restantes etapas da Volta à Eslováquia, a última etapa iniciou-se com um ritmo alucinante e com muitos corredores a tentarem integrar a fuga do dia. A Uno-X Pro Cycling era das equipas mais ativas, e um dos seus ciclistas, Julius Johansen, conseguiu mesmo distanciar-se por alguns km. À passagem do primeiro sprint do dia, Johansen passou em primeiro, e de seguida houve luta no pelotão pela classificação geral. Denz passou na frente de Steimle, garantindo aí vantagem sobre o compatriota. Contudo, a Deceuninck colocou mãos à obra, imprimindo um ritmo elevado, e no sprint seguinte Steimle passou em primeiro e Denz em segundo. Estava reposta a vantagem de Steimle no topo da geral.

Sem mais sprints bonificados pela frente, mas com quase 100 km para o final, o pelotão deixou alguns ciclistas saírem do grupo. Estava finalmente formada a fuga da jornada, composta por: Jonas Rapp (Team Hrinkow Advarics Cycleang), Kristjan Hocevar (Adria Mobil), Jakub Otruba (Elkov-Kasper), Nikolai Cherkasov (Gazprom-RusVelo). Esta movimentação conseguiu chegar aos cinco minutos de vantagem, e começou depois a ser gradualmente anulada pelo pelotão.

No sprint final, o mais forte acabou por ser o francês Rudy Barbier, da Israel Start-Up Nation, sendo mais rápido que toda a concorrência no final em empedrado. Na segunda posição ficou o sprinter da Deceuninck, Álvaro Hodeg, que ainda não tinha conseguido disputar qualquer chegada nesta prova, mas que mostrou no último dia que pode estar de volta às boas exibições. Em terceiro ficou Martin Laas, que já tinha levado duas etapas na competição eslovaca.

Os dois líderes da classificação geral terminaram integrados no grupo. Nico Denz foi oitavo e Jannik Steimle décimo, o que significou a vitória na geral para o alemão da Deceuninck. Steimle termina com o mesmo registo do segundo classificado, Denz, e com 18 segundos de vantagem para Shane Archbold.

Nas restantes classificações, Martin Laas (BORA-hansgrohe) juntou a camisola dos pontos às duas etapas conquistadas, Kenny Molly (Bingoal-Wallonie Bruxelles) triunfou na competição da montanha, Andreas Leknessund (Uno-X Pro Cycling Team) foi o melhor jovem, Lukás Kubis (Dukla Banska Bystrica) o melhor eslovaco, e Jonas Rapp o mais combativo da competição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Nem um empurrão de Serrano tirou a primeira vitória profissional de Edward Planckaert!

Edward Planckaert (Alpecin-Fenix) ganhou a primeira etapa da Vuelta a Burgos, batendo Gonzalo Serrano (Movistar) sobre a linha de meta, mesmo depois de ter levado um empurrão do espanhol. Numa chegada coincidente com uma rampa em Burgos, uma aceleração de Romain Bardet (Team DSM) com quatro corredores foi sucificente para abrir uma brecha, e quintento […]

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock