As montanhas pariram um rato!

O francês David Gaudu (Groupama-FDJ) venceu a 11ª etapa da Volta a Espanha, batendo o seu colega de fuga, Marc Soler (Movistar) no final no Alto de la Farrapona! A luta pela geral foi praticamente inexistente, com os favoritos a chegarem todos juntos.

Perante os ciclistas perfilavam-se hoje 170 km entre Villaviciosa e Lagos de Somiedo, no Alto de la Farrapona e, pelo caminho, 5 contagens de montanha, sendo que 4 delas eram de 1ª categoria, todas bastante exigentes! O dia começava logo a subir com uma contagem de 3ª categoria, um pequeno aperitivo para o que se seguiria. Ao km 48, os corredores encontravam o Alto de la Colladona (6.7 km a 6.6%), depois, ao km 84, ultrapassavam o Alto de la Cobertoria (10 km a 8.7%), seguindo-se ao km 124 o Puerto de San Lorenzo, uma ascensão tremendamente exigente com 9.3 km e 8.9% de inclinação média! Seguiam-se 10 km de descida antes da contagem de 1ª categoria final, para o Alto de la Farrapona, com nada mais nada menos que 18.6 km e 5.7%!

Com uma 3ª categoria a abrir o dia, o início da corrida foi simplesmente frenético, com muitos corredores a tentarem formar a fuga. Um deles era o campeão português, Rui Costa (UAE-Team Emirates). Quem também estava ao ataque era o belga Tim Wellens (Lotto Soudal), conseguindo passar em 1º na contagem de 3ª categoria, amealhando pontos importantes na luta pela montanha.

Wellens seguiu isolado nos km seguintes, mas atrás de si os ataques sucediam-se e o belga acabou por ser alcançado por um grupo de corredores, formando um grupo de 8 na frente, que depois passaria a 11, graças à entrada de mais alguns ciclistas, entre eles o português Ivo Oliveira (UAE-Team Emirates).

No pelotão, quem puxava era a Cofidis, na tentativa de eliminar a fuga e proteger a camisola da montanha de Guillaume Martin face à presença de Wellens na fuga. A 130 km do final, apenas 47 segundos separavam o pelotão da fuga e, passados 10 km, a margem era de apenas 30 segundos.

Na subida de 1ª categoria do Alto de la Colladona, os ciclistas da fuga começaram a atacar-se entre si, com o pelotão quase a eliminar a movimentação. No grupo principal, o ritmo alto ia causando alguns cortes, com Guillaume Martin a tentar sair na tentativa de recolher ainda alguns pontos no cimo da montanha. O francês não conseguiria pontuar, mas a sua movimentação a par das de outros corredores teve o dom de finalmente estabelecer a fuga do dia.

Na frente seguiam então Guillaume Martin (Cofidis), Niklas Eg (Trek-Segafredo), Tim Wellens (Lotto Soudal), Mark Donovan e Michael Storer (Sunweb), Bruno Armirail e David Gaudu (Groupama-FDJ), e ainda o português Nelson Oliveira (Movistar)!

A 104 km do final, o grupo de 8 seguia com 1:40 de vantagem sobre o pelotão e a corrida parecia finalmente estabilizada.

Seguia-se a subida da Cobertoria e aí atacou do pelotão Marc Soler (Movistar), o 10º da geral a 3:52! Com 80 km para o final, o ciclista espanhol tinha um minuto de avanço sobre o pelotão e outro de atraso sobre a fuga. Seguindo em alto ritmo, Soler conseguiu mesmo colar na frente, e a Movistar passava também a ter dois corredores na fuga!

No topo da subida, Guillaume Martin passou em 1º lugar, enquanto Wellens, que ia sentido dificuldades, não pontuou.

A 65 km da meta, a fuga levava 2:40 de avanço sobre o pelotão que ia sendo controlado por INEOS e Jumbo-Visma. Na fuga trabalhava em boa parte Nelson Oliveira, pedalando para Soler, que tinha interesses tanto na etapa como na geral! O trabalho do português chegou a quebrar o grupo, no entanto, a fuga reagrupou antes da subida seguinte, o Puerto de San Lorenzo.

No topo da subida, a 24 km da meta, voltou a passar Guillaume Martin em 1º, com o pelotão a 2:30 da frente.

Na subida final, para o Alto de la Farrapona, o pelotão com cerca de 30 unidades ia sendo controlado pela Jumbo-Visma, com a fuga ainda com alguma margem na frente. A equipa holandesa estava claramente mais forte que noutros dias da corrida e ia impondo um ritmo sólido.

A 7 km do final, com a diferença ainda nos 2:40, os fugitivos percebiam que a vitória de etapa estava à sua mercê e começavam a atacar-se cada vez mais.

A 4 km do fim, Carapaz estava já sozinho no pelotão, enquanto a Jumbo contava ainda com 4 homens junto de Roglic! Na frente, seguiam Gaudu e Soler, com Guillaume Martin a 44 segundos e o pelotão a 2:20.

À entrada do km final, a luta pela etapa reduzia-se a um duelo a dois. Gaudu acelerou e começou a ganhar vantagem sobre Soler. O francês estava claramente melhor e conseguiu vencer mesmo, gritando com convicção ao cruzar a meta! Em 2º lugar, a 4 segundos, ficou Soler, que recuperou cerca de 1 minuto na geral, subindo de 10º a 6º! Em 3º e 4º ficaram os homens da Sunweb, Michael Storer e Mark Donovan, com Guillaume Martin a fazer 5º na jornada. Depois chegaram os homens da geral, com Vlasov a conseguir ganhar 5 segundos ao grupo de Dan Martin, Enric Mas, Richard Carapaz, e Primoz Roglic, com Hugh Carthy a perder 7 segundos para os líderes da geral.

Na luta pela Volta a Espanha, acabou por ser um dia amorfo, em que muitas equipas estavam claramente com a cabeça já na etapa de amanhã, que inclui o mítico Angliru e que tão decisiva poderá ser. Roglic permanece na liderança, com Carapaz em 2º, com o mesmo registo do esloveno, e com Dan Martin em 3º, a 25 segundos.

Quanto aos portugueses, num dia em que estiveram em evidência, o melhor na etapa foi Nelson Oliveira, na 43ª posição, a 11:52 da frente. Na geral, o português da Movistar segue em 45º, com Rui Costa logo à sua frente, na 44ª posição, a 1:06:32 de Roglic.

Gonçalo Amaral vence a etapa no Passatempo, com a luta pela geral a seguir apertada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock