Arensman voa no contrarrelógio da Volta à Polónia e alcança primeira vitória da carreira!

O neerlandês Thymen Arensman, da Team DSM, impôs-se à concorrência no contrarrelógio individual da etapa 6 do Tour de Pologne! No 2º posto, terminou o norte-americano Magnus Sheffield, enquanto a 3ª posição ficou para o britânico Ethan Hayter, ambos da INEOS Grenadiers. Sergio Higuita cedeu 42 segundos para Hayter, o que significa que o britânico salta para a 1ª posição, agora com 11 segundos de vantagem sobre Arensman, na véspera da etapa final.

A etapa 6 da Volta à Polónia trazia um contrarrelógio individual, de 11.8 km, entre Szaflary e a estância de ski de Wierch Rusiński, numa jornada em formato de crono-escalada, embora com percentagens bastante suaves. A parte mais dura da etapa apresentava 2.2 km a 6.1% de pendente média.

O primeiro tempo de referência do dia foi estabelecido por Josef Cerny (Quick-Step), com um registo de 18’54”. Logo depois do ciclista checo, partiram vários roladores de qualidade, com Thomas de Gendt (Lotto) a conseguir ser 8 segundos mais rápido e a sentar-se na cadeira quente.

Não foi preciso esperar muito para voltar a ter alteração no topo da tabela, com Magnus Sheffield (INEOS) a pulverizar o tempo de De Gendt por quase 1 minuto! O registo a bater era agora de 17’47”!

Seguiram-se alguns contrarrelogistas de qualidade, como Lawson Craddock (BikeExchange) e Daan Hoole (Trek), mas o melhor que conseguiram foi 2º e 4º, naquela altura, respetivamente. Veio depois Michael Hepburn (BikeExchange), mas também ele não fez melhor que o 3º melhor registo na meta, com Nikias Arndt (DSM) depois a retirar esse posto ao australiano.

Depois, foi a vez de terminar a sua prova o alemão Marco Brenner (DSM), também ele com um excelente registo, o 2º melhor na meta, com 18’06”.

Estava difícil de cair o registo de Sheffield, mas um dos favoritos do dia, Thymen Arensman (DSM), haveria mesmo de o conseguir, com uma marca fenomenal de 17’40”, o primeiro do dia acima da barreira dos 40 km/h de média, com 40.075 km/h!

Terminava depois um dos grandes especialistas da disciplina, Rémi Cavagna (Quick-Step), registando o 3º melhor tempo na meta. Entretanto, saíam para a estrada os últimos ciclistas do dia, os mais bem classificados na tabela geral.

Desses, o melhor acabou por ser Ethan Hayter, com o ciclista da INEOS Grenadiers a terminar com o 3º melhor tempo na meta, 8 segundos mais lento que Arensman. O britânico era apontado como grande favorito a levar a etapa, mas acabou por não conseguir esse objetivo. Ainda assim, com o líder da corrida Sergio Higuita a ceder 42 segundos na meta, Hayter garantia a subida à liderança da prova.

Contas feitas, a vitória na etapa fica para Arensman, com um tempo 7 segundos mais rápido que Sheffield e 8 segundos mais rápido que Hayter. O neerlandês quebra assim o enguiço, depois de várias bolas à trave, nomeadamente no Giro d’Italia, onde alcançou dois segundos lugares, incluindo o contrarrelógio final.

Na geral, o 1º lugar fica agora para Hayter, com 11 segundos de avanço sobre Arensman e 18 sobre Pello Bilbao. Amanhã disputa-se a etapa final, com uma jornada de 177.8 km, entre Valsir e Cracóvia, num dia que deverá terminar ao sprint e onde será difícil roubar segundos à concorrência. Ainda assim, existem algumas subidas na fase inicial da corrida, onde alguém poderá tentar atacar.

Quanto aos portugueses, Rui Oliveira foi 101º, a 2’53” do vencedor, enquanto Iúri Leitão terminou em 104º, a 3 minutos. Na geral, o ciclista da UAE Team Emirates segue agora 65º, a 7’13” do líder, ao passo que o corredor da Caja Rural é 122º, a 30’10”.

Classificações

Results powered by FirstCycling.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock