Apenas Ulissi bateu o Canibal das Caldas!

Na 13ª etapa da Volta a Itália, o vencedor foi Diego Ulissi (UAE-Team Emirates), no entanto, a estrela mais uma vez foi João Almeida, batido pelo italiano por apenas meia roda no sprint reduzido em Monselice! Mais uma espetacular jornada de ciclismo, como tem sido hábito neste Giro, com o português da Deceuninck-Quick Step a dar espetáculo, como também já vai sendo norma.

A tirada apresentava 192 km entre Cervia e Monselice, com um perfil bem particular, quase totalmente plano mas com duas contagens de 4ª categoria dentro dos últimos 40 km, uma com 4.3 km a 7.8%, e a segunda, um autêntico muro, com 2 km e 9.9% de inclinação média, antecedendo os últimos 15 km em plano até à meta.

A etapa começou rápida, mas sem qualquer fuga nos primeiros km. Apenas ao fim de 40 km se formou a escapada do dia, com o ataque de Geoffrey Bouchard (AG2R), Simon Pellaud e Simone Ravanelli (Androni), Rodrigo Contreras (Astana), Alessandro Tonelli (Bardiani), Harm Vanhoucke (Lotto Soudal), Lorenzo Rota (Vini Zabù).

As rédeas do pelotão estavam nas mãos da BORA, que tinha os olhos postos no sprint final para Sagan, com 50 pontos em disputa, com a consciência que Arnaud Démare provavelmente não iria ultrapassar as duas subidas do dia. A vantagem dos escapados ainda cresceu para perto dos 3 minutos, mas com a Israel e a Cofidis a juntarem-se à BORA na perseguição a diferença entre os grupos começou a reduzir, situando-se por muitos km entre 1:30 e 2:00.

A 55 km do final, a diferença situava-se nos 2:20. Na abordagem às duas subidas do dia, começou uma luta intensa no pelotão por posição, em especial por parte dos ciclistas da BORA, da NTT, da Cofidis, da INEOS, da Bahrain, e da própria Deceuninck-Quick Step, com João Almeida na procura da melhor posição para ultrapassar as subidas.

Na primeira das subidas, a BORA forçou o andamento e de imediato Arnaud Démare começou a sentir dificuldades. A Groupama-FDJ em peso colocou-se ao trabalho, tentando que o seu líder não perdesse tempo de forma irremediável, embora com uma subida ainda pela frente, essa missão fosse ser muito complicada. Na fuga iam-se sucedendo os ataques, com a certeza de que este não era certamente dia para benesses por parte do pelotão. Volvidos alguns km, Bouchard e Tonelli eram os únicos que iam sobrevivendo na frente.

Após a primeira subida, com Démare com cerca de 40 segundos de atrasos, a Groupama-FDJ tentou rebocar o campeão francês para junto do pelotão, que já só contava com cerca de 30 corredores. E os franceses não só conseguiram recolar, como de imediato se colocaram ao trabalho, na tentativa de passar a segunda subida de forma mais tranquila. Os dois sobreviventes da fuga seguiam com pouco mais de 30 segundos a 20 km do final.

Na subida final, a UAE-Team Emirates pegou na corrida, com Valerio Conti a preparar terreno para o ataque de Diego Ulissi, que veio logo de seguida. Sagan e Démare cederam algum terreno nessa fase, com o mini pelotão a desfragmentar-se nas duras rampas que presenteavam os atletas com cerca de 20% de inclinação nalguns pontos. No topo da subida atacou Geoghegan Hart e logo a seguir foi a vez do Iceman de Pegões! Mais uma demonstração de classe por parte de Ruben Guerreiro, com a movimentação do português a ser anulada por James Knox, da Deceuninck. Sagan encontrava-se nesta fase a 10 segundos e Démare a 30 da frente da corrida.

Com 15 km para o final, era possível para estes homens rápidos ainda recolarem na frente. No entanto, a 7.5 km do final, Sagan seguia já com 30 segundos de desvantagem e Démare com 1 minuto. A Deceuninck-Quick Step puxava na frente, ciente que num grupo tão reduzido o próprio João Almeida seria favorito à vitória, e o mesmo podia ser dito de Guerreiro. Grande demonstração de força mas também de confiança no seu líder por parte da equipa belga. Os trepadores Masnada e Knox impunham um ritmo muito forte como se fossem os pesados roladores com que a equipa costuma contar para este tipo de trabalho! Cerca de 20 corredores no grupo dos favoritos seguiam na frente e pareciam ter tudo para discutir a etapa. No grupo de Sagan, com a consciência que não estavam a ganhar o tempo necessário, atacou um quarteto de luxo: De Gendt, Ballerini, Sagan, e Swift.

O braço de ferro entre os grupos animou e de que maneira o final da corrida, com a Deceuninck a impor o seu ritmo e a levar o grupo de favoritos até à reta da meta. O posicionamento indicava que a equipa ia trabalhar para o sprint de João Almeida, que era um sério candidato a vencer, mas que procurava também as bonificações.

Sprint lançado por Brandon McNulty (UAE-Team Emirates) e a luta acabaria por ser a três, com João Almeida, Patrick Konrad, e Diego Ulissi. Velocidade vertiginosa sobre a meta, bicicletas lançadas para a frente, e os três cortam a meta praticamente em simultâneo! Foi necessário aguardar pelo photo finish, que comprovou a vitória de Ulissi, com meia roda de vantagem sobre João Almeida, que se superiorizou a Konrad por uma margem ainda menor.

Com o segundo lugar na etapa, João Almeida bonificou 6 segundos, o que significa que a vantagem sobre o segundo classificado, Wilco Kelderman, é agora de 40 segundos, com o terceiro, Pello Bilbao, já a 49 segundos.

Ruben Guerreiro terminou no 14º posto, com o mesmo tempo do vencedor, e na geral continua a subir, sendo agora 26º a 34:16 de Almeida.

Amanhã disputa-se a 14ª etapa, o segundo contrarrelógio individual da prova, com 34.1 km de esforço individual entre Conegliano e Valdobbiadene. As expetativas portuguesas estão, como é óbvio, nos píncaros, fruto das grandes exibições de João Almeida. Depois do espetacular segundo lugar no contrarrelógio de abertura da prova, que lhe garantiu vantagem sobre todos os rivais da geral e que permitiu estes últimos 10 dias a vestir de rosa, nada menos se espera que mais uma demonstração de poder do Canibal das Caldas. A subir, a descer, a rolar, a sprintar… começa a ser difícil encontrar adjetivos e formas de descrever as performances de Almeida.

No Passatempo, manita para Henrique Silva, ele que venceu todas as etapas disputadas até ao momento da 2a semana, e tem a liderança da geral à vista!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock