Ao ritmo de Kuss, o Dauphiné é de Daniel Martinez!

O estadunidense Sepp Kuss (Jumbo – Visma) venceu a quinta e última etapa do Critérium du Dauphiné, uma ligação de 153.5km com partida e chegada em Megéve, com a meta a coincidir com uma contagem de segunda categoria. No segundo lugar terminou o colombiano Daniel Martinez (EF Pro Cycling) a 27s, e em terceiro o esloveno Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) a 30s.

Última etapa do Critérium du Dauphiné, talvez a mais propícia de todas a ser atacada, e assim foi! Sem Roglic, todos os que estavam próximos quiseram discutir a geral e partir a corrida desde cedo. Os ataques começaram logo na primeira subida do dia, uma contagem de segunda categoria, e os favoritos ficaram na frente.

Sepp Kuss levantou os braços no final da quinta etapa

No Col de Romme, o grupo cresceu até ficarem 25 ciclistas na frente, dos quais apenas faltavam Nairo Quintana e Richie Porte dos que se encontravam no top10. No Col de la Colombiere, Julian Alaphilippe (Deceuninck – QuickStep) e Pavel Sivakov (Team Ineos) conseguiram isolar-se e ganharam vantagem aos restantes, que conseguiram estender ao minuto. No final da contagem foi Mikel Landa (Bahrain – McLaren) a passar mal e a perder terreno, sendo depois alcançado pelo pelotão após o sprint intermédio.

Alaphilippe e Sivakov conseguiram aumentar a vantagem até ao minuto e meio no topo do Côte de la Frassette a 55km para o final. Com 32km para o final, queda de Pavel Sivakov em descida, que o deixou bem marcado. O russo acabou por conseguir alcançar de novo Alaphilippe com 26.5km para o final, com Miguel Angel Lopez (Astana Pro Team) e Tadej Pogacar ao ataque no grupo que já seguia a 50s. Pouco depois, resposta de Sepp Kuss e Daniel Martinez, com Thibaut Pinot a passar mal no grupo de trás, e a mostrar a frustração que acumulava.

Os seis que haviam atacado chegaram juntos à base do Côte de Cordon, com 20km para o final, e os ataques voltaram a surgir. O mais efetivo foi de Sepp Kuss, que obrigou Pogacar a fechar espaço, o que não foi propriamente fácil, com Pavel Sivakov e Daniel Martinez. Lopez acabou por se juntar de pois, mas era notório que seguia no elástico.

Com 10km para o fim a vantagem era já de apenas 45s, e uns minutos depois Sepp Kuss voltou a desferir novo ataque, desta vez sem resposta, deixando o trio que com ele seguia a 10s, enquanto no grupo mais atrás, Thibaut Pinot atacava para tentar alcançar a frente.

Com 5km para o final, Kuss tinha 30s de vantagem sobre o Sivakov, Pogacar e Martinez, enquanto mais atrás seguiam Pinot, Bardet, Dumoulin, G. Martin e Barguil a 55s. 2km depois, ataque de Tom Dumoulin com Lennard Kamna, ele que havia juntado ao grupo um pouco antes, e espaço a abrir para os restantes que não conseguiram fechar.

Kuss entrava com vantagem no último km, e vencia assim a última etapa do Dauphiné, uma recompensa merecida para ele que tanto trabalhou para Roglic! Daniel Martinez foi segundo, batendo Tadej Pogacar na luta pelas bonificações. Pavel Sivakov foi quarto e quase que era alcançado por Dumoulin e Kamna, que ficaram nas posições imediatamente a seguir. Thibaut Pinot foi sétimo, e acabou por perder o Criterium du Dauphiné, com o segundo lugar final atrás de Daniel Martinez.

Daniel Martinez obtém assim a sua maior conquista enquanto profissiona, o Critérium du Dauphiné, vencendo também a classificação da juventude! David de la Cruz vence a classificação de melhor trepador, e Wout van Aert leva a classificação por pontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock