Amaro Antunes é o grande vencedor da 82ª Volta a Portugal! Rafael Reis vence contrarrelógio!

O português Rafael Reis (Efapel) venceu a décima e última etapa da Volta a Portugal, um contrarrelógio individual de 20.3km disputado na região de Viseu, com um tempo de 25:24, batendo o seu colega de equipa, o uruguaio Maurício Moreira (Efapel) por 12s e o alemão Juri Hollmann (Movistar) por 41s.

Os ciclistas começaram a sair para o contrarrelógio um pouco antes das 15h30, e aos poucos foram fazendo o percurso e chegando à meta, situada na Avenida da Europa. O primeiro tempo foi marcado pelo britânico Oliver Peckover (SwiftCarbon Pro Cycling), em 27:57, mas a primeira real referência para os candidatos ao dia seria marcada pelo dinamarquês Mathias Norsgaard (Movistar) em 26:25.

O canadiano Rob Britton (Rally Cycling) foi batendo os intermédios de Norsgaard, mas não foi capaz de superar o dinamarquês no troço final, fechando em 26:36, um tempo que à chegada lhe deu o segundo tempo do momento. Norsgaard seria batido cerca de vinte minutos depois, mas a Movistar não sairia da liderança, com Juri Hollmann a fazer um novo melhor tempo em 26:05.

Rafael Reis venceu o contrarrelógio final.

Hollmann esteve ainda cerca de meia hora na liderança, até ter fechado Rafael Reis (Efapel) com um tempo de 25:24 que lhe deu a liderança da prova, mas faltavam chegar os principais candidatos à classificação geral.

Enquanto isso, terminava historicamente a carreira de Gustavo Veloso (Atum General – Tavira – Maria Nova Hotel), com um tempo de 26:40, num percurso que o mesmo já havia vencido em 2017.

João Rodrigues (W52 – FC Porto) e António Carvalho (Efapel) foram batendo consecutivamente os tempos intermédios, estando bastante próximos, mas não conseguiriam no final superar sequer o registo de Hollmann. Rodrigues terminou com 26:18 e Carvalho com 26:19, isto após Lluis Mas (Movistar) ter terminado em 26:13.

Joni Brandão (W52 – FC Porto) e Frederico Figueiredo (Efapel) seguiam em perda, com Alejandro Marque (Atum General – Tavira – Maria Nova Hotel) a ameaçar chegar ao pódio da classificação geral. Antes de estes terem chegado, eis que Maurício Moreira estava já a retirar 20s a Amaro Antunes (W52 – FC Porto) quando sofreu uma queda, mas o uruguaio rapidamente se levantou e continuou. Ainda assim, Amaro estava a fazer o contrarrelógio da sua vida, e dava tudo na defesa da Camisola Amarela.

A queda de Maurício Moreira

Alejandro Marque terminou em 26:13, ligeiramente melhor que Lluis Mas, e atacava o pódio da geral. Frederico Figueiredo (Efapel) cedia bastante tempo, terminando em 27:17, e excluía-se assim da possibilidade de fechar no pódio da classificação geral final. Joni Brandão deu tudo, mas chegaria em 26:40, perdendo quase o dobro dos 14s que tinha de vantagem para Marque. O espanhol regressava assim ao pódio da classificação geral da Volta a Portugal!

Maurício Moreira terminava com um tempo de 25:36, após a queda sofrida e parecia assim não ser suficiente para arrecadar a camisola amarela de Amaro Antunes. A emoção era enorme, com Amaro Antunes nos metros finais, e a terminar o contrarrelógio da sua vida com um tempo de 26:08, na quarta posição, e assim se sagrar o grande vencedor da 82ª Volta a Portugal, enquanto Maurício Moreira era transportado para a ambulância, em claro choque, após a queda sofrida.

Na geral, Maurício foi segundo a 10s, e Marque terceiro a 1:23. Nas classificações secundárias, Rafael Reis triunfava na classificação por pontos, Bruno Silva (Antarte – Feirense) na classificação da montanha, e Abner Gonzalez (Movistar) era o melhor jovem. A Efapel venceu coletivamente.

O Pódio Final

Classificações Completas

Classificações do Passatempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock