A quarta ferroada do besouro!

O esloveno Primoz Roglic (Team Jumbo-Visma) venceu o contrarrelógio da 13ª tirada da Volta a Espanha, garantindo a 4ª etapa desta edição! O Canibal de Trbovlje realizou uma grande subida ao Miradouro de Ézaro, acabando por fechar com 1 segundo de vantagem sobre o 2º melhor do dia, o norte-americano Will Barta (CCC), embora viesse a fazer pior que o norte-americano nos pontos intermédios do percurso! Na 3ª posição, a 10 segundos de Rogla, ficou o português Nelson Oliveira (Movistar), em mais um grande dia nesta Vuelta!

Na geral, Roglic fica com 39 segundos sobre Richard Carapaz e 47 sobre Hugh Carthy, que fez também ele um grande contrarrelógio, fechando no 4º posto da jornada! A emoção está garantida para a semana final desta Volta a Espanha!

Na 13ª etapa, os ciclistas enfrentavam um contrarrelógio individual de 33.7 km entre Muros e o Mirador de Ézaro, na sua maioria plano mas com um final muito duro! O Miradouro de Ézaro representava uma ascensão de 3ª categoria, com apenas 1.8 km, mas com uma inclinação média de 14%! Apesar de representar uma extensão reduzida em relação ao total do percurso, a dureza da subida iria obrigar os ciclistas a trocarem de bicicleta no início da ascensão.

Um dos primeiros tempos de referência do dia foi estabelecido pelo australiano Alex Edmonson (Mitchelton-Scott), com 48 minutos e 24 segundos.

Um dos homens que se seguiu foi o campeão português de contrarrelógio, Ivo Oliveira (UAE-Team Emirates), que fez uma boa prova como era esperado, chegando com o 3º melhor registo na meta a 29 segundos de Edmonson.

O tempo de Edmonson ainda demorou a cair, até que chegou um dos favoritos do dia, o campeão francês Remi Cavagna (Deceuninck-Quick Step), pedalando com esforço na íngreme subida e fechando com um registo de 47:37, a uma média de 42.5 km/h. Vários corredores se seguiram, sem que nenhum conseguisse bater o tempo de Cavagna, entre eles os alemães Jannik Steimle e Jasha Sütterlin.

Entretanto, estava já na estrada outro dos favoritos, o português Nelson Oliveira, que em tão bom nível tem estado nos últimos dias ao serviço da Movistar, rodando mais uma vez em grande nível e fazendo o melhor registo no 1º ponto intermédio. Rui Costa estava também em ação, fazendo o 9º melhor registo no 1º parcial. No 2º ponto intermédio, Nelson Oliveira voltou a fazer o melhor tempo, 25 segundos melhor que Cavagna! Faltava apenas concretizar esta grande performance na difícil subida final!

Na estrada estava também outro candidato a fazer um grande resultado, o norte-americano Will Barta (CCC), que conseguiu mesmo bater o tempo de Nelson Oliveira no 1º parcial por apenas 1 centésimo!

Na subida final estava Rui Costa, lutando com todas as forças contra as duras inclinações. O campeão português de fundo acabaria por fazer o 12º melhor tempo à chegada, com 50:10, 2:33 mais lento que Cavagna.

Depois chegou Nelson Oliveira, muito sólido e confiante na parte final da subida, cruzando a meta com um extraordinário tempo de 46:49 (43.2 km/h), 48 segundos melhor que Cavagna! Que magnífica demonstração de classe do corredor lusitano, ele que tantas vezes terminou no top 10 de grandes provas de contrarrelógio e que estava agora perante a possibilidade de arrecadar a maior vitória da sua carreira! Dos ciclistas que iriam ainda realizar a prova, apenas Will Barta e Primoz Roglic pareciam poder ameaçar a vitória de Nelson Oliveira.

Barta ia copiando o contrarrelógio de Nelson Oliveira, fazendo no 2º ponto intermédio 2 décimos de segundo melhor que o português! A vitória neste contrarrelógio podia ser decidida na subida final, sendo que o tempo gasto na própria mudança de bicicleta no início da ascensão podia ser decisiva!

Na subida, Will Barta conseguiu mesmo fazer melhor que Nelson Oliveira, fechando com um registo total de 46:40, mais rápido que o português por 9 segundos!

Entretanto, tinham já partido para a estrada os primeiros da geral. Entre os mais bem colocados, David de la Cruz, o 13º da geral, ia fazendo um bom registo, atacando claramente o top 10. Também a rolar muito bem estava Hugh Carthy, o 3º da geral, que fazia o 3º melhor registo no 1º parcial! O britânico ameaçava ultrapassar Carapaz na geral, mas mesmo em relação a Roglic estava a rodar mais rápido! O esloveno passou com o 5º melhor tempo no 1º parcial, 2 segundos mais lento que Carthy! Parecia que o fantasma da Volta a França estava a pairar sobre o esloveno!

Carapaz ia-se defendendo, perdendo apenas 4 segundos para Roglic e 6 para Carthy no 1º parcial. Recorde-se que o equatoriano partiu para esta jornada com 10 segundos de vantagem sobre Roglic, 32 sobre Carthy, e 36 sobre Dan Martin, que ia rodando uns furos abaixo da concorrência.

No 2º ponto intermédio, Roglic fez o 3º melhor registo parcial, com Carthy em 4º a 1 segundo, e com Carapaz a fazer um ótimo 10º lugar, a 19 segundos de Roglic. Estava ao rubro a luta pela geral, com Roglic aparentemente em subida de rendimento ao longo do percurso, o que deixava certamente os adversários apreensivos!

No final, Roglic acabou por realizar uma subida estratosférica, fechando com um tempo de 46:39, batendo o tempo de Barta por 1 segundo! Carthy terminou com o 4º melhor registo do dia, perdendo 25 segundos para Roglic, enquanto Carapaz fechou com o 7º melhor tempo, 49 segundos pior que Roglic. Nota para Dan Martin, que acabou por fazer uma grande subida, fechando com o 13º melhor registo da jornada reduzindo as perdas para a concorrência.

Na geral, Roglic recupera a camisola vermelha, agora com 39 segundos sobre Carapaz, 47 sobre Carthy, e 1:42 sobre Dan Martin.

Como referido, o melhor português da etapa foi Nelson Oliveira, com o 3º posto, a 10 segundos de Roglic. Ivo Oliveira terminou com o 22º melhor tempo, a 2:14 do vencedor, enquanto Rui Costa fechou na 42º posição, a 3:31 de Roglic. Rui Oliveira fez 70º e Ricardo Vilela 121º nesta tirada.

Na geral, o melhor luso é Nelson Oliveira, na 42ª posição, a 1:24:53 do camisola vermelha.

Amanhã, disputa-se a 14ª tirada, numa ligação de 204.7 km entre Lugo e Ourense e um perfil de média montanha que promete tornar a luta pela etapa bem interessante!

Pedro Chaves vence etapa no Passatempo. Rodrigo Rodrigues mantém liderança da geral!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock