A Europa e o Mundo aos pés de Annemiek van Vleuten!

A campeã do Mundo Annemiek van Vleuten é agora também a nova campeã da Europa de fundo em elites, após ter sido a primeira a cortar a linha de meta em Plouay, no final de 109.2km e 8 voltas ao circuito de Plouay, batendo ao sprint a italiana Elisa Longo Borghini! A polaca Kasia Niewiadoma foi terceira, a 6 segundos.

Prova de elites feminina que prometia imenso, e que entregou ainda mais do que prometia, com aquela que muito provavelmente foi a melhor corrida destes Campeonatos Europeus! A corrida começou com muitos ataques e muitas dificuldade em sair uma fuga digna desse nome. Com 70km para o final 11 ciclistas isolaram-se na frente mas pouco depois mais ataques surgiram com a corrida a partir completamente.

Formaram-se dois grupos atrás da fuga, com o primeiro deles a conseguir chegar e a juntar então 23 ciclistas na frente da corrida, Elise Chabbey e Marlen Reusser (Suiça), Soraya Paladin, Marta Cavalli, Elena Cecchini e Elisa Longo Borghini (Itália), Hannah Barnes e Lizzie Deignan (Reino Unido), Audrey Cordon-Ragot (França), Kasia Niewiadoma (Polónia), Cecilie Uttrup Ludwig (Dinamarca), Lotte Kopecky (Bélgica), Emilia Fahlin (Suécia), Lisa Brennauer (Itália) e a armada holandesa com Annemiek van Vleuten, Ellen van Dijk, Chantal van den Broek-Blaak, Marianne Vos, Demi Vollering, Amy Pieters e Anna van der Breggen.

O grupo que ficou para trás não mais reentrou, e a corrida ficou a decidir-se então entre 23 ciclistas, que seguiram sempre a um ritmo muito elevado, com ataques e contra-ataques a todo o momento. A 38km do final, uma queda atirou ao chão Ludwig, Chabbey, Reusser, Brennauer e Deignan, com a britânica a ficar mal tratada e a ter de abandonar a corrida. Nem 5min depois, Marianne Vos a atacar e a dar a rampa de lançamento para o ataque de Vleuten, que saiu disparada levando consigo Borghini e Niewiadoma.

O trio conquistou inicialmente uma vantagem de 15 segundos, que depois se estabilizou pelos 25. Ludwig e as restantes ciclistas afetadas na queda voltaram a reentrar mesmo com o super ritmo que se levava, e Ludwig entrou com o pé na chapa, atacando e tentando transportar o grupo para o trio na frente, mas sem sucesso, com a Holanda a controlar todas as movimentações.

Chantal Blaak atacou pouco depois, com o grupo já a mais de 35s, e conseguiu entrar na frente de corrida na penúltima volta da corrida. O quarteto entrou junto na última volta, sempre a ganhar vantagem para trás. Borghini e Niewiadoma eram quem mais tinha trabalhado, com Vleuten grande parte do tempo na roda das adversárias.

A campeã do Mundo entrou na frente na última volta, mas não teve colaboração, e na primeira subida viu Borghini atacar em força, descarregando Blaak e obrigando a que Vleuten tivesse ficado no elástico para se aguentar. A dupla polacó-italiana voltou ao trabalho, e Vleuten atacou numa fase plana com 8.5km para o fim. O que parecia uma movimentação decisiva acabou por não o ser, e à entrada para a última subida, todas juntas de novo, com Blaak também incluída.

Na última subida novo ataque de Borghini a tirar Blaak da contenda e a deixer Vleuten no elástico, mas quando parecia que a luta ia ser a 3, Vleuten voltou a acelerar e deixou Niewiadoma sem forças, segundo com Vleuten até ao topo. Descida e 500m planos até à meta com Borghini sempre na frente, e Vleuten a descansar atrás, para se lançar ao sprint com 300m e conquistar o seu primeiro título europeu de fundo em elites na sua primeira participação. Blaak ainda alcançou Niewiadoma no risco de meta, mas já não deu para a tentar bater ao sprint.

O grupo de trás, com 18 unidades, desligou e tirou pé na última volta, com Audrey Cordon Ragot a ainda ter forças para atacar e ser quinta, já a 2:30, e Lisa Brennauer a liderar o grupo na sexta posição, já a 3:28.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

António Morgado vence Gipuzkoa Klasika!

O corredor português António Morgado (Bairrada) venceu no passado domingo a clássica de Gipuzkoa em bicicleta, prova UCI do escalão de juniores, em Urretxu, com outros dois companheiros de equipa também integrados no top 10. António, com 17 anos, vence a 26ª edição da prova, depois Carlos Rodriguez (agora Ineos) e Juan Ayuso (agora UAE), […]

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock