A dentada do Canibal!

Dan Martin, da Israel Start-Up Nation, venceu a 17ª etapa do Giro d’Italia, concretizando a fuga da jornada! O irlandês por pouco não era apanhado pelo incrível João Almeida (Deceunink Quick-Step), que foi o mais forte do grupo dos favoritos, fechando no 2º posto da jornada, a 13 segundos de Martin, conseguindo ganhar 27 segundos ao 3º do dia, Simon Yates, e 1:10 ao camisola rosa, Egan Bernal! O colombiano não conseguiu acompanhar Almeida e Yates na subida final, acabando por controlar os danos, chegando num grupo com o 2º da geral, Damiano Caruso.

A etapa 17 trazia consigo mais uma jornada montanhosa no Giro d’Italia, com uma ligação de 193 km, entre Canazei e Sega di Ala, onde o destaque ia para a 1ª categoria de Passo San Valentino e para a subida final, também ela de 1ª categoria (11.3 km a 9.7%, com uma pendente máxima de 17%).

A fuga da jornada demorou bastantes km a ser formada, com os ataques a sucederem-se na frente do pelotão, mas sem grande consequência. Após mais de 60 km de etapa, finalmente um grupo conseguiu isolar-se, incluindo Gianni Moscon, Geoffrey Bouchard, Dries De Bondt, Simone Ravanelli, Luis León Sánchez Gil, Giovanni Carboni, Felix Grossschartner, James Knox, Pieter Serry, Matteo Badilatti, Jan Hirt, Quinten Hermans, Andrea Pasqualon, Daniel Martin, Matteo Jorgenson, Antonio Pedrero Lopez, Jacopo Mosca, Valerio Conti, e Alessandro Covi, com a Ineos a assumir o controlo do pelotão.

A fuga chegou a possuir mais de 5 minutos de avanço, até que a Team BikeExchange assumiu a frente do grupo principal, começando a tirar tempo à frente da corrida. A 127 km do final, a diferença era de 4:35.

À entrada da subida para Passo San Valentino, o grupo da frente estava reduzido a 16 corredores, com Martin a rodar com uma vantagem de 3:16, a 51 km da meta. Pouco depois, passava por dificuldades Remco Evenepoel, atravessando mais um dia de sofrimento neste Giro. O belga viria depois a ver-se envolvido numa queda, juntamente com Ciccone outros ciclistas, o que acabou por prejudicar ainda mais o jovem lobo.

Na subida, Dan Martin esteve endiabrado, aumentado o ritmo por diversas ocasiões. No final da ascensão apenas Moscon, Bouchard, e Pedrero conseguiam seguir o irlandês. No início da subida final, Dan Martin voltou a atacar fortemente a sua concorrência, que ia passando cada vez mais dificuldades para se manter na luta pela etapa.

A 10 km da meta, em novo ataque do irlandês, o último resistente, Pedrero, ficava também ele para trás, e o destino da jornada parecia começar a ficar traçado, com o pelotão a rodar a 1:22 da frente da corrida. No grupo principal era a Ineos que voltava a tomar conta das operações, num lote de apenas 20 e poucos ciclistas, onde ia passando dificuldades Aleksandr Vlasov, depois da equipa ter estado a imprimir ritmo pouco antes. João Almeida seguia bem colocado, perto dos Ineos, a mostrar que está num excelente momento, quando o Giro começa a entrar nas etapas mais decisivas. Mas o melhor estava ainda por vir!

Dan Martin a deixar para trás os últimos resistentes, Antonio Pedrero e Gianni Moscon

A 5 km do final, Dan Martin rodava com uma vantagem de 1:11 sobre o grupo dos favoritos, numa fase que Moscon se desligava da perseguição ao irlandês, para esperar pelo pelotão e auxiliar a sua equipa, algo que ia fazendo Castroviejo, impondo um ritmo bem duro que ia eliminando corredores a cada pedalada!

Bardet e Carthy iam também perdendo o contacto, ficando no grupo principal apenas Moscon, Castroviejo, Martinez, Bernal, Yates, Almeida, Caruso, Bilbao, e Ulissi!

A 4km da meta, Dan Martin tinha 1,20 de avanço e a vitória parecia cada vez mais certa. Nessa altura, ataca João Almeida, numa movimentação simplesmente espetacular, a aumentar o ritmo de forma furiosa, sem qualquer resposta dos quatro Ineos que lideravam o grupo de favoritos!

O português partia em busca da vitória na etapa e de mais algum tempo para a geral, num dia que podia ser muito positivo! Pouco depois, era a vez de atacar Simon Yates, sendo que apenas Martinez e Bernal o conseguiam seguir! O trio alcançava depois Almeida, com Caruso a pedalar sozinho na tentativa de não perder o contacto com o camisola rosa!

De seguida, nova ofensiva do Canibal das Caldas, dando mais uma dentada na concorrência! Yates tentava acompanhar o português, mas não estava fácil! Que nível extraordinário de João Almeida neste dia!

Dan Martin já tinha menos de um minuto de vantagem, com Yates e Almeida a aproximarem-se de forma intensa, e com Bernal a passar dificuldades! Martinez nem se apercebia das dificuldades do seu líder, que pedia pela rádio para o seu colega esperar, numa jornada em revelava finalmente algumas fraquezas no jogo de Bernal, depois de vários dias a arrasar a concorrência! Pouco depois, via-se Martinez a incentivar de forma veemente o seu líder, certamente dizendo-lhe para dar tudo nestes últimos dois km. Apenas um pouco mais de esforço podia ser suficiente para as perdas não serem muito grandes, principalmente para Yates.

Daniel Martinez puxando por Egan Bernal, sob olhar atento de Damiano Caruso
Simon Yates e João Almeida ao ataque em Sega di Ala

Entretanto, Yates atacava e Almeida perdia momentaneamente o contacto. O britânico dava tudo para tentar capitalizar o dia menos bom de Bernal. O português, contudo, não se deixava abater, mantendo-se perto de Yates e conseguindo-o alcançar pouco depois!

Yates despendia agora a maior parte do trabalho, a tentar ganhar o máximo de tempo, com Almeida, muito bem, a rodar na roda do britânico!

À entrada do km final, Martin tinha 30 segundos de vantagem para a dupla de perseguidores, e nesse ponto, volta a malhar no ferro o Canibal, deixando Yates para trás, e arrancando num esforço titânico em perseguição a Martin.

A etapa estava a ser espetacular e o final não foi diferente. Nos metros finais, Martin olhou para trás e verificou que estava seguro! Podia respirar me paz, que o Canibal não o ia apanhar, apesar de ser por muito pouco! Sobre a meta, o irlandês festejou a vitória, com Almeida a chegar 13 segundos depois! O português tinha retirado 17 segundos a Martin no último km, ficando muito perto de o alcançar!

Yates chegou em 3º, a 30 segundos de Martin e 17 de Almeida, e depois chegava um grupo de quatro com Ulissi, Caruso, Bernal, e Martinez. O camisola rosa perdia 1:23 para Martin, 1:10 para Almeida, e 53 para Yates, aquele que mais o apoquentava na geral.

Assim, Bernal mantém a camisola rosa, agora com 2:21 sobre Caruso e 3:23 sobre Yates. Quanto a João Almeida, depois da sua estratosférica exibição, ascende ao 8º lugar da geral, agora a 8:45 de Bernal!

Terá sido este o dia mau de Bernal neste Giro? A vantagem do colombiano ainda é confortável, mas se voltar a fraquejar nos próximos dias, arrisca-se a poder ter um grande dissabor, em especial face a um Simon Yates, cada vez mais forte nas altas montanhas! O calor parece ser inimigo de Bernal nesta altura, funcionando a favor de corredores como João Almeida e Simon Yates. Veremos o que nos reservam os últimos dias de Giro!

Refira-se que Nelson Oliveira voltou a realizar uma boa prestação, fechando esta dura jornada no 37º posto, a 16:30 da frente da corrida. Na geral, o homem da Movistar segue agora na 26ª posição, a 1:02:04 da rosa.

Remco Evenepoel acabou por perder mais de 36 minutos, num dia, onde além das limitações de forma física, teve ainda o azar de ter caído, cruzando a meta ladeado por outros elementos do Wolfpack, com marcas visíveis da queda no seu cotovelo.

Amanhã, disputa-se a etapa mais longa deste Giro, numa ligação de 231 km, entre Rovereto e Stradella, numa jornada que será praticamente plana, até aos km finais onde a organização decidiu colocar quatro curtas subidas, uma delas de 4ª categoria, que prometem animar e muito a luta pela etapa!

O vencedor da etapa, Dan Martin, com João Almeida ao fundo, perto de alcançar o irlandês
Remco Evenepoel teve mais um dia difícil neste Giro d’Italia, em contraponto ao seu companheiro de equipa, João Almeida

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

António Morgado vence Gipuzkoa Klasika!

O corredor português António Morgado (Bairrada) venceu no passado domingo a clássica de Gipuzkoa em bicicleta, prova UCI do escalão de juniores, em Urretxu, com outros dois companheiros de equipa também integrados no top 10. António, com 17 anos, vence a 26ª edição da prova, depois Carlos Rodriguez (agora Ineos) e Juan Ayuso (agora UAE), […]

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock