Simone Velasco triunfa em fuga na etapa 3 da Volta a la Comunitat Valenciana! Rui Costa de novo no top10!

O italiano Simone Velasco (Astana Qazaqstan Team) conquistou a tercera etapa da Volta a la Comunitat Valenciana, uma ligação de 145km entre Bétera e Sagunto, batendo ao sprint o luxemburguês Bob Jungels (Bora – Hansgrohe) e o dinamarquês Jonas Gregaard (Uno-X Pro Cycling Team), após os três terem resistido na fuga do dia, e o pelotão ter chegado apenas a 3s!

Foi a primeira vitória do ano para a equipa cazaque, que bem delas precisará se se quiser manter no World Tour a partir de 2025.

Num dia curto, mas com alguma dureza acumulada, o pelotão viu a fuga do dia formar-se apenas ao km 30 com Bob Jungels (Bora – Hansgrohe), Simone Velasco (Astana Qazaqstan), Lawson Craddock (Team Jayco – AlUla), Jonas Gregaard (Uno-X Pro Cycling Team) e Sander de Pestel (Flanders – Baloise). Os cinco não conseguiram ganhar muito mais do que 4min de vantagem sobre o pelotão, mas perante tanta dureza seria complicado uma única equipa controlar sozinha.

O ritmo inicial havia já deixado a sua mossa nos elementos de trabalho, e o grupo foi-se mantendo na frente de forma até algo confortável, fazendo antever que seria difícil de os alcançar. Ao km 91.7, Jungels passou na frente na primeira contagem de montanha do dia, a segunda categoria de Oronet. Marc Soler (UAE Team Emirates) havia atacado no pelotão, mas o espanhol não teve sucesso e foi rapidamente absorvido.

Volta a la Comunitat Valenciana 2023 – 74th Edition – 2nd stage Novelda – Alto de Pinos 178.2 km – 02/02/2023 – Rui Costa (POR – Intermarché – Circus – Wanty) – photo Luis Angel GomezSprint/CyclingAgency©2023

Rapidamente se chegou à primeira categoria de Garbi, a subida mais dificil do dia, e foi novamente Marc Soler a surgir, mas agora ao trabalho no pelotão, que ainda tinha 2:30 para recuperar, com cerca de 35km por percorrer. Na frente, de Pestel não aguentava o ritmo dos adversários, e ficava para trás, com Craddock a atacar e a isolar-se do trio com Velasco, Jungels e Gregaard. Tom Gloag (Jumbo – Visma) atacou no pelotão e tentou ganhar terreno para assaltar na geral, mas acabou por ser alcançado pouco depois, já que ameaçava a liderança de Giulio Ciccone (Trek – Segafredo).

Craddock cruzou o topo de Garbi com 20s para o trio, mas acabou por ser alcançado na descida, que se revelou ser um ponto fraco para o americano. O quarteto voltou a formar-se na frente a 18km do fim, com um reduzido pelotão a 1:30. Craddock acabou mesmo por descolar a 15km da meta, deixando o trio na frente, perante um pelotão comandado por Matej Mohoric (Bahrain Victorious).

A Movistar acabou por se juntar também na perseguição, e a diferença começou a cair rapidamente, com o trio a entrar nos últimos 6km com apenas 30s de vantagem, apesar de estar a trabalhar bastante bem para poder discutir a etapa. No km final, o pelotão claudicou um pouco, com a Movistar a preferir jogar para o quarto e o quinto posto em vez de procurar a vitória. O trio entrou na discussão ao sprint com a vitória praticamente certa, e Simone Velasco foi claramente superior em velocidade, para dar a primeira vitória à equipa cazaque em 2023. O pelotão cortou a meta 3s depois, com Alex Aranburu e José Joaquin Rojas nas primeiras posições.

Rui Costa (Intermarché – Circus – Wanty) voltou a ter uma excelente prestação, e foi 8º, chegando nos primeiros do pelotão, para se manter na 7ª posição da geral.

O líder Giulio Ciccone (Trek – Segafredo) foi — e segue no comando, com 3s sobre Pello Bilbao (Bahrain Victorious). Anton Charmig (Uno-X Pro Cycling Team) continua como o melhor jovem, Alex Aranburu (Movistar) é o novo líder dos pontos e Samuele Zoccarato (Green Project – Bardiani – CSF – Faizané) segue no comando da montanha. A Movistar lidera coletivamente.

Classificações

Results powered by FirstCycling.com

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock