João Matias faz a dobradinha em terras de Viriato!

O português João Matias (Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados) conquistou esta tarde a etapa 4 da Volta a Portugal, a sua segunda etapa nesta edição, ao impôr-se ao sprint na chegada a Viseu, após 169.1km desde a Guarda, batendo o estadunidense Scott McGill (Wildlife Generation Pro Cycling) e o espanhol Andoni Lopez (Caja Rural – Seguros RGA).

A quarta etapa tinha no papel 169.1km para fazer os corredores rodarem a alta velocidade entre duas capitais de distrito, Guarda e Viseu, com o pretexto de começar o mais cedo possível o dia de descanso. Mal o tiro de partida foi dado, formou-se uma fuga com Afonso Silva (Kelly – Simoldes – UDO), Alvaro Trueba (Atum General / Tavira / AP Maria Nova Hotel), Bruno Silva (Tavfer – Mortágua – Ovos Matinados), Joseba López (Caja Rural – Seguros RGA), Óscar Pelegrí (Burgos – BH), Joaquim Silva (Efapel Cycling), Peio Goikoetxea (Euskaltel – Euskadi), Robin Carpenter (Human Powered Health), Rafael Reis (Glassdrive – Q8 – Anicolor) e José Mendes (Aviludo – Louletano – Loulé Concelho), que conquistou uma diferença que foi crescendo até estabilizar nos 6:00 para o pelotão.

Enquanto a Glassdrive – Q8 – Anicolor controlava o pelotão, ao mesmo tempo deixava a fuga longe, até porque tinha Rafael Reis que poderia vencer a etapa, e nenhum dos fugitivos colocava em perigo a liderança de Mauricio Moreira. Com o objetivo de levar a etapa para o sprint, a Wildlife Generation Pro Cycling tomou as rédeas do pelotão quando se tinham percorrido 100km e fez cair, pouco a pouco, a distância para a frente. A cerca de 50km de Viseu, o grupo da frente já só gozava de cerca de 2:30 de vantagem, o que motivou, e muito, outras equipas a juntarem-se à americana. Na frente, o grupo começava, cedo demais, os seus ataques e contrataques, que desintegraram fisicamente e psicologicamente o grupo, que foi perdendo toda e qualquer união. Com vários corredores a perder a frente da corrida, outras equipas juntavam-se no comando do pelotão, e estava claro que tudo seria uma questão de tempo até serem alcançados.

A 2km do fim, o último trio que restava em fuga foi alcançado, e isso fez a Tavfer – Mortágua – Ovos Matinados colocar em prática o seu comboio, fazendo um lançamento perfeito para o seu sprinter, que já tinha vencido em Castelo Branco. Perto da reta da meta, dois ataques ajudaram a Tavfer a manter a dianteira do pelotão, com António Barbio a fazer a última rotunda na frente e a deixar Matias em posição perfeita! Quando João Matias arrancou para o sprint, foi direto até à meta, sem dar hipóteses aos adversários, que acabaram por cruzar a meta depois do português que bisa assim nesta edição da Grandíssima.

Com os resultados de hoje, a geral segue inalterada, com Mauricio Moreira a seguir de amarelo para o dia descanso, acumulando também com a classificação da montanha. João Matias é o novo líder dos pontos, em igualdade com Scott McGill, mas com vantagem no desempate por ter duas vitórias de etapa. Jokin Muguialday (Caja Rural – Seguros RGA) continua como o melhor jovem. Coletivamente a Glassdrive – Q8 – Anicolor está desde o primeiro dia como a melhor equipa.

Amanhã o pelotão poderá recuperar o folego depois de 5 dias intensos e preparar para as últimas seis etapas. Logo no regresso, na quarta-feira, dia da etapa 5, terá pela frente 165.7km entre a Mealhada e o Observatório de Vila Nova, em Miranda do Corvo, uma novidade, com a inédita chegada de primeira categoria. A subida apresenta 9.9km, com uma inclinação média de 8.3%, com vários troços acima dos 15%.

Classificações

Results powered by FirstCycling.com

Classificações do Passatempo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock