Um banho bem apetecível!

Depois de mais uma demonstração de superioridade de Egan Bernal, que vai, para já, dando todas as pedaladas certas rumo à conquista da sua segunda grande volta, o Giro d’Italia prossegue com a realização da 12ª etapa, uma ligação de 212 km, com partida em Siena e chegada em Bagno di Romagna, uma localidade famosa pelas termas e pelo turismo de natureza.

Nesta que será mais uma incursão pelos Apeninos, os corredores encontram um percurso em constante sobe e desce, com as principais dificuldades a surgirem pouco antes do meio da jornada e a estenderem-se até ao final da mesma: uma 3ª categoria para Monte Morello (7.2 km a 6.3%), duas contagens de 2ª categoria, para Passo della Consuma (15.1 km a 6.1%) e para Passo della Calla (16.2 km a 5.3%), e ainda a subida de 3ª categoria final para Passo del Carnaio (11.8 km a 4.3%), cujo topo distará cerca de 10 km para o risco de meta. Os km finais serão em descida e em plano até Bagno di Romagna.

Perfil da 12ª etapa da Volta a Itália

Favoritos

A grande maioria das previsões desta Volta a Itália deparam-se com a eterna questão: fuga ou pelotão? Até agora, os corajosos que desafiam o pelotão nas fases iniciais das etapas têm conseguido levar o seu navio a bom porto, e esse pode muito bem ser o cenário no dia de hoje. Se uma fuga forte se formar no início da jornada, é difícil de imaginar outra equipa que não a Ineos Grenadiers a controlar a maior parte da etapa. Se nada de anormal acontecer, como por exemplo um favorito passar dificuldades e alguma equipa tentar forçar o andamento para cavar diferenças, é plausível de acreditar que este seja novo dia para a fuga triunfar, quem sabe com uma vantagem alargada como aconteceu no dia de ontem.

Assim, e com as maiores probabilidades de sucesso dentro da fuga a dividirem-se por um lote bem alargado de corredores, apontamos para um dos ciclistas que em melhor nível esteve na etapa de hoje: o Iceman de Pegões, Ruben Guerreiro! Este palpite deve-se mais à incrível forma do ciclista português do que à liberdade que ele possa ter nesta etapa, uma vez que a diferença de apenas 7:49 para Bernal pode limitar a sua liberdade para integrar a fuga do dia, sendo que a Ineos pode muito bem apenas deixar sair aqueles que estão a mais de 10 minutos da rosa.

Na etapa de ontem, o trabalho do ciclista português em prol do líder da EF Education-Nippo, Hugh Carthy, depois de um dia bem duro, foi simplesmente fabuloso, pegando no grupo principal na última subida e imprimindo um ritmo diabólico que fez ciclistas históricos, como Vincenzo Nibali, e estrelas em ascensão, como Giulio Ciccone, passarem as passas do Algarve! No assomo final à meta, Guerreiro ainda teve o discernimento para fazer um compasso de espera, dando um último apoio a Carthy, que ia acusando a dureza da jornada. O português acabou por ser o 7º melhor do pelotão, numa exibição de classe mundial do homem de Pegões!

Hoje, poderá ser o dia para Ruben Guerreiro iniciar o assalto à revalidação do título de melhor trepador, com um lote interessante de pontos em disputa para a classificação da montanha.

Na lista de favoritos à etapa, segue-se um rol de grandes nomes que têm todas as condições para triunfar a partir da fuga, e que têm sido presença habitual nas principais movimentações deste Giro, em particular George Bennett, Bauke Mollema, Gino Mäder, Koen Bowman, Geoffrey Bouchard, Felix Grossschartner, Matteo Badilatti, Simon Carr, Einer Rubio, ou Matteo Fabbro. Refiram-se também ciclistas como Fausto Masnada, que pode tirar partido do facto da Deceuninck Quick-Step ter perdido o fulgor na classificação geral, atacando de longe a vitória na etapa. Iremos incluir também o nome de Nelson Oliveira neste lote, fruto da grande forma que também ele tem mostrado, embora seja difícil de imaginar o ciclista da Movistar a bater a forte concorrência na subida final.

Na eventualidade de ser o pelotão a discutir a vitória, o principal candidato a levar esta tirada é, inevitavelmente, o camisola rosa, Egan Bernal. Embora não seja impossível de triunfar ao sprint num grupo muito reduzido, a melhor chance de Bernal juntar mais uma etapa ao seu pecúlio será atacando antes dos metros finais da etapa. Entre os melhores deverão estar também Dan Martin, João Almeida, Giulio Ciccone, Remco Evenepoel, Damiano Caruso, Simon Yates, e Emanuel Buchmann.

No caso do Canibal das Caldas, à semelhança de Masnada, poderá haver alguma liberdade para atacar a corrida, com as menores responsabilidades em termos de proteção à posição de Remco Evenepoel na CG. No entanto, esse ataque terá de ocorrer numa fase mais tardia da jornada, pois apesar de estar a mais de 7 minutos de Bernal, a presença do português numa fuga não teria certamente permissão da Ineos e mesmo de outras equipas.

Favoritos Ciclismo Mundial:

⭐⭐⭐⭐⭐ Ruben Guerreiro

⭐⭐⭐⭐ George Bennett e Bauke Mollema

⭐⭐⭐ Gino Mäder, Koen Bowman, e Geoffrey Bouchard

⭐⭐ Felix Grossschartner, Matteo Badilatti, Simon Carr, Einer Rubio, Matteo Fabbro, Fausto Masnada, e Nelson Oliveira

⭐ Egan Bernal, Dan Martin, João Almeida, Giulio Ciccone, Remco Evenepoel, Damiano Caruso, Simon Yates, e Emanuel Buchmann

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock