Será hoje dia para o campeão português?

Depois do primeiro dia de descanso, a Volta a Espanha prossegue, com a realização da 7ª etapa. Perante os ciclistas colocam-se 159.7 km entre Vitoria-Gasteiz e Villanueva de Valdegovia em mais uma jornada montanhosa. Serão apenas duas contagens, no entanto, ambas a Puerto de Orduña, ambas de 1ª categoria, com 7.9 km e 7.6 % de inclinação média.

Perfil da 7ª etapa da Volta a Espanha

Com uma importante chegada em alto na quarta-feira, o Alto de Mocalvillo, a jornada de hoje apresenta-se como propícia para que uma fuga de longe possa resultar. Não tem sido fácil para os grupos de fugitivos desta Vuelta escaparem e ainda menos manterem-se na frente, o que tem permitido que movimentações mais tardias possam resultar, como se veio a verificar nas duas etapas do fim de semana. Porém, desta feita poderá mesmo ser dia para a principal fuga da jornada vingar.

Entre os principais candidatos a integrarem a fuga e a poderem triunfar a partir da mesma está o campeão português, Rui Costa (UAE-Team Emirates). O ex-campeão do mundo tem-se mostrado em boa forma, como ficou patente com o 3º lugar na etapa de domingo, e certamente irá continuar a tentar capitalizar a perda de tempo na classificação geral nos primeiros dias. Este pode ser um dia importante para a fuga, e será interessante de perceber se a UAE-Team Emirates optará por lançar algum ciclista na fuga além de Rui Costa para auxiliar o português. Refira-se que no caso de a fuga não vingar, e de virmos a ter um final com um grupo restrito, o português será sempre um dos principais candidatos a vencer, seja através de um ataque tardio, seja de um sprint.

Outro forte candidato a integrar a fuga é o belga Tim Wellens (Lotto Soudal), vencedor da etapa 5, também ele em grande nível. No caso de estar na frente, será complicado para qualquer ciclista bater Wellens neste tipo de final. Recorde-se que o belga é o líder da classificação da montanha, pelo que deverá querer marcar presença na frente de forma a proteger a sua posição.

Wellens tem 19 pontos na classificação da montanha, contra os 18 de outro candidato a integrar a fuga e mesmo a poder superiorizar-se à competição, em especial nas duas duras subidas, Guillaume Martin (Cofidis). Será difícil ao francês poder bater quem quer que seja num sprint, mas as subidas são duras o suficiente para ele se poder isolar.

Na linha de Rui Costa, existem outros candidatos a poder destacar-se em dois cenários nesta etapa, tanto em fuga como em sprint reduzido, a começar pela tripla da Astana, Luis Leon Sanchez, Omar Fraile, e Alex Aranburu, passando pelo jovem italiano Andrea Bagioli (Deceuninck-Quick Step), até ao francês Julien Simon (Total Direct Energie) ou ao australiano Nick Schultz (Mitchelton-Scott).

No caso de a corrida ser bastante endurecida, com a decisão da etapa a ficar entre os favoritos, é difícil de imaginar que os ataques sejam expressivos o suficiente para evitar um sprint. No caso de uma chegada rápida entre os homens da geral, o favoritismo é claro de Primoz Roglic (Jumbo-Visma), com Alejandro Valverde (Movistar), Dan Martin (Israel Start-Up Nation), Felix Grossschartner (BORA).

Recorde-se que na classificação geral da Vuelta, depois de Roglic ter perdido tempo no domingo, o líder é Richard Carapaz (INEOS), com 18 segundos sobre Hugh Carthy (EF Pro Cycling), 20 sobre Dan Martin (Israel), e 30 sobre Roglic. O 5º classificado, Enric Mas (Movistar), está já mais de 1 minuto de Carapaz.

Favoritos Ciclismo Mundial:

⭐⭐⭐⭐⭐ Rui Costa
⭐⭐⭐⭐ Tim Wellens e Luis Leon Sanchez
⭐⭐⭐ Omar Fraile, Alex Aranburu e Guillaume Martin
⭐⭐ Julien Simon, Nick Schultz, Andrea Bagioli e Michael Woods
⭐ Primoz Roglic, Alejandro Valverde, Dan Martin, Michael Valgren e Felix Grossschartner

Podes acompanhar a etapa em direto na Eurosport!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock