Será hoje o dia para o Iceman?

Depois do segundo dia de descanso da prova, a Volta a França prossegue hoje com a realização da 16ª etapa, um desafio de 169 km, com partida em El Pas de La Casa e chegada em Saint-Gaudens. Esta será a segunda jornada de alta montanha das quatro que os ciclistas enfrentam na região dos Pirenéus, tratando-se, porventura, da menos complicada das quatro.

No dia de hoje, depois de um início com mais de 30 km em descida, o pelotão enfrenta uma contagem de 2ª categoria para o Col de Port (11.4 km a 5.5%), seguindo-se nova descida longa que irá levar os corredores até ao início da contagem de montanha mais difícil do dia, a 1ª categoria para o Col de la Core (13 km a 6.6%). Depois, virá nova descida, antes da subida de 2ª categoria para o Col de Portet-d’Aspet, seguindo-se mais uma longa descida em direção à meta, interrompida apenas pela contagem de 4ª categoria para Côte d’Aspret-Sarrat (0.9 km a 6.3%), um muro que fica colocado a 5 km da meta.

Perfil da etapa 16 do Tour de France

Os favoritos

Numa prova que tem sido tão profícua em vitórias das fugas, é difícil de apostar num cenário diferente para este dia. O perfil da jornada convida claramente à formação de uma fuga forte, sendo que no pelotão não deverão existir interesses suficientes para perseguir a frente da corrida. A UAE-Team Emirates deverá controlar as operações depois da fuga sair, e a maior parte das restantes formações irá com certeza tentar colocar homens na frente.

Claro que este cenário será diferente se uma equipa como a Ineos estiver com ideias de tentar isolar e atacar Tadej Pogacar. Faltam apenas mais duas jornadas de montanha neste Tour, o que obriga a equipa britânica a ter de fazer algo já hoje, sob pena de oferecer uma vitória fácil ao prodígio esloveno. No dia de hoje, o plano da Ineos poderá muito bem ser o mesmo, colocar homens na frente e depois baixá-los para trabalhar no pelotão.

Como ficou patente na etapa 15, a formação de uma fuga grande não assusta a Emirates, pelo que poderemos voltar a ter o mesmo cenário, restando saber quanto tempo irá demorar até haver consenso sobre a constituição e vantagem da fuga.

Assim, vamos apostar na fuga, e mais em particular num dos homens que mais tem estado em foco nas movimentações de longe e alguém com um perfil que encaixa neste percurso: o Iceman de Pegões, Ruben Guerreiro! O português da EF Education-Nippo tem mostrado que está em grande forma, dividindo a sua performance entre os ataques de longe e o trabalho no pelotão, no apoio ao seu líder, Rigoberto Urán. Hoje, o “Orgulho de Pegões” tem um dia onde pode usar as capacidades de trepador para integrar e se manter na fuga até aos quilómetros finais, sendo que depois tentará fazer uso do seu forte sprint para bater a concorrência que ainda reste.

Note-se que esta pode ser a grande oportunidade para o lusitano vencer neste Tour, sendo que nas duas próximas e decisivas etapas deverá estar limitado pelo apoio que terá de prestar a Urán.

A lista de candidatos a vencer no dia de hoje é bem extensa, mas há outro nome que surge, nesta fase, de forma natural: o “King Kong”, Wout Van Aert. O campeão belga tem sido um dos atletas em maior destaque neste Tour, brilhando em todos os aspetos que compõem uma prova velocipédica desta natureza. Na etapa 15 esteve na frente, acabando depois por prestar ainda apoio ao líder da Jumbo-Visma para a geral, Jonas Vingegaard, um cenário que poderá também voltar a suceder.

Refira-se depois uma diversa panóplia de corredores com capacidade e ambição para triunfar neste dia a partir da fuga, em particular: Julian Alaphilippe, Omar Fraile, Dylan Teuns, Sergio Higuita, Patrick Konrad, Bauke Mollema, Michael Woods, Alejandro Valverde, Wout Poels, Ion Izagirre, Mattia Cattaneo, Michal Kwiatkowski, Franck Bonnamour, Dan Martin, Matej Mohoric, Esteban Chaves, David Gaudu, Pello Bilbao, e Kasper Asgreen.

Favoritos Ciclismo Mundial:

⭐⭐⭐⭐⭐ Ruben Guerreiro

⭐⭐⭐⭐ Wout Van Aert e Julian Alaphilippe

⭐⭐⭐ Omar Fraile, Dylan Teuns, e Sergio Higuita

⭐⭐ Patrick Konrad, Bauke Mollema, Michael Woods, e Alejandro Valverde

⭐ Wout Poels, Ion Izagirre, Mattia Cattaneo, Michal Kwiatkowski, Franck Bonnamour, Dan Martin, Matej Mohoric, Esteban Chaves, David Gaudu, Pello Bilbao, e Kasper Asgreen

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock