Relógio Suíço ou poderio dinamarquês no contrarrelógio do BinckBank Tour?

Depois de tantas reviravoltas, parece que sempre teremos contrarrelógio nesta edição da BinckBank Tour.

A distância foi reduzida em quase 3 km, estando agora reduzida a 8,14 kms com partida e chegada na cidade belga de Riemst, localizada no meio da província montanhosa de Limburg. Os corredores vão sentir ligeiras subidas, com a primeira ser depois de uma curva rápida à direita tendo cerca de 500m em 8.2% de inclinação. Depois o percurso contorna o Rio Maas pelas duas margens em terreno praticamente plano. Estes quilómetros não são totalmente planos o pode fazer romper pernas. A 1.3kms uma nova subida de 300m com 5.5% de inclinação ligeiramente subindo, após a qual haverá uma descida descomplicada, até chegar às utimas duas curvas que antecedem os 140m da recta da meta. A etapa oferece um total de 118 metros de altitude.

Favoritos:

Há vários corredores com pretensões à vitória final da prova que podem tentar fazer algumas diferenças, mas se os 11kms já iam ser curtos, estes 8kms ainda mais serão. Alias os contrarrelogistas poderão nem sequer discutir a vitória na etapa, já que um rolador/sprinter passará bem este terreno.

A vitória, e consequentemente, liderança da Mads Pedersen não é segura já que tem Jasper Philpsen com o mesmo tempo e dificilmente farão um contrarrelógio exatamente igual. Se olharmos aos resultados entre os dois em contrarrelógios que ambos participaram, saltam à vista a discrepância de qualidade na especialidade por parte do ex-campeão do mundo. Olhando, por exemplo, ao contrarrelógio da edição passada que tive 8.4kms e 100% plano, a diferença entre os dois foi de 13 segundos! E o mesmo aconteceu na edição de 2019 da Volta ao Algarve em que com mais quilometros a diferença aumentou para os quase 50 segundos. Logo Mads Pedersen é assumidamente candidato à vitória de hoje e à geral da competição.

O clima terá influência. Os melhores contrarrelogistas partem primeiro que os sprinters ou homens mais rápidos, e está previsto que a chuva venha a influênciar negativamente nas primeiras horas da prova. Ainda assim, há um nome de grande capacidade e com grande responsabilidade para a vitória de hoje: Stefan Kung. Recentemente campeão europeu e medalha de bronze mundial na especialidade, é o mais favorito à vitória no dia de hoje. Ele preferia algo mais cumprido na casa dos 20 a 30kms, mas também se dá bem nestes dias curtos e apesar de no ano passado ter ficado pelo modesto 4º lugar atrás de nomes também sonantes, este ano não dever querer perder o comboio para vencer a prova belga.

Depois há Søren Kragh que pode supreender, onde, especialmente, nas duas subidas pode roubar segundos a Kung. Ainda assim não nos parece ser suficiente par retirar o favoritismo ao novo relógio suíço.

Ainda sem grandes resultados ou provas dadas, mas com 24 anos, Jannik Steimle vem de uma brilhante vitória na geral Tour de Slovaquie, conquistado graças à vitória no contrarrelógio algo semelhante a este.

Seria uma tolice não referir Mathieu van der Poel. O corredor holandês anda à procura da melhor forma para as clássicas que se aproximam e está cada vez mais forte na especialidade. O holandês provavelmente correrá mais forte do que todos os outros em ambas as escaladas, especialmente Slingerberg, onde pode correr como nenhum outro. As alturas mais técnicas também são perfeitas para o cometa versátil. A distância não é obstaculo e não será surpresa nenhuma uma vitória de MvDP.

Estamos curiosos para perceber como será a estreia de Ivo Oliveira com a camisola de campeão nacional de contrarrelógio. O percurso não lhe assenta mal e as duas subidas não deverão afectar muito a sua performance. Ivo também é explosivo o que pode ajudar nas zonas mais planas. Pode aparecer como a surpresa do dia.

Atenção a Patrick Bevin, Stefan Bissegger, Luke Durbridge, Tobias Ludvigsson. Ambos pertencem à categoria de melhores contrarrelogistas dos seus países e dão-se bem em dias planos como este.

Favoritos Ciclismo Mundial:

⭐⭐⭐⭐⭐ Stefan Kung

⭐⭐⭐⭐ Søren Kragh e Jannik Steimle

⭐⭐⭐ Mathieu van der Poel, Mads Pedersen e Patrick Bevin

⭐⭐ Stefan Bissegger, Luke Durbridge, Tobias Ludvigsson e Edvald Boasson Hagen

Christophe Laporte, Mads Würtz Schmidt, Jasha Sütterlin, Tom Bohli e Ivo Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock