Que o vento não estrague os planos aos Sprinters!

O esloveno Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) fez ontem jus ao seu papel de favorito e deu um grande passo em direção à vitória geral no UAE Tour, ao obter uma vingança contra o britânico Adam Yates (Ineos Grenadiers) em Jebel Hafeet, e conquistar a vitória na terceira etapa da prova. Porém, antes de poder ser coroado vencedor, Pogacar terá de sobreviver a três etapas planas e outra etapa de montanha.

Percurso

Perfil da Etapa 4

Com dois dias inteiros fora dos holofotes, os sprinters esperam este dia como nunca, depois de desperdiçada a primeira etapa pela maioria, devido aos cortes provocados pelo vento. A única parte desta quarta etapa propícia a isso é logo no inicio da tirada, pelo que, as possibilidades de voltar a ocorrer o mesmo que na etapa 1 são bastante reduzidas. É com quase toda a certeza que um sprint em massa se irá concretizar.

Com uma distância de 204km, esta é uma etapa longa inédita para a corrida, que tem partida e chegada na Ilha de Marjan, que é uma ilha ao largo da costa imediatamente a norte do Dubai. A prova parte da zona costeira em direção ao deserto e ao longo de uns bons quilómetros é feita nessa zona, até à aproximação ao sprint intermédio que é na cidade de Umm-Al-Quwain. O processo inverso volta a acontecer à saída da cidade, com o pelotão a entrar no deserto até à cidade de Ras Al Khaimah. Depois desse último sprint intermédio, voltam a fazer uma inversão em direção à Ilha Marjan, e os últimos 30km são em zona costeira na linha do mar.

O UAE Tour é talvez a corrida mais generosa com os sprinters puros, já que 4 em 7 etapas estão construídas para eles. O vento cruzado arruinou a festa no primeiro dia, e como os organizadores escolheram juntar as duas etapas mais importantes do Médio Oriente, é apenas na última parte da corrida que a prova realmente pode mostrar porque é considerado um paraíso de sprinters.

Não há grandes dúvidas que a Deceuninck e a Ineos tenham ficado acordados de noite a planear a tática e ler muito bem as condições meteorológicas a pedir vento cruzado durante o dia de hoje. Se houver, a UAE perde para a Deceuninck que trabalha muito melhor em equipa e é experiente nesse aspeto. A realidade é que a etapa de hoje será um daqueles dias onde o vento irá fazer a sua parte, mas não saberemos se será o suficiente para os movimentos de domingo, e além disso há as etapas de sexta e sábado que podem ser mais propícias.

Se nada de errado ocorrer até ao fim, espera-se que o pelotão comece a lutar por posições depois do último sprint intermédio e antes de entrar na zona final, a cerca de 5km da meta. Os homens da geral terão que ter cuidado para não ficarem cortados.

Favoritos

Sam Bennett e a Deceuninck – QuickStep vão fazer de tudo para que, no caso de sprint compacto, o irlandês volte a vencer. É o melhor sprinter da atualidade e mesmo com dois objetivos, a equipa belga traz o melhor comboio.

Caleb Ewan é um dos mais rápidos, mas tem um problema de posicionamento que a equipa também não consegue melhorar. Hoje pode pagar caro o esforço de posicionamento de última hora e ficar impedido de lutar pela vitória. Ainda assim não deixa de ser um dos mais sérios candidatos à vitória na etapa. Ao contrário de pequenino Ewan, Pascal Ackermann, que também é candidato, adora estas chegadas, e apesar de em 2020 ter ficado aquém do esperado, é muito melhor em posicionamento quando comparado com Ewan.

As longas distâncias e o rendimento na etapa de ontem mostram que, mesmo depois de uma lesão no inverno, Giacomo Nizzolo é um sério candidato a vencer. O italiano já venceu em 2021, na Clássica de Almeria, e apesar de não ser o mais rápido, aguenta bem uma velocidade alta em longos períodos. A equipa terá um papel fundamental, mas poderá ser mesmo o fator decisivo pela negativa.

Por último, dentro da lista de grande candidatos, chega o homem da “casa”, Fernando Gaviria. O colombiano não entrou em 2021 da melhor forma, como havia feito em 2020. Em Almeria, com a melhor equipa que poderia ter em seu torno, falhou redondamente a vitória, ficando apenas na 17ª posição. Não há Rui nem Ivo Oliveira para preparar o lançamento e isso é preocupante, porque só há o seu lançador Richeze para o ajudar. Veremos o que o colombiano fará.

David Dekker deixou de ser um desconhecido, e a Jumbo quererá mostrar que o seu rapaz vale ouro. Bateu Viviani e Morkov num sprint mais pequeno, e não sabemos como será num sprint compacto, mas que se vai intrometer na luta, não há dúvidas.

Numa linha mais secundária, atenção a nomes como Phil Bauhaus, Matteo Moschetti, Elia Viviani, com o primeiro a dar-se bem nestes países, e ainda a Cees Bol, Luka Mezgec e Stefan Bissegger.

Favoritos Ciclismo Mundial:

⭐⭐⭐⭐⭐ Sam Bennett
⭐⭐⭐⭐ Pascal Ackermann, Caleb Ewan
⭐⭐⭐ Giacomo Nizzolo, Fernando Gaviria, David Dekker
⭐⭐ Phil Bauhaus, Matteo Moschetti, Elia Viviani, Luka Mezgec
⭐ Cees Bol, Stefan Bissegger, Riccardo Minali, Andrea Vendrame, Alberto Dainese, Riccardo Minali, Andrea Vendrame, Alberto Dainese

Transmissão e Horas de Partida

Poderá acompanhar a prova em direto na Eurosport 1 a partir das 10h45 ou então no nosso website no link abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock