Preparado para a luta, João?

Depois de mais um contrarrelógio neste Giro d’Itália, novamente com João Almeida a ganhar tempo a toda a concorrência, a prova continua com uma difícil etapa de alta montanha. A 15ª tirada inclui 185 km entre Base Aerea Rivolto e o alto de Piancavallo e 4 contagens de montanha, 3 de 2ª categoria e a contagem final, coincidente com a meta, uma 1ª categoria com 14.3 km de extensão e 7.9 % de inclinação média!

Perfil da 15ª etapa da Volta a Itália

Entre as 7 etapas que irão ainda ser disputadas neste Giro, uma é de contrarrelógio, uma será para sprinters, e outra é de média montanha, com 4 etapas de alta montanha que, a par do contrarrelógio, serão os dias cruciais para a luta pela geral e os testes mais exigentes à extraordinária forma de João Almeida! A concorrência está cada vez mais obrigada a atacar de modo a tentar encontrar alguma fragilidade no português, mas não se espere que o português fique apenas na defensiva!

A subida a Piancavallo é relativamente longa e dura, pelo que poderá ser uma boa oportunidade para tentar colocar os adversários em dificuldades. Equipas como a NTT e a Trek e mesmo a própria Astana deverão querer atacar esta etapa, já para não falar na Team Sunweb e na Bahrain-McLaren, não esperando por fases mais avançadas do Giro para colocar pressão sobre João Almeida e a Deceuninck-Quick Step. Será um dia que dificilmente dará para a fuga triunfar, fruto desses interesses no pelotão. O cenário mais provável é o de uma discussão entre os favoritos na subida final, embora não seja de excluir ataques nas ascensões anteriores.

Entre os favoritos, não se pode excluir que o próprio João Almeida ataque, no entanto, com a vantagem que possui, a estratégia correta será de correr um pouco mais na defensiva, deixando para quem tem tempo a recuperar as despesas da corrida. Dois nomes surgem à cabeça para atacarem amanhã. Domenico Pozzovivo (NTT) está claramente com vontade e forma para atacar, pelo que nesta fase ele será o favorito nº 1 para uma estar ao ataque nesta etapa, ele que certamente terá olhos na geral mas também na etapa. O mesmo pode ser dito de Vincenzo Nibali (Trek), sendo que o “Tubarão” acaba por ter uma responsabilidade maior de assumir a corrida e tentar recuperar o tempo perdido.

João Almeida deverá estar na defensiva, mas isso não significa que se contenha, caso surja alguma oportunidade de abrir mais uma frecha nas armaduras dos seus rivais. Se chegarmos com um grupo de favoritos aos últimos 4-5 km, não se pode excluir que Almeida tenha algo guardado para atacar a etapa e as bonificações, ele que no seu estilo canibal tanto tem lutado para vencer uma tirada. Num eventual sprint, ele será sempre o principal favorito.

No entanto, não será fácil que o pelotão se mantenha agrupado na subida final. São muitos os corredores que têm de recuperar tempo e também aqueles que gostam deste tipo de subidas mais longas e que poderão estar a reservar alguma energia para esta fase da corrida. Refiram-se nomes Rafal Majka, da BORA, que poderá beneficiar de Patrick Konrad estar no top 10 da geral, e o próprio Jakob Fuglsang (Astana), o mais atrasado dos favoritos já a 4:08 e, claro, Wilco Kelderman (Team Sunweb), o rival mais próximo de Almeida nesta altura, a 56 segundos.

Outros ciclistas em boa forma e que poderão estar em destaque neste final são Tao Geoghegan Hart (INEOS) e Brandon McNulty (UAE-Team Emirates). O jogo tático entre os favoritos pode abrir portas a ataques de homens pertencentes às segundas linhas das equipas como Hermann Pernsteiner (Bahrain-McLaren).

Claro que o cenário de uma fuga poder triunfar também existe. Se o grupo de escapados do dia for forte, as equipas poderão optar por guardar as forças para a subida final e mesmo para os próximos dias, em vez de estar a eliminar uma fuga para atacar a vitória na etapa. Um dos principais candidatos a integrar a fuga e a poder eventualmente concretizar a movimentação com uma vitória de etapa é Ruben Guerreiro (EF Pro Cycling). O Iceman de Pegões lidera a classificação da montanha e com muitos pontos em disputa nesta tirada, por ser dia para o português estar novamente ao ataque de longe.

Outros candidatos a triunfar a partir de uma fuga são a dupla da CCC, Attila Valter e Ilnur Zakarin, Tanel Kangert (EF Pro Cycling), ou Nicolas Edet (Cofidis).

Recorde-se que João Almeida parte para o seu 12º dia de cor-de-rosa, um recorde para um ciclista com menos de 23 anos. O ciclista das Caldas da Rainha possui 56 segundos sobre Kelderman, com Bilbao já a 2:11, McNulty a 2:23, Nibali a 2:30, Majka e Pozzovivo a 2:33. Masnada, Konrad, e Hindley completam o top 10 já a mais de 3 minutos do líder.

Favoritos Ciclismo Mundial

⭐⭐⭐⭐⭐ Domenico Pozzovivo
⭐⭐⭐⭐ Vincenzo Nibali e João Almeida
⭐⭐⭐ Rafal Majka, Jakob Fuglsang, e Wilco Kelderman
⭐⭐ Tao Geoghegan Hart, Brandon McNulty, Hermann Pernsteiner, e Patrick Konrad
⭐ Ruben Guerreiro, Attila Valter, Ilnur Zakarin, Tanel Kangert, e Nicolas Edet

Podes acompanhar a corrida em direto na Eurosport 1!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock