Palco montado para a luta de titãs!

Depois da demonstração de força e superioridade de Wout Van Aert no 1º dia de Tirreno-Adriático, a prova prossegue com a realização da 2ª etapa, uma ligação de 202 km, entre Camaiore e Chiusdino. A jornada começa de forma bastante suave, com vários km planos, no entanto, sensivelmente a partir de meio do percurso, o terreno começa a enrugar, com muitas subidas e descidas, curtas, mas pronunciadas a espaços. O sobe e desce culmina na subida para a meta, uma ascensão com 8 km, com inclinação reduzida, mas em crescendo até chegar perto dos 5% junto à linha de chegada. Este é um final propício a diversas possibilidades e que trará certamente muita emoção.

Perfil da 2ª etapa do Tirreno-Adriático

Favoritos

Com Wout Van Aert na liderança da prova, é expectável que a Jumbo-Visma, e outras equipas com interesse neste final, controlem as operações e possibilitem que um pelotão compacto aborde os km finais. Apesar de não muito inclinada, a subida final retira qualquer hipótese a ciclistas como Ewan, Viviani, ou Gaviria, mas o mesmo já não se pode dizer de nomes como Van Aert, Van der Poel, Sagan, ou outros homens rápidos. O final pode atrair as atenções de corredores como Tadej Pogacar ou João Almeida, que poderão olhar com bons olhos para uma movimentação vencedora perto do final.

A forma em que se encontram algumas das superestrelas presentes neste Tirreno-Adriático faz, de facto, antever um grande espetáculo. No topo dos favoritos, têm que ser colocados três nomes: Wout Van Aert, Julian Alaphilippe, e Mathieu Van der Poel. E depois do portentoso ataque com que o holandês nos brindou na última edição da Strade Bianche, não é possível apostar contra ele num final deste género.

A possibilidade de termos mais um duelo entre os titãs MVDP e WVA é bem possível e, se num sprint plano o favoritismo seria para Van Aert, num sprint em “punch”, neste momento parece ser Van der Poel o mais forte em teoria.

Para o campeão do mundo, Julian Alaphilippe, a subida não será tão inclinada quanto ele gostaria para fazer a diferença, mas certamente não se fará rogado de atacar, quem sabe com alguma distância, na esperança de não voltar a levar com um arranque furioso de Van der Poel perto da meta.

Como referido, este é um final que pode trazer movimentações muito interessantes. Não podemos descartar que ciclistas da qualidade de Tadej Pogacar e de João Almeida estejam na discussão da etapa, embora no caso do português possa ter que trabalhar para Alaphilippe em algum ponto da jornada.

O pelotão deste ano do Tirreno-Adriático está recheado de grandes nomes, não só em termos de voltistas e sprinters, mas também de “puncheurs”, muitos deles com qualidade para se poderem impor neste final, com destaque para ciclistas como Greg van Avermaet, Michal Kwiatkowski, Sergio Higuita, ou Alex Aranburu.

Num final deste género é possível incluir um lote alargado de favoritos, desde homens rápidos que se adaptam bem às inclinações finais, como Peter Sagan, Andrea Vendrame, Ivan Garcia Cortina, Luka Mezgec, Andrea Pasqualon, Gonzalo Serrano, Robert Stannard, Loic Vliegen, ou até mesmo Davide Ballerini, até escaladores com capacidade para finalizar com algum “punch”, como Egan Bernal, Valentin Madouas, Giulio Ciccone, ou Patrick Konrad, passando por homens versáteis como Tim Wellens, Alberto Bettiol, ou Simon Clarke. Refira-se que tubarões como Fuglsang, Thomas, ou Pinot dificilmente ganharão a jornada, mas estarão seguramente entre os mais bem colocados.

Poderá também ser um dia para novos nomes se afirmarem, havendo alguma expetativa para perceber o que farão ciclistas como Quinn Simmons ou Natnael Tesfatsion.

Favoritos Ciclismo Mundial

⭐⭐⭐⭐⭐ Mathieu Van der Poel
⭐⭐⭐⭐ Wout Van Aert e Julian Alaphilippe
⭐⭐⭐ Tadej Pogacar, Greg van Avermaet e Michal Kwiatkowski
⭐⭐ João Almeida, Sergio Higuita, Alex Aranburu e Andrea Vendrame
⭐ Peter Sagan, Ivan Garcia Cortina, Luka Mezgec, Andrea Pasqualon, Gonzalo Serrano, Robert Stannard, Loic Vliegen, Davide Ballerini, Egan Bernal, Valentin Madouas, Giulio Ciccone, Patrick Konrad, Tim Wellens, Alberto Bettiol, Simon Clarke, Quinn Simmons e Natnael Tesfatsion

Presença Portuguesa

Portugal contará com 3 corredores no Tirreno Adriático! São eles João Almeida, com o dorsal 82, Nelson Oliveira com o dorsal 183 e Ivo Oliveira com o dorsal 245.

Transmissão em Direto

Podes acompanhar a corrida em direto na Eurosport 2 a partir das 12h30!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock