Os lobos buscam sangue nas ruas de Turim!

A 1ª etapa da 104ª edição do Giro d’Italia irá consistir num contrarrelógio de 8.6 km corrido na cidade de Turim. O perfil da jornada será praticamente plano, apenas com oscilações muito ligeiras na altimetria, num percurso urbano sem grandes exigências técnicas, à exceção das poucas inversões de direção, o que irá favorecer os maiores especialistas da disciplina.

Percurso da 1ª etapa
Perfil da 1ª etapa

Favoritos

Para esta primeira tirada podem ser apontados três grandes favoritos à vitória, com vários nomes à espreita de se poderem intrometer na luta pela primeira liderança da prova.

No topo da hierarquia, surge o campeão francês Remi Cavagna, da Deceuninck Quick-Step, que este ano tem estado intratável nas provas contra o relógio. O gaulês terminou na 2ª posição nos contrarrelógios do Paris-Nice e da Volta à Catalunha, antes de vencer o esforço individual da Volta à Romandia. Vestir a camisola rosa no final do primeiro dia de Giro será, com toda a certeza, um dos grandes objetivos da época de Cavagna.

Apesar das dúvidas que podem pairar sobre a forma do companheiro de equipa de Cavagna, Remco Evenepoel, é esperado que o belga se apresente num nível razoável no início do Giro, o que pode bastar para o jovem prodígio belga se bater pelos primeiros lugares da etapa inaugural. Recorde-se que na época passada, antes da queda na Volta à Lombardia, Evenepoel tinha vencido os contrarrelógios da Volta ao Algarve e da Volta a San Juan, à frente de Rohan Dennis e de Filippo Ganna, respetivamente, pelo que se a condição estiver lá, o pequeno monstro vai com toda a certeza voltar a dar espetáculo!

Pode parecer algo estranho o nome de Filippo Ganna apenas surgir em terceiro no ranking de favoritos para um contrarrelógio, no entanto, o campeão do mundo da especialidade tem perdido algum fulgor nos tempos mais recentes e o domínio absoluto sobre a concorrência parece ter desvanecido um pouco. Apesar das vitórias nos contrarrelógios da Etoile de Bessèges e do UAE Tour, o Ferrari de Ímola acabou por ser 3º na prova do Tirreno-Adriático e apenas 10º no esforço individual da Volta à Romandia. A forma de Ganna esteve sempre lá, como demonstrou através do trabalho de gregário nas montanhas, pelo que poderá ter havido alguma gestão do italiano nos tempos mais recentes, quem sabe tendo em visto este início de Giro, onde tão bem saberia vestir de rosa logo a abrir!

Num patamar muito próximo destas três locomotivas colocamos o Canibal das Caldas, João Almeida, mais um dos lobos do Wolfpack que estará em busca de sangue pelas ruas de Turim! O talento do jovem luso nas diversas modalidades do ciclismo de estrada é inegável, sendo uma das suas grandes armas o contrarrelógio. Nas três provas contra o relógio do Giro de 2020, o ciclista da Deceuninck fez 2º, 6º, e 4º, e no ano de 2021 coleciona já um 6º lugar no ITT do UAE Tour, um 7º no do Tirreno-Adriático, e um 3º no da Volta à Catalunha, onde foi batido apenas por Cavagna e Dennis. Uma eventual vitória do lusitano neste curto contrarrelógio de abertura já não será de todo uma surpresa.

A 1ª etapa de uma grande volta, em especial sendo um contrarrelógio, representa uma jornada imprevisível, onde os especialistas têm alguma vantagem, mas onde os homens da geral quererão estar em bom nível e onde os próprios sprinters que tenham boa capacidade de rolar irão dar tudo para se manterem em distância de contacto da camisola rosa, podendo atacar a mesma nas etapas mais fáceis dos primeiros dias.

Nesse sentido, refiram-se ciclistas como Patrick Bevin, Victor Campenaerts, Tobias Foss, Alberto Bettiol, Edoardo Affini, e claro Nelson Oliveira. O ciclista da Movistar preferiria com certeza uma distância maior para se poder bater com a forte concorrência, embora não seja de excluir um grande resultado do português. Há menos de um mês, no contrarrelógio de 14 km da Volta à Comunidade Valenciana, Oliveira foi 2º, batido apenas pelo campeão europeu da especialidade, Stefan Küng, pelo que não podemos excluir o homem de Anadia de um resultado de topo a abrir o Giro!

Olhando ao resto do pelotão, encontramos diversos nomes que irão certamente lutar por um lugar de destaque no contrarrelógio de Turim: Gianni Moscon, Jan Tratnik, Daniel Martinez, ou ainda sprinters como Max Walscheid ou o próprio Hulk de Zilina, Peter Sagan.

Muitos outros especialistas poderiam ser incluídos nesta análise, e é provável que alguns destes homens integrem o top 10 da jornada, mas a maioria deles precisava de uma distância maior para se poder impor. Falamos de corredores como Jos Van Emden, Alex Dowsett, Michael Hepburn, Matthias Brändle, Jonathan Castroviejo, Thomas de Gendt, Luis Leon Sanchez, Maciej Bodnar, ou Damiano Caruso.

Favoritos Ciclismo Mundial

⭐⭐⭐⭐⭐ Remi Cavagna
⭐⭐⭐⭐ Remco Evenepoel e Filippo Ganna
⭐⭐⭐ João Almeida, Patrick Bevin e Victor Campenaerts
⭐⭐ Tobias Foss, Alberto Bettiol, Edoardo Affini e Nelson Oliveira
⭐ Gianni Moscon, Jan Tratnik, Daniel Martinez, Max Walscheid e Peter Sagan

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock