“Need for speed”!

A 13ª etapa do Giro d’Italia representa uma jornada totalmente plana, numa distância de 198 km, entre Ravenna e Verona. O perfil do percurso não apresenta variações de altimetria e o final será em linha reta até ao risco de meta, no coração de Verona.

Perfil da 13ª etapa da Volta a Itália

Ao contrário do que tem sucedido em muitas das etapas deste Giro, onde as fugas têm imperado, esta deverá ser uma tirada controlada de forma apertada pelas equipas dos sprinters, garantindo uma chegada em pelotão compacto. A única condicionante que pode alterar o status quo será mesmo o vento, embora não deva impedir o sprint massivo.

Até ao final do Giro, são escassas as hipóteses dos sprinters de poderem discutir a vitória. De facto, a única hipótese além da jornada de hoje será, provavelmente, na etapa 15, embora nesse dia existam algumas subidas, curtas, mas íngremes, que podem colocar problemas aos velocistas que subam menos bem.

Favoritos

Assim, há ciclistas que olham para o dia de hoje como a sua melhor chance para levantar os braços antes de Milão, em particular Dylan Groenewegen. Desde o final da sua suspensão, o torpedo da Jumbo-Visma tem estado ainda um pouco longe do seu melhor nos sprints, apresentando o habitual sofrimento nas etapas de montanha. Ainda assim, o holandês terá certamente sofrido nos últimos dias com a mente focada na etapa de hoje, onde é um dos velocistas que melhor se adapta a este final.

Note-se que, na ausência de Tim Merlier e Caleb Ewan, Groenewegen será, teoricamente, o mais rápido do pelotão, mesmo que não esteja ainda a 100%. A maior pecha para o holandês será a capacidade de colocação no final, num sprint de peito ao vento, onde equipas como a BORA ou a UAE-Team Emirates podem tentar forçar o lançamento dos seus sprinters, deixando mal colocados aqueles com menos presença na frente do pelotão. De qualquer forma, esta é a grande oportunidade para Groenewegen, não sendo de admirar que abandone o Giro depois desta etapa, à semelhança do que fizeram Merlier e Ewan.

O grande rival de Groenewegen poderá ser o eterno segundo nas etapas do Giro, o campeão da Europa, Giacomo Nizzolo (Qhubeka Assos), que terá neste dia uma estupenda oportunidade para quebrar a sua malapata. Na luta deverão estar igualmente Elia Viviani, Fernando Gaviria, Peter Sagan, Davide Cimolai, Matteo Moschetti, Max Kanter, Alexander Krieger, Stefano Oldani, com ciclistas como Filippo Fiorelli, Riccardo Minali, Vincenzo Albanese, Lawrence Naesen, Andrea Pasqualon, e ainda o vencedor da etapa de ontem, Andrea Vendrame, à espreita por um resultado entre os melhores da jornada.

Recorde-se que o líder da classificação dos pontos é Peter Sagan, com uma curta vantagem sobre Fernando Gaviria e Davide Cimolai, pelo que terá neste dia uma etapa-chave. Se hoje conseguir terminar entre os melhores, o eslovaco terá o conforto de poder ir buscar alguns pontos em etapas de montanha, algo que os seus rivais dificilmente conseguirão, e assim resolver a questão da maglia ciclamino.

Refiram-se ainda os lançadores David Dekker, Juan Sebastian Molano, e Simone Consonni, três nomes que podem tentar surpreender as equipas rivais neste final.

Favoritos Ciclismo Mundial:

⭐⭐⭐⭐⭐ Dylan Groenewegen

⭐⭐⭐⭐ Giacomo Nizzolo e Elia Viviani

⭐⭐⭐ Fernando Gaviria, Peter Sagan e Davide Cimolai

⭐⭐ Matteo Moschetti, Max Kanter, Alexander Krieger, e Stefano Oldani

⭐ Filippo Fiorelli, Riccardo Minali, Vincenzo Albanese, Lawrence Naesen, Andrea Pasqualon, Andrea Vendrame, David Dekker, Juan Sebastian Molano, e Simone Consonni

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock