Menos conversa, mais pedal!

A etapa 8 da Volta a Portugal traz uma jornada de 160.7 km, com partida em Bragança chegada em Montalegre, mais em concreto no alto da Serra do Larouco. Esta será uma das duas jornadas de montanha decisivas, em conjunto com a chegada à Senhora da Graça no dia de amanhã, e que antecedem o contrarrelógio final em Viseu.

Hoje, o pelotão enfrenta um dia bem duro, com três contagens de montanha e diversas subidas não categorizadas. No início da tirada, os ciclistas encontram logo dois sprints intermédios, rodando depois em direção à primeira montanha categorizada, uma subida de 2ª categoria para Bolideira (4.5 km a 4.4%).

Segue-se depois nova meta volante e nova subida, esta de 1ª categoria, para Torneiros, uma dificuldade com 4.8 km de extensão a 8.2 % de pendente média, mas com zonas bem íngremes, acima dos 14%! Depois, os ciclistas irão dirigir-se para Montalegre, onde encontram o último sprint intermédio, que estará colocado antes do início da subida final, também ela de 1ª categoria. A ascensão para a Serra do Larouco inclui 8.6 km a 6.1% de pendente, com uma segunda metade bem difícil, que apresenta zonas acima dos 9%.

Perfil da etapa 8 da Volta a Portugal

Favoritos

Hoje será um dia decisivo para as contas da geral. Rafael Reis está na liderança, mas à partida não será ele a referência para os grandes favoritos, perante uma jornada que claramente não é a sua praia. Note-se que no 2º posto da CG está Alejandro Marque, ele que será um favorito para o contrarrelógio, o que significa que os trepadores do pelotão, particularmente da W52-Porto e da Efapel, não podem deixar escapar esta oportunidade de colocar tempo sobre o espanhol. Será muito perigoso deixar essa missão para o último dia de montanha, pelo que hoje é dia para os escaladores mostrarem o que valem.

Assim, o grande favorito para hoje tem de ser Amaro Antunes, da W52-Porto. O campeão em título da Volta já mostrou a sua qualidade em muitas das subidas, mas à exceção da etapa 4 com chegada à Guarda ainda não foi capaz de materializar os seus ataques em tempo efetivo na estrada. Se não for capaz de fazer a diferença hoje, começa a tornar-se bem complicado o sonho de vencer a sua terceira Volta.

O grande rival de Antunes poderá muito bem ser Frederico Figueiredo, da Efapel, ele que tem sido uma autêntica lapa em muitas das movimentações dos azuis e brancos e que será um perigo se for levado confortavelmente até perto do final. Ainda assim, será mais um homem que sabe que tem de atacar e ganhar tempo se quiser sonhar com a amarela.

Tanto a W52-Porto como a Efapel têm várias cartas para jogar na luta pela etapa e pela geral: Joni Brandão e João Rodrigues do lado dos azuis, e Mauricio Moreira e António Carvalho, da parte dos amarelos. Refira-se que se não houver grandes diferenças entre os favoritos perto do final, o uruguaio será o grande candidato a bater toda a concorrência, como tem feito recorrentemente quando o grupo de favoritos chega junto à meta.

Nesta batalha pela supremacia da Grandíssima há, ainda assim, alguns outsiders, que terão hoje um dia para mostrar que também contam para a discussão da vitória, em particular o jovem Abner Gonzalez (Movistar), que tão boa conta tem dado de si em tão dura prova.

Este será um dia-chave para Alejandro Marque (Atum General/Tavira), onde a sua experiência e o apoio de Gustavo Veloso serão inestimáveis e fulcrais na missão de se manter em contacto com os lugares cimeiros da geral, o que lhe permitiria discutir a Volta no contrarrelógio.

Entre os melhores deverão estar também Henrique Casimiro (Kelly/Simoldes/UDO), Joaquim Silva (Tavfer-Measindot-Mortágua), José Félix Parra (Kern Pharma), Vicente García de Mateos (Antarte-Feirense), e Tiago Antunes ( Tavfer-Measindot-Mortágua).

Claro que não se pode negar totalmente a possibilidade de uma fuga vir a triunfar neste dia, pelo que nomes como Mason Hollyman (Israel Cycling Academy), Tomas Contte (Louletano), Bruno Silva (Antarte-Feirense), César Fonte (Kelly/Simoldes/UDO), Juan Diego Alba (Movistar), Marvin Scheulen (LA Alumínios), ou Ben King (Rally Cycling) devem ser tidos em conta.

Favoritos Ciclismo Mundial

⭐⭐⭐⭐⭐ Amaro Antunes
⭐⭐⭐⭐ Frederico Figueiredo e Mauricio Moreira
⭐⭐⭐ Joni Brandão, João Rodrigues, e António Carvalho
⭐⭐ Abner Gonzalez, Alejandro Marque, Henrique Casimiro, e Joaquim Silva
⭐ José Félix Parra, Vicente García de Mateos, Tiago Antunes, Mason Hollyman, Tomas Contte, Bruno Silva, César Fonte, Juan Diego Alba, Marvin Scheulen, e Ben King

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock