Mais uma oportunidade para o campeão!

Depois de mais uma demonstração de força de Primoz Roglic no contrarrelógio da 13ª etapa, que viu o esloveno recuperar a liderança da prova a Richard Carapaz, a Volta a Espanha continua com a 14ª jornada da prova.

Hoje, os ciclistas enfrentam uma ligação de 204.7 km entre Lugo e Ourense e um perfil rugoso de média montanha que irá tornar a corrida algo imprevisível. Serão três contagens de 3ª categoria, além de muitas outras curtas subidas não categorizadas, uma delas no acesso à meta, uma rampa de 1.1 km e 6.5 % de inclinação média!

Perfil da 14ª etapa da Volta a Espanha

Este não será um dia para ser disputado pelos homens mais rápidos do pelotão nem pelos homens da geral, o que significa que poucas equipas terão real interesse em controlar a corrida. Apenas uma ou outra equipa, como por exemplo a Astana, poderia ter interesse em perseguir e preparar a chegada para um corredor como Alex Aranbur, no entanto, é difícil de imaginar que controlem estes mais de 200 km de jornada. Assim, a fuga terá uma forte chance de triunfar e, nesse cenário, um largo leque de corredores surge como candidato a levar a etapa.

Entre os principais favoritos a vencer a partir da fuga está claramente o campeão português Rui Costa (UAE-Team Emirates), ele que tantas vezes tem tentado estar presente na frente e que tem nesta etapa mais um dia ao seu estilo. Se Rui Costa estiver inserido num grupo reduzido para discutir a jornada nos metros finais, será um sério candidato a ser o mais forte neste tipo de inclinação.

A par do português, uma série de nomes podem ser apontados como potenciais vencedores, tanto ciclistas que estão em boa forma como corredores que podem tirar partido do perfil relativamente suave da jornada: Omar Fraile (Astana), Tim Wellens (Lotto Soudal), Andrea Bagioli (Deceuninck-Quick Step), Magnus Cort (EF Pro Cycling), Robert Stannard (Mitchelton-Scott), Gorka Izagirre, Luis Leon Sanchez, Alex Aranburu (Astana), Michael Valgren (NTT), Nick Schultz (Mitchelton-Scott), Guillaume Martin (Cofidis), Davide Formolo, ou Sergio Henao (UAE-Team Emirates).

Refira-se que, caso a fuga não resulte, nomes Bagioli, Cort, Aranburu, Stannard, e mesmo Wellens e Rui Costa serão também candidatos a discutir um sprint neste tipo de final a partir do pelotão. Nesse cenário, é impossível de não referir aquele que tem sido o canibal desta Vuelta, o monstro esloveno, o besouro assassino, Primoz Roglic (Team Jumbo-Visma), que não dirá que não a mais uma vitória, se perceber que está em condições de bater a concorrência, o que lhe daria também mais uns preciosos segundos na luta pela geral!

Favoritos Ciclismo Mundial:

⭐⭐⭐⭐⭐ Rui Costa

⭐⭐⭐⭐ Omar Fraile e Tim Wellens

⭐⭐⭐ Andrea Bagioli, Magnus Cort, e Robert Stannard

⭐⭐ Gorka Izagirre, Luis Leon Sanchez, Alex Aranburu, e Michael Valgren

⭐ Nick Schultz, Guillaume Martin, Davide Formolo, Sergio Henao, e Primoz Roglic

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock