Giro despede-se da Sicília com etapa ao sprint e português no comando!

Depois de um dia que ficará para sempre marcado na história do desporto português, a quarta etapa do Giro d’Itália terá João Almeida a alinhar com a emblemática maglia rosa! A tirada será disputada numa ligação de 140 km entre Catania e Villafranco Tirrena, muito perto de Messina, a terra do “Tubarão do Estreito”, Vincenzo Nibali. Contudo, este não será, à partida dia para o ciclista da Trek-Segafredo ou para grandes movimentações na classificação geral. Naquela que será a última jornada corrida na ilha da Sicília, os ciclistas enfrentam apenas uma contagem de montanha de terceira categoria, colocada simetricamente a meio da etapa.

Depois de contrarrelogistas no primeiro dia, de puncheurs no segundo, e de trepadores no terceiro, o quarto dia de prova poderá finalmente ser o dia dos sprinters. No entanto, esta pode não ser uma previsão linear, uma vez que a contagem de terceira tem 12.4 km a 5.2%, o que pode dar ideias a ataques ou a endurecimentos de corrida para afastar homens mais pesados da discussão da etapa. A juntar a isto, estamos a falar da Volta a Itália, onde muitas estradas são estreitas e sinuosas e em cada recanto há uma armadilha, tornando a tarefa de controlar o pelotão e preparar as chegadas muito difícil.

Perfil da quarta etapa da Volta a Itália

Não obstante, esta deverá ser uma chegada em pelotão compacto. Diversos homens rápidos marcam presença nesta edição do Giro, no entanto, por aquilo que se pode aferir da forma dos corredores e pelas características dos mesmos, o eslovaco Peter Sagan (BORA-hansgrohe) terá que ser apontado como favorito para uma etapa que pode ser dura e onde a velocidade de ponta não será um factor exclusivo para a vitória na etapa. Mesmo assim, o Hulk de Zilina parece estar num bom momento após a participação na Volta a França e todos sabem como ele pode ser difícil de bater após um dia de luta em cima da bicicleta.

Em termos de sprinters puros, na linha de frente deverá estar o campeão francês Arnaud Démare (Groupama-FDJ), que na teoria será o mais rápido do pelotão, possuindo também ele bastante resistência. De seguida, refiram-se o colombiano Fernando Gaviria (UAE-Team Emirates) e o australiano Michael Matthews (Team Sunweb) como ciclistas que se podem impor num dia como este. O italiano Elia Viviani (Cofidis) quererá certamente estar na luta pela etapa, embora a equipa apresente também Simone Consonni como opção viável. A Deceuninck-Quick Step, do líder João Almeida, conta com Davide Ballerini e Álvaro Hodeg, e sendo o colombiano o sprinter mais puro, a opção para a etapa poderá ser o italiano. Já a Israel Start-Up Nation vai a jogo nesta etapa com um trio na mão: o italiano Davide Cimolai, o francês Rudy Barbier, e o alemão Rick Zabel.

Outros nomes que poderão estar em evidência, embora com poucas hipóteses para discutir a vitória, são Ben Swift (INEOS), Jonathan Restrepo (Androni), e Sebastian Molano (UAE-Team Emirates), ou até mesmo ciclistas com o perfil de Enrico Battaglin (Bahrain-McLaren) ou Andrea Vendrame (AG2R La Mondiale).

Espera-se um dia tranquilo, na medida do possível, para os homens da geral e para o líder (da geral e da juventude), sendo previsível que, perante uma chegada compacta, o ciclista das Caldas da Rainha mantenha o primeiro lugar sobre Jonathan Caicedo (EF Pro Cycling), segundo classificado com o mesmo registo de Almeida, e sobre Pello Bilbao (Bahrain-McLaren), terceiro a 37 segundos.

⭐⭐⭐⭐⭐ Peter Sagan
⭐⭐⭐⭐ Arnaud Démare e Fernando Gaviria
⭐⭐⭐ Michael Matthews, Elia Viviani e Davide Ballerini
⭐⭐ Álvaro Hodeg, Davide Cimolai, Rudy Barbier e Rick Zabel
⭐ Simone Consonni, Ben Swift, Jonathan Restrepo, Sebastian Molano, Enrico Battaglin e Andrea Vendrame

Podes acompanhar a etapa em direto na Eurosport 2 a partir das 12h!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock