Final armadilhado pode baralhar as contas dos sprinters!

Disputa-se hoje a etapa 4 da La Vuelta a España, com uma jornada de 163.9 km, entre El Burgo de Osma e Molina de Aragón.

Não existirão quaisquer contagens de montanha a ultrapassar neste dia, no entanto, não será uma tirada completamente plana, com o perfil a apresentar-se algo acidentado em alguns setores. Ainda assim, as condições do percurso não deverão evitar um sprint em massa no final da jornada, que será, no entanto, algo condicionado pelo final técnico e em subida. A informação veiculada pela organização apontava para 500m finais a cerca de 2,3%, mas aparentemente essa informação pode não ser precisa e esse valor pode até ultrapassar os 4%!

Perfil da etapa 4 da La Vuelta

Favoritos

Além do percurso propiciar um final em pelotão compacto, o vento deverá ser quase inexistente, proporcionando menos uma dor de cabeça aos corredores. O principal fator que irá condicionar a disputa da etapa será mesmo a inclinação nos metros finais, algo que poderá alterar a hierarquia entre os homens mais rápidos do pelotão.

Como principal favorito iremos apontar para o belga Jasper Philipsen, da Alpecin-Fenix, que já venceu nesta Vuelta e que é alguém que se dá bem com este tipo de finais. O comboio da formação belga não é o mais forte do pelotão, mas conta ainda assim com Alexander Krieger e Sacha Modolo, que poderão ajudar a fazer a diferença neste final.

O grande adversário de Philipsen poderá ser o francês Arnaud Démare, da Groupama-FDJ, um corredor que também se adapta bem a estas chegadas e que terá velocidade para se bater com qualquer adversário.

Como referido, este final altera a hierarquia de favoritos, acabando por favorecer nomes como Michael Matthews e Sebastian Molano em relação a homens habitualmente mais velozes, como Fabio Jakobsen. Aliás, se se vier a comprovar que os metros finais sobem a 4%, poderá muito ser “Bling” Matthews a principal ameaça de Philipsen.

Outros dois bons sprinters que se podem mostrar neste final são Davide Cimolai e Jordi Meeus, restando saber no caso do belga como está a sua condição física após a queda na etapa 2.

O pelotão desta Vuelta não tem muitos sprinters puros mas não faltam homens com excelente ponta final, sendo que muitos deles irão beneficiar do final em subida. Falamos de nomes como Jon Aberasturi, Matteo Trentin (que poderá muito bem ser a aposta da UAE-Team Emirates em detrimento de Molano), Alex Aranburu, Magnus Cort, Clement Venturini, Juan Jose Lobato, Florian Vermeersch, Piet Allegaert, ou Reinardt van Rensburg. Há ainda Alberto Dainese e Martin Laas, o estónio que poderá atacar o final se Meeus não estiver nas melhores condições, no entanto, ambos deverão ser prejudicados pelo final pouco plano.

Num nota final, refira-se que se o assomo à meta for efetivamente duro, não é impossível que Primoz Roglic tente atacar a vitória na etapa.

Favoritos Ciclismo Mundial

⭐⭐⭐⭐⭐ Jasper Philipsen
⭐⭐⭐⭐ Arnaud Demare e Michael Matthews
⭐⭐⭐ Sebastian Molano, Fabio Jakobsen, e Davide Cimolai
⭐⭐ Jordi Meeus, Jon Aberasturi, Matteo Trentin, e Alex Aranburu
⭐ Magnus Cort, Clement Venturini, Juan Jose Lobato, Florian Vermeersch, Piet Allegaert, Reinardt van Rensburg, Alberto Dainese, Martin Laas, Primoz Roglic

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock