E depois do sonho?

A 20ª e penúltima etapa da 103ª edição do Giro d’Itália representa a última jornada de montanha da competição e antecede o contrarrelógio final de Milão. Esta ligação também sofreu alterações ao inicialmente pensado, estas no entanto anunciadas com mais antecedência do que aquilo que aconteceu na etapa de ontem, cortada para metade minutos antes do seu início!

Perante a proibição, por parte das autoridades francesas, da passagem do Giro em algumas localidades do lado francês, a organização do Giro optou por cancelar a passagem da etapa 20 em território francês, particularmente a subida ao Izoard, escolhendo fazer a subida final de Sestriere por três ocasiões.

Assim, os ciclistas partirão de Alba e percorrerão 190 km, completando por 3 vezes a subida a Sestriere, a última das quais uma ascensão de 1ª categoria, com 6.9 km a 7.2%! Esta poderá muito bem ser a jornada que irá decidir a competição, embora o contrarrelógio de 15 km do último dia possa ainda permitir recuperar distâncias não muito elevadas.

Perfil da 20ª etapa da Volta a Itália

A Sunweb, depois de na quinta-feira ter optado por uma tática arrojada, deixando o seu líder isolado e permitindo ao nº 2 da equipa seguir o principal rival de ambos na classificação geral, tem neste momento a rosa do seu lado mas tem também tudo a perder! A forma como a etapa de hoje será jogada está intimamente ligada à forma como a Sunweb jogou na quinta-feira. De forma objetiva, podemos afirmar que se Hindley tem ficado junto a Kelderman na subida do Stelvio, deixando Geoghegan Hart seguir sozinho, o britânico ganhava a etapa mas a dupla Kelderman/Hindley não iria perder tanto tempo para Hart como Kelderman perdeu para a dupla Hart/Hindley. A diferença de 15 segundos que separa neste momento Kelderman de Hart podia ser muito maior se Hindley tivesse ficado junto do seu líder no Stelvio! Claro que Hindley, que acabou por ficar em 2º a 12 segundos de Kelderman, teria ficado mais longe na geral e deste modo está à frente de Hart, sabendo contudo que facilmente perde a sua vantagem no contrarrelógio. A Sunweb pode fazer 1º e 2º no Giro mas também se arrisca a ver Hart a recuperar a diferença que tem para os dois Sunweb, o que seria um verdadeiro vexame depois da tática da equipa na etapa do Stelvio.

Com um ciclista seu a 15 segundos da vitória, com duas etapas para disputar, a INEOS irá certamente querer fazer valer o seu estatuto de uma das melhores equipas do mundo em voltas de três semanas. Depois do extraordinário trabalho de Rohan Dennis na quinta-feira, que destruiu completamente o grupo de favoritos, incluindo Kelderman, é seguro dizer que a INEOS irá colocar todas as suas fichas nesta etapa, tentando que Geoghegan Hart ganhe tempo aos dois Sunweb, de preferência criando algum conforto para o contrarrelógio de domingo, especialmente sobre Kelderman.

Com o apoio da sua equipa, o britânico deve ser considerado o principal favorito à vitória na etapa. O único ciclista que parece ser capaz de bater Hart nesta fase do Giro é Jai Hindley. O nº 2 da Sunweb teve uma tática arrojada na quinta-feira, mas entretanto o australiano disse que irá defender Kelderman com todas as suas forças, referindo que o holandês é o líder da equipa e da competição. Mas, e se Hart atacar novamente e Kelderman não responder, Hindley fica ou vai? Se foi na quinta-feira, desta vez terá mesmo de ir, uma vez que na geral está 3 segundos à frente de Hart. O problema é que se chegarem juntos, Hart vai recuperar os 3 segundos de desvantagem no contrarrelógio final, onde Kelderman pode já estar completamente fora das contas!

Se a etapa não cair para Hart ou para Hindley, poderá muito bem ficar para um dos homens da geral que mais tem subido de forma e rendimento ao longo da competição, Jakob Fuglsang (Astana). O dinamarquês provou que está a subir a um nível muito alto e, com 4 minutos de desvantagem para Kelderman, pode ter alguma liberdade se atacar rumo à vitória.

Ao fim de 3 semanas de competição é sempre difícil de dizer quem estará ainda com alguma frescura nesta fase da competição e quem estará na disposição de atacar. Pensamos, claro, em corredores como Vincenzo Nibali (Trek), que quererá tentar melhorar o seu 8º posto. Esperamos, como sempre, o melhor do “Tubarão”, pelo que acreditamos que irá fechar com chave de ouro esta que poderá ser uma das suas últimas grandes lutas por uma classificação geral de uma grande volta. Entre os melhores deverá estar também o camisola rosa Wilco Kelderman, assim como Pello Bilbao (Bahrain-McLaren), que terá os olhos postos num possível ataque ao pódio.

Quem estará também com toda a certeza entre os melhores do dia é o português, o Canibal das Caldas, João Almeida. A mudança de percurso desta etapa e a alteração do tipo de subidas terá com certeza agradado ao corredor da Deceuninck-Quick Step, e não será descabido que a equipa belga e o seu jovem líder tentem armadilhar esta etapa, tendo em vista a recuperação de alguns segundos ao 4º classificado, Pello Bilbao, e eventualmente ao trio da frente, esperando-se que no contrarrelógio do último dia Almeida concretize a recuperação na geral. A 57 segundos do 4º posto, a 2:01 do pódio, e mesmo a 2:16 da rosa, Almeida não deu ainda o seu Giro por concluído!

Temos consciência que estamos a falar de “recuperação na geral” como se Almeida fosse um veterano do pelotão como Nibali, procurando que o seu Giro não seja “assim tão mau”. Obviamente que apenas referimos esta possibilidade de ainda recuperar tempo na geral devido ao enorme valor de João Almeida, não lhe sendo exigido absolutamente mais nada após tão incrível participação. Mas objetivamente, Almeida está bem e parece que mais facilmente sobe do que desce na geral.

Estamos a falar de um ciclista de 22 anos que se está a estrear em grandes voltas! A dimensão do seu potencial é algo de indescritível, como o constatou todo o pelotão e todo o mundo velocipédico e não só, depois de três semanas de luta, de liderança, de força, de raça, de caráter, terminando um Giro d’Itália lutando entre alguns dos melhores corredores do mundo!

O final da etapa do Stelvio, que dita o adeus à rosa, é sintomático da presença que a figura de João Almeida ganhou dentro do pelotão. Pedalando cansado mas convicto, de cabeça ao alto, cruzou a meta levando atrás de si Nibali que parecia quase que escondido atrás do português, como que querendo deixar as luzes, o destaque, o spotlight, em cima de João Almeida, em sinal de reconhecimento por aquilo que fez durante estas três semanas. O cumprimento do siciliano ao lusitano no final da etapa ficou também expresso nas redes sociais de Nibali, com uma nota para o grande valor do ciclista luso!

Em relação a outros candidatos à etapa 20, entre os melhores da jornada deverão estar os restantes elementos do top 10 e arredores, nomeadamente a dupla da BORA, Patrick Konrad e Rafal Majka, que gostariam certamente de melhorar os seus 7º e 10º lugares, respetivamente, assim como Herman Pernsteiner, 12º, ou o próprio Fausto Masnada, 9º a 6:46, que, agora que não terá tanta responsabilidade na proteção a João Almeida, poderá pensar mais na sua geral final.

Numa etapa tão importante como esta será muito difícil de uma fuga resultar, no entanto, o mesmo pode acontecer numa fase tão adiantada da prova. Nesse caso, um dos principais nomes a ter em conta será Ben O’Connor, que tantas vezes tem estado escapado e que tão boa forma tem mostrado neste Giro. O australiano poderá vencer a partir de uma fuga novamente, mas no caso de estar junto dos favoritos perto do final, será também um candidato a vencer a partir de um ataque.

Para uma possível fuga, refiram-se ainda nomes como James Knox, Thomas de Gendt, Ilnur Zakarin, ou ainda claro está, o Iceman de Pegões, Ruben Guerreiro! Após garantir uma histórica vitória na classificação da montanha do Giro, será que o português vai descontrair um pouco, jogando pelo seguro na direção a Milão, ou irá tentar juntar mais uma pincelada à obra prima que pintou neste Giro? As hipóteses de arriscar a fuga são escassas claro, mas a nossa menção acaba por ser mais em forma de homenagem a estas fabulosas três semanas de prova do ciclista da EF Pro Cycling!

Favoritos Ciclismo Mundial

⭐⭐⭐⭐⭐ Tao Geoghegan Hart
⭐⭐⭐⭐ Jai Hindley e Jakob Fuglsang
⭐⭐⭐ Vincenzo Nibali, Wilco Kelderman, e Pello Bilbao
⭐⭐ João Almeida, Patrick Konrad, e Rafal Majka, e Fausto Masnada
⭐ Ben O’Connor, James Knox, Thomas de Gendt, Ilnur Zakarin, e Ruben Guerreiro

Podes acompanhar a etapa em direto na Eurosport!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock