Dia de Alejandro I (Valverde) brilhar?

O colombiano Esteban Chaves (Team BikeExchange) e o espanhol Alejandro Valverde (Movistar) continuam o seu “renascimento” por terras catalãs, numa grande etapa em que a equipa da Ineos Grenadiers assaltou por completo o pódio da corrida e ocupa agora as 3 primeiras posições. Esse domínio pode, no entanto, ficar sob ataque na 5ª etapa da corrida, que na verdade parece um dia para explorar as fragilidades da Ineos em terrenos não sempre a subir, e os segundos de bónus podem ser fatores importantes.

Perfil

Perfil da Etapa 5 da Volta a Catalunya

Com uma distância de 201km, este é um longo dia que ligará La Pobla de Segur a Manresa. Essencialmente, é uma longa jornada para sudeste, longe das montanhas e em direção à costa. A etapa começa com uma subida de 3ª categoria, o Coll de Comiols, com 7.9km a 5% de pendente média, que é uma subida relativamente suave. Depois é sempre a descer até a uma fase totalmente plana com os dois sprints intermédios ao km 105.5 e 140.4. Logo após o segundo sprint intermédio, a etapa entra num circuito de 60km de área montanhosa no sul da cidade de Manresa. Primeiro subindo uma colina não categorizada de 4.8km a 4.3% de pendente média, antes de chegar o grande desafio do dia, uma subida de primeira categoria, o Port de Monserrat, com 7.5km de extensão a 6,5% de pendente média, com as rampas mais duras a 12% de pendente. A subida é muito regular, com o pico ao km 175, isto é a 26.1km do final. Seguir-se-á um pequeno planalto e uma longa descida até aos últimos 2km da etapa, que são totalmente planos. O final é bastante técnico com curvas apertadas, e poderá dar margem a que algum ciclista escapado consiga triunfar em solitário.

A etapa oferece um total de 2431m de desnível positivo de altitude.

Favoritos

Depois de dois dias nos Pirenéus, há a tradição da classificação geral pouco ser alterada, mas a realidade é que as diferenças não são assim tão significativas, e num dia como hoje a Ineos pode perder tudo. Não há dúvidas que Alejandro Valverde quererá terminar a carreira com um bom resultado na Catalunha, onde se estreou há 19 anos! O espanhol está a 18s do pódio, algo que poderá conseguir fechar só com bonificações. A realidade é que há duas etapas que Valverde tem poder e potencial para vencer – hoje e domingo. Por isso acredito que hoje poderá ser o dia de Valverde. Tem se mostrado muito bem aqui na Catalunha depois de ter desiludido antes, mas os ares de casa fazem-lhe mais novo.

E quem será o seu principal adversário? João Almeida é claro! Juntos podem fazer uma dupla invencível em dias como hoje e deixar para trás os homens que estão nos lugares cimeiros do pódio. Almeida já provou no Giro d’Itália que tem uma ponta final muito explosiva, quando, por exemplo, perdeu apenas para Diego Ulissi (UAE Team Emirates) na etapa 13 da prova italiana, ou na etapa 10, em que foi o primeiro do grupo principal num sprint também com os outros candidatos. Os segundos de bonificação fazem-lhe também muito jeito para recuperar posições.

Por outro lado, se a corrida não for muito atacada por homens da geral, podemos ver Daryl Impey a ser o mais rápido numa chegada ao sprint com um grupo reduzido. Apesar de algo improvável, Impey pode aguentar-se bem com os homens da geral ou inclusive entrar na fuga do dia. Um outro grande homem para o dia de hoje chama-se Marc Hirschi, que, tal como Impey, pode fazer frente a toda a concorrência num dia como hoje, apesar de estar ainda um pouco longe da forma do final de 2020. Matej Mohoric, que mesmo estando longe dos seus tempos de glória, pode fazer a sua gracinha no dia de hoje. A descer o esloveno é talvez dos melhores. Por último, Luis Leon Sanchez é como o vinho do Porto, que vai envelhecendo e vai ficando melhor na montanha e na ponta final. Em tempos passados chegou a ser dos melhores roladores e contrarrelogistas, mas agora aguenta subidas de primeira categoria como poucos, e na primeira etapa já deu um cheirinho do que é capaz de fazer!

A EF hoje poderá confiar em Ruben Guerreiro para vencer a etapa. O português passa muito bem subidas como a primeira categoria de hoje, e é dono também de uma ponta final muito forte! Se tiver oportunidade, não vai desperdiçar! A equipa pode também jogar com Michael Valgren, que é bem mais rápido num sprint, mas é mais fraco na montanha. São dois homens que a EF pode colocar quer na fuga quer junto dos favoritos.

Outros bons nomes a ter em conta são: Giulio Ciccone, Gianluca Brambilla, Brandon McNulty, Nicolas Roche, Elie Gesbert, Gotzon Martin, Francisco Galvan, Dmitry Strakhov, Robert Power e Maxim van Gils. É mais improvável que a fuga seja a vencedora do dia, mas os puncheurs poderão aguentar com os favoritos ou intrometer-se em ataques destes para depois roubar a etapa.

Favoritos Ciclismo Mundial

⭐⭐⭐⭐⭐ Alejandro Valverde
⭐⭐⭐⭐ João Almeida e Luis Leon Sanchez
⭐⭐⭐  Daryl Impey, Marc Hirschi e Matej Mohoric
⭐⭐ Ruben Guerreiro, Gianluca Brambilla, Robert Power e Brandon McNulty
⭐  Ide Schelling, Dion Smith, Maxim van Gils, Dan Martin, Rigoberto Uran, Elie Gesbert, Geraint Thomas, Koen Bouwman, Alexander Kamp, Clement Venturini, Michael Valgren, Michael Woods e Wilco Kelderman

Presença Portuguesa

Em prova estarão dois portugueses: (21) João Almeida, que é líder da classificação da juventude, e (101) Ruben Guerreiro. Rui Costa viu-se obrigado a abandonar devido a um atropelamento de uma mota de corrida na etapa 1.

Transmissão e Horas de Partida

A Eurosport2 terá transmissão a partir das 14h15.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock