Contra o relógio, pedalar pedalar!

Os últimos eventos de estrada dos Jogos Olímpicos de Tóquio começam às 11:30 horas, hora do Japão, na quarta-feira, com uma riqueza de grandes nomes em ambas as provas. Após o triunfo de Fabian Cancellara e Anna van der Breggen no Rio, há cinco anos, dois novos Campeões olímpicos serão coroados já no dia de amanhã.

Pódio de 2016 com Tom Dumoulin – Fabian Cancellara – Chris Froome (da esquerda para a direita)

Um total de 38 corredores irão enfrentar um percurso desafiante e montanhoso centrado em torno da Fuji International Speedway, pista que acolheu quatro provas de Fórmula 1 nos anos 70 e 2000. Depois de partirem da reta de partida e chegada da pista, os corredores dirigir-se-ão para uma descida nos primeiros 4km da sua prova, antes de iniciarem uma subida de 5km até ao ponto mais alto do percurso, a sul do circuito. Um trajeto levará os corredores entre um plano e uma descida até à entrada do circuito de corridas motorizadas. Os ciclistas irão então enfrentar outra subida, mais pequena, a mesma onde Carapaz despachou Brandon McNulty na prova de fundo, cumprindo uma volta completa ao circuito, completando assim 22.1km. A segunda metade da prova será exatamente igual à primeira, levando assim os ciclistas a fazerem uma segunda e última volta ao percurso.

Perfil do Contrarrelógio masculino

Assim sendo, a prova é algo especial, porque apesar de não ser uma cronoescalada, também não é muito plana, pelo que há uma certa dúvida de quem poderá sair vencedor. Sem Cancellara, não há dúvidas que teremos um novo campeão Olímpico em Tóquio, e seis dos 10 melhores no contrarrelógio de 2016 vão estar novamente no risco de partida, mas nem todos repetem o favoritismo do Rio, havendo mais favoritos que são estreantes do que o inverso.

Favoritos

O italiano Filippo Ganna, que varreu (quase) tudo o que havia para vencer a nível de provas contra o relógio durante as últimas duas épocas é talvez o maior favorito. Por outro lado há o seu colega de equipa na Ineos, o australiano Rohan Dennis, que noutros anos também dominou tudo o que eram provas individuais contra o tempo. Dennis não participou na prova de fundo do passado sábado, e isso tanto poderá ser bom como poderá ser mau, já que o ritmo competitivo acabou por ser fundamental na prova de fundo.

Filippo Ganna, o Campeão Mundial.

Do outro lado há a dupla belga de Wout van Aert e Remco Evenepoel e ainda o holandês Tom Dumoulin, que procurará melhorar a sua prata do Rio. Van Aert vem cheio de força, após um Tour quase perfeito e uma prova de fundo onde foi talvez o ciclista que mais lutou para conquistar o Ouro. O belga tem feito excelentes resultados ao longo de toda a temporada, e a vitória seria fechar com chave de Ouro um ano inteiro de sucesso. Quanto a Remco há muitas dúvidas sobre a sua prestação. O prodígio belga desiludiu um pouco no apoio ao líder do seu país no último sábado, e poderá amanhã acusar a falta de ritmo. A quantidade de kms deste contrarrelógio pode também ser um fator negativo para o jovem belga.

Rohan Dennis como Campeão do Mundo na Volta ao Algarve
Wout van Aert

O medalhista de prata no Rio, Tom Dumoulin, é o outro ex-campeão Mundial a competir. O holandês regressou às corridas no Tour de Suisse, depois de ter tirado tempo para si e para recuperar a sua saúde mental, e desde então ganhou o título holandês de contrarrelógio, sendo essa a sua única vitória de 2021. Dumoulin foi 44º na corrida de estrada, mas é difícil avaliar realmente a sua forma à entrada do contrarrelógio. A imprensa holandesa diz que a paragem dele serviu para focar muito numa boa preparação para este dia, mas a falta de ritmo poderá ter influência.

Numa segunda linha de favoritos, aparece o super Primoz Roglic. Na prova de fundo viu-se claramente que o esloveno tirou o pé, e depois de ter sido forçado a abandonar o último Tour de France não será surpresa alguma se amanhã estiver na máxima força para amanha lutar pelo Ouro. A França tem as suas esperanças em Rémi Cavagna e a Dinamarca em Kasper Asgreen, sendo outros nomes importantes que devem estar debaixo de olho, mas a vitória deverá ser muito difícil de cair para algum dos dois.

Serão também esperados na luta pelo top10, o britânico Geraint Thomas, o polaco Maciej Bodnar, o português Nelson Oliveira e ainda o espanhol Ion Izagirre, eles que procurarão todos repetir as suas fortes prestações dos últimos tempos, sendo fortes candidatos a repetir os bons resultados dos últimos anos. Nunca podemos esquecer o suíço Stefan Küng, mas temos que estar cientes que poderá pagar muito o esforço da dupla subida ao Fuji.

O pódio dos Mundiais de 2017 com Primoz Roglic – Tom Dumoulin – Chris Froome (da esquerda para a direita)

O que esperar dos Portugueses?

Uma das grandes questões é como estará João Almeida, ele que regressou após uma longa pausa, e que fez um 13º lugar na prova de fundo. Almeida teve uma boa prestação como seria espectável, e isso dá grandes perspetivas para a corrida de amanhã. Afinal de contas, Almeida sempre provou que é muito forte nesta disciplina e só este ano terminou em 6º no UAE Tour, 7º no Tirreno Adriático, 3º na Volta a Catalunya e 4º e 5º no Giro d’Itália e só na Catalunha é que o contrarrelógio nem sequer era plano. Se o jovem português é suficientemente bom para ganhar o ouro poderá parecer duvidoso, mas a sua dedicação consegue fazê-lo superar todas as expectativas (talvez mesmo as dele), e não seria surpresa não trazer para Portugal um diploma como uma medalha. O problema, talvez o único, seja o percurso, que será o mais longo que alguma vez percorreu em competição.

João Almeida no segundo contrarrelógio do Giro d’Itália 2020.

Por outro lado, Nelson Oliveira tem estado talvez um pouco abaixo do habitual nos últimos contrarrelógios, mas não há como fugi, que o Nelson é o corredor mais regular nas provas de um dia contra o relógio. Em Campeonatos do Mundo tem já um 4º, 5º, 7º e 11º, e os melhores resultados são quando o perfil é mais duro e seletivo. A forma como trepou no Giro d’Itália provam que o Nelson já não é só um bom rolador como sobre muito bem, e isso amanhã será muito importante. A história mostra que Oliveira é sempre perigoso num campeonato e amanhã poderá ser o dia dele!

Favoritos Ciclismo Mundial

⭐⭐⭐⭐⭐ Wout Van Aert
⭐⭐⭐⭐ Rohan Dennis e Tom Dumoulin
⭐⭐⭐ Primoz Roglic, Joao Almeida, Remco Evenepoel e Nelson Oliveira
⭐⭐ Filippo Ganna, Alberto Bettiol, Kasper Asgreen e Stefan Küng
⭐ Remi Cavagna, Brandon McNulty, Tobias Foss, Geraint Thomas e Patrick Bevin

Horários de Partida das Provas Femininas e Masculinas

Pos.Nome (País)Time (JPN)Time (POR)
1Ahmad Badreddin Wais (EOR)14:00:0006:00:00
2Saeid Safarzadeh (Iri)14:01:3006:01:30
3Azzedine Lagab (Alg)14:03:0006:03:00
4Amanuel Ghebreigzabhier (Eri)14:04:3006:04:30
5Nikias Arndt (Ger)14:06:0006:06:00
6Stefan de Bod (RSA)14:07:3006:07:30
7Hugo Houle (Can)14:09:0006:09:00
8Tanel Kangert (Est)14:10:3006:10:30
9Nicolas Roche (Irl)14:12:0006:12:00
10Michael Kukrle (Cze)14:13:3006:13:30
11George Bennett (NZl)14:15:0006:15:00
12Lawson Craddock (USA)14:16:3006:16:30
13Nelson Oliveira (Por)14:18:0006:18:00
14Tao Geoghegan Hart (GBr)14:56:0006:56:00
15Richie Porte (Aus)14:57:3006:57:30
16Remco Evenepoel (Bel)14:59:0006:59:00
17Alberto Bettiol (ita)15:00:3007:00:30
18Lukas Kubis (Svk)15:02:0007:02:00
19Toms Skujins (Lat)15:03:3007:03:30
20Patrick Konrad (Aut)15:05:0007:05:00
21Rigoberto Uran (Col)15:06:3007:06:30
22Alexey Lutsenko (Kaz)15:08:0007:08:00
23Ion Izagirre Insausti (Esp)15:09:3007:09:30
24Maciej Bodnar (Pol)15:11:0007:11:00
25Aleksandr Vlasov (ROC)15:12:3007:12:30
26Maximilian Schachmann (Ger)15:14:0007:14:00
27Tobias Foss (Nor)15:52:0007:52:00
28Patrick Bevin (NZl)15:53:3007:53:30
29Brandon McNulty (USA)15:55:0007:55:00
30Tom Dumoulin (Ned)15:56:3007:56:30
31Joao Almeida (Por)15:58:0007:58:00
32Kasper Asgreen (Den)15:59:3007:59:30
33Primoz Roglic (Slo)16:01:0008:01:00
34Geraint Thomas (GBr)16:02:3008:02:30
35Rohan Dennis (Aus)16:04:0008:04:00
36Remi Cavagna (Fra)16:05:3008:05:30
37Stefan Kung (Swi)16:07:0008:07:00
38Wout van Aert (Bel)16:08:3008:08:30
39Filippo Ganna (Ita)16:10:0008:10:00
Horas de Partida do CRI Masculino

Pos.Nome (País)Time (JPN)Time (POR)
1Mazomah Ali Zada (EOR)11:30:0003:30:00
2Julie Van Der Velde (Bel)11:31:3003:31:30
3Anna Shackley (GBr)11:33:0003:33:00
4Karol-Ann Canuel (Can)11:34:3003:34:30
5Eri Honamine (Jpn)11:36:0003:36:00
6Sarah Gigante (Aus)11:37:3003:37:30
7Omer Shapira (Isr)11:39:0003:39:00
8Katrine Aalerud (Nor)11:40:3003:40:30
9Christine Majerus (Lux)11:42:0003:42:00
10Mavi Garcia Canellas (Esp)11:43:3003:43:30
11Leah Kirchmann (Can)11:45:0003:45:00
12Lisa Klein (Ger)11:46:3003:46:30
13Juliette Labous (Fra)11:48:0003:48:00
14Alena Amialiusik (Blr)11:49:3003:49:30
15Anna Plichta (Pol)11:51:0003:51:00
16Ashleigh Moolman Pasio (RSA)11:52:3003:52:30
17Elisa Longo Borghini (Ita)11:54:0003:54:00
18Emma Cecilie Jorgensen (Den)11:55:3003:55:30
19Amber Neben (USA)11:57:0003:57:00
20Annemiek Van Vleuten (Ned)11:58:3003:58:30
21Grace Brown (Aus)12:00:0004:00:00
22Lisa Brennauer (Ger)12:01:3004:01:30
23Marlen Reusser (Swi)12:03:0004:03:00
24Chloe Dygert (USA)12:04:3004:04:30
25Anna van der Breggen (Ned)12:06:0004:06:00
Horas de Partida do CRI Feminino

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock