Conseguirá alguém parar esta Ineos?

A 74ª edição do Tour de Romandie decide-se hoje, com o contrarrelógio da 5ª e última etapa, num esforço de 16.19 km e que terá partida e chegada em Friburgo. Na liderança da prova, está o canadiano Michael Woods (Israel Start-Up Nation), com 11 segundos de vantagem sobre o galês Geraint Thomas (Ineos) e 21 segundos sobre o australiano Ben O’Connor (Ag2R).

Esta será uma jornada bem diferente dos contrarrelógios mais habituais, tendencialmente planos e não muito exigentes a nível técnico. O traçado da tirada percorre as estradas montanhosas em redor de Friburgo, com diversas dificuldades a marcarem presença ao longo do dia e que se poderão revelar decisivas em termos de luta, tanto pela etapa, como pela geral.

Os ciclistas começam por enfrentar uma descida técnica nos primeiros metros de prova, seguindo-se uma difícil subida, em paralelepípedos, com uma extensão de 800 m e 13.3% de inclinação! Segue-se uma zona relativamente simples, antes de nova ascensão, desta vez mais fácil, sem pavé, e com 1.1 km a 5.6%, que leva os ciclistas até ao ponto de cronometragem intermédio, na localidade de Tentlingen. Depois, os corredores regressam a Friburgo, percorrendo as estradas sinuosas da região, antes do assomo à meta, marcado por 600 m a 4.4%.

Perfil do contrarrelógio da 5ª e última etapa do Tour de Romandie

A previsão meteorológica volta a apontar para temperatura fria e forte possibilidade de chuva, o que aumenta consideravelmente a dificuldade da corrida.

Depois da exibição da Ineos no prólogo de abertura da prova (onde fechou com os três primeiros) e durante os restantes dias de competição, a formação britânica ocupa o lugar de destaque em termos de candidatos à vitória nesta última etapa.

O principal favorito deverá ser o australiano Rohan Dennis (Ineos), ele que venceu o prólogo e liderou a prova durante três dias, trabalhando ainda por inúmeras vezes na frente do pelotão, em prol da equipa. Apesar de já ter caído e de estar algo desgastado, o antigo campeão do mundo deverá fazer uso da sua versatilidade para realizar uma boa performance nas subidas e no pavé e depois fazer a diferença nas zonas mais planas.

Na luta pela etapa deverá estar também o galês Geraint Thomas (Ineos), ele que segue no 2º posto da geral, a 11 segundos de Michael Woods (Israel). A tarefa de recuperar essa diferença não deverá ser muito complicada para Thomas, em função das características do corredor canadiano, pelo que é possível que opte por uma abordagem mais conservadora, se vir que a etapa está ganha, não fazendo sentido arriscar em busca de uma etapa que a equipa pode já ter no bolso. Claro que, depois do azar no final da etapa de ontem, quando caiu na disputa final com Woods, Thomas estará com ganas de ajustar as suas contas com a prova e juntar uma etapa à CG.

Outro dos principais candidatos é, claro está, o campeão do mundo da especialidade, Filippo Ganna (Ineos), que não esteve ao seu nível habitual no prólogo, fazendo apenas 9º, mas que mostrou estar em bom nível durante o resto da semana, e que quererá fechar com uma performance que honre a camisola do arco-íris.

Neste caso, não há três sem quatro, e a lista de favoritos continua mesmo com mais um Ineos, Richie Porte, ele que vai ocupando o 6º posto da geral, a 36 segundos de Woods. O australiano pode, realisticamente, aspirar a ultrapassar qualquer um dos homens que estão à sua frente, até mesmo Thomas, se este tiver um dia menos bem conseguido. De qualquer das formas, neste momento, o cenário de terminarmos o dia com os dois Ineos no topo da geral é mesmo o mais provável. Recorde-se que a formação britânica já este ano dominou por inteiro a Volta à Catalunha, ocupando as três posições cimeiras do pódio final.

Entre os ciclistas que mais luta darão aos corredores de preto na luta pela etapa, refiram-se o campeão francês, Remi Cavagna, o campeão europeu, Stefan Küng, e ainda o jovem suíço Stefan Bissegger.

Com um pelotão tão recheado de grandes nomes, são muitos os ciclistas que poderão marcar presença entre os melhores, numa jornada que terá muitos fatores a baralharem as contas. Falamos de corredores como: Mattia Cattaneo, Jan Tratnik, Steven Kruijswijk, Fausto Masnada, Marc Soler, Wilco Kelderman, Thymen Arensman, Marc Hirschi, Rui Costa, Tejay van Garderen, Chad Haga, Ion Izagirre, ou Josef Cerny.

O ciclista português da UAE-Team Emirates irá procurar fechar esta prova em alta, tendo andado sempre entre os melhores durante a semana, e acabando por perder algum tempo na etapa de ontem, o que o atirou para o 13º posto, a 3:04 de Woods. Acima de Rui Costa está Sepp Kuss, com 18 segundos sobre o português, sendo realista acreditar que pelo menos um lugar pode ser melhorado na CG final.

Favoritos Ciclismo Mundial:

⭐⭐⭐⭐⭐ Rohan Dennis

⭐⭐⭐⭐ Geraint Thomas e Filippo Ganna

⭐⭐⭐ Richie Porte, Remi Cavagna, e Stefan Küng

⭐⭐ Stefan Bissegger, Damiano Caruso, Mattia Cattaneo, e Jan Tratnik

⭐ Steven Kruijswijk, Fausto Masnada, Marc Soler, Wilco Kelderman, Thymen Arensman, Marc Hirschi, Rui Costa, Tejay van Garderen, Chad Haga, Ion Izagirre, e Josef Cerny

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock