Chegada a Santo Tirso pode trazer mudanças na geral!

Depois do dia de descanso, a Volta a Portugal prossegue hoje com a realização da etapa 5, uma tirada de 171.3 km que irá partir de Águeda e rumar bem a Norte, em direção a Santo Tirso e ao Santuário da Nossa Senhora da Assunção. Apesar de não se tratar de uma das jornadas mais complicadas da prova, o perfil desta etapa será algo acidentado, como de resto é habitual nas estradas nacionais.

Logo no início, os corredores enfrentam uma contagem de montanha de 4ª categoria, seguindo-se bastantes quilómetros a rolar, com passagem por duas metas volantes, antes de nova ascensão de 4ª categoria, agora para Santa Maria da Feira. Os ciclistas dirigem-se depois para Gondomar, onde encontrarão mais uma subida de 4ª categoria, continuando depois na direção de Santo Tirso, onde estará colocada a última meta volante do dia, que antecede a subida para o Santuário da Nossa Senhora da Assunção. Esta dificuldade final representa uma subida de 2ª categoria, com 6.5 km a 6.1% de pendente média

Perfil da etapa 5 da Volta a Portugal

Favoritos

Na etapa 4, Amaro Antunes mostrou que está num nível acima da concorrência, atacando de longe e fazendo claramente a diferença, o que lhe permitiu entrar de novo na luta pela geral. Mesmo tendo levado Frederico Figueiredo na sua roda durante largos quilómetros e permitido uma vitória fácil ao homem da Efapel, a verdade é que o líder da W52-Porto surge neste momento numa posição privilegiada para defender o seu título da Volta.

Hoje poderá ser um bom dia para o homem de Vila Real de Santo António confirmar a sua superioridade na subida final, recuperando os 5 segundos de desvantagem que tem para o líder da corrida, Alejandro Marque, e tentando já colocar o espanhol a alguns segundos de distância na CG que tornem mais confortável o dia do contrarrelógio. Haverão ainda os dias da Senhora da Graça e do Larouco, mas Antunes deverá tentar aproveitar já hoje, se Marque não estiver na melhor forma.

À espreita estarão certamente os homens da Efapel, formação que apesar da tática conservadora de marcação à W52 tem conseguido levar a água ao seu moinho, acumulando já 3 vitórias em 5 dias de competição. No entanto, o grande objetivo do conjunto canarinho tem de ser a classificação geral (pese o que se diga em contrário), pelo que Frederico Figueiredo e também Mauricio Moreira terão de tentar mexer na corrida se pretendem reduzir distâncias para a frente. O uruguaio é 5º a 1:09, enquanto o português é 3º a 25 segundos, sabendo contudo que será dos mais penalizados no contrarrelógio.

Na etapa 4, W52-Porto e Efapel rebentaram totalmente a corrida, sendo esse um cenário que pode facilmente voltar a suceder. Diversos nomes das duas equipas podem ser considerados candidatos à etapa em função do desenrolar da mesma, podendo triunfar numa panóplia de cenários, em particular Joni Brandão, João Rodrigues, e Ricardo Vilela (W52-Porto), e António Carvalho e Javier Moreno (Efapel). Em especial a formação azul e branca, tão habituada a triunfar na Volta, estará certamente de olhos postos numa vitória que tarde em surgir! Desde o início da parceria W52/Porto, no ano de 2016, nunca a equipa demorou tanto a alcançar a primeira vitória!

Outros nomes que podem claramente estar em destaque neste dia são Abner Gonzalez (Movistar), Tiago Antunes (Tavfer-Measindot-Mortágua), Henrique Casimiro e Luís Gomes (Kelly/Simoldes/UDO), e ainda Luís Gonçalves e Daniel Freitas, da Radio Popular Boavista, uma formação que estará certamente irrequieta, especialmente após o abandono do líder João Benta, após um teste positivo à Covid-19. Refiram-se ainda corredores como Vicente García de Mateos (Antarte-Feirense), José Félix Parra e Diego Lopez (Kern Pharma), e claro o líder Alejandro Marque (Atum General/Tavira), embora depois da quebra na chegada à Guarda será necessário perceber se o dia de descanso lhe trouxe algumas energias renovadas.

Mais uma vez, este é um dia onde a fuga pode claramente triunfar, pelo que nomes como César Fonte (Kelly/Simoldes/UDO), Hugo Nunes (Radio Popular Boavista), Kyle Murphy (Rally Cycling), Bruno Silva (Antarte-Feirense), Roniel Campos (Louletano), ou Marvin Scheulen (LA Alumínios) devem ser tidos em conta.

Favoritos Ciclismo Mundial:

⭐⭐⭐⭐⭐ Amaro Antunes
⭐⭐⭐⭐ Frederico Figueiredo e Mauricio Moreira
⭐⭐⭐ Joni Brandão, Abner Gonzalez, e Tiago Antunes
⭐⭐ João Rodrigues, Ricardo Vilela, António Carvalho, e Javier Moreno
⭐ Henrique Casimiro, Luís Gomes, Luís Gonçalves, Daniel Freitas, Vicente García de Mateos, José Félix Parra, Diego Lopez, Alejandro Marque, César Fonte, Hugo Nunes, Kyle Murphy, Bruno Silva, Roniel Campos, e Marvin Scheulen

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock