Ao ritmo do líder!

Depois da oitava etapa do Giro d’Itália, que viu Alex Dowsett a triunfar a partir da fuga, a prova italiana prossegue com o nono dia de competição, o último antes do primeiro dia de descanso.

Perante os ciclistas perfilam-se 208 km, entre San Salvo e Roccaraso, com quatro contagens de montanha ao longo do percurso. A mais dura será logo a primeira, o Passo Lanciano (1ª categoria com 12.4 km a 7%), seguindo-se o Passo San Leonardo (2ª categoria com 14.4 km a 4.3%), o Bosco di Sant’Antonio (9.4 km a 5.1%), e finalmente a subida a Roccaraso (Aremogna), com 9.6 km a 4.4%, com a contagem colocada a cinco km do final, embora os km finais sejam sempre em subida até à meta.

Perfil da nona etapa da Volta a Itália

A possibilidade de vermos uma fuga a triunfar novamente nesta Volta a Itália já hoje é bastante forte. Com a liderança ainda no corpo de João Almeida, a Deceuninck-Quick Step, que tem efetuado uma boa parte do trabalho de controlo do pelotão nos últimos dias, irá certamente proteger o português, mas provavelmente verá com bons olhos a possibilidade de deixar partir uma fuga composta por ciclistas que não ofereçam perigo à liderança.

Para as restantes equipas dos favoritos, apesar de exigentes, as subidas desta etapa não são duras o suficiente para controlar e tentar quebrar a corrida. Os ataques entre os favoritos deverão existir mas provavelmente apenas nos últimos km. Com um dia de descanso e alguns dias sem grande peso na geral pela frente, o pelotão deverá ver esta etapa como “another day in the office”, não sendo expectável movimentações de relevo entre os principais galos. Claro que na cabeça de ciclistas como Vincenzo Nibali, esta é mais uma etapa de montanha do “seu” Giro, pelo que é impossível de excluir a possibilidade de ver o “Tubarão” ou outro favorito ao ataque de longe, mas esta não parece ser a etapa para dar já tudo em busca da camisola rosa.

Assim, esta deverá ser mais uma etapa para a fuga, tornando-se difícil de apontar para favoritos não só a conseguir integrar a fuga como a ser o mais forte de um grupo que, com toda a certeza, terá muita qualidade.

Num Giro que está a ser histórico para as cores nacionais, é impossível de não querer tornar esta 103ª edição ainda mais especial. Porque não acreditar que desta feita pode ser outro lusitano do pelotão a brilhar? Ruben Guerreiro tem competido a um bom nível e poderá estar a aguardar pela sua chance de atacar uma vitória de etapa. O ciclista da EF Pro Cycling está no 39º lugar, a 18:32, pelo que terá liberdade para sair. As subidas não são muito inclinadas, o que pode assentar bastante bem a Guerreiro, pelo que ele será sempre um homem perigoso se conseguir integrar a fuga do dia.

Outro dos fortes candidatos a vencer a partir da fuga, mas que poderá também ter uma palavra a dizer caso a etapa seja decidida pelo pelotão principal, é Diego Ulissi, da UAE-Team Emirates. O italiano, que já venceu neste Giro, é um dos melhores ciclistas do mundo em sprints em subida pelo que não pode ser menosprezado em qualquer cenário. Com mais de 26 minutos de atraso na geral, ele terá liberdade para integrar a fuga, mas no caso da etapa ser decidida pelo pelotão, uma vez que a etapa não tem subidas muito duras, Ulissi poderá estar na linha da frente para a discussão da jornada.

Outro ciclista que pode vencer em ambos os cenários é o australiano Jack Haig, da Mitchelton-Scott. Com o abandono de Simon Yates, Haig poderá atacar e, com mais de 13 minutos de atraso na geral, terá liberdade para estar na fuga.

Falar de fuga e não falar de Thomas de Gendt seria praticamente impossível. O ciclista da Lotto Soudal já tentou e irá certamente tentar novamente e o perfil desta etapa parece ser bastante ao gosto do belga.

Depois de vencer a partir da fuga na etapa 5, Filippo Ganna é mais um forte candidato a estar na fuga, assim como nomes como Rohan Dennis, Tanel Kangert, Attila Valter, Giovanni Visconti, ou Valerio Conti.

Caso a tirada acabe por ser decidida por um grupo mais ou menos numeroso de favoritos, os principais candidatos a vencer a etapa são: Jakob Fuglsang, Wilco Kelderman, João Almeida, Domenico Pozzovivo, Vincenzo Nibali, Rafal Majka, Patrick Konrad, ou Pello Bilbao.

Favoritos Ciclismo Mundial

⭐⭐⭐⭐⭐ Ruben Guerreiro
⭐⭐⭐⭐ Diego Ulissi e Jack Haig
⭐⭐⭐ Thomas de Gendt, Filippo Ganna e Rohan Dennis
⭐⭐ Tanel Kangert, Attila Valter, Giovanni Visconti e Valerio Conti
⭐ Jakob Fuglsang, Wilco Kelderman, João Almeida, Domenico Pozzovivo e Vincenzo Nibali

Podes acompanhar a etapa em direto na Eurosport2 a partir das 12h30!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock