A amarela de Almeida enfrenta o primeiro teste!

O colombiano Fernando Gaviria (UAE Team Emirates) regressou ontem às vitórias na terceira etapa do Tour de Pologne, num dia tranquilo para o líder da classificação geral, o português João Almeida (Deceuninck – Quick Step). A mais longa etapa da corrida polaca teve um dia até bastante calmo, com o pelotão a aproveitar para se poupar, na medida do possível, para o dia de hoje, em que se volta a disputar uma etapa com os interesses da classificação geral em jogo.

Entre Tarnow e o Resort de Bukowina serão 160.5km e o o pelotão enfrentará uma jornada com bastantes altos e baixos, mas também com muitos falsos planos, que certamente farão mossa nas pernas dos ciclistas. A primeira contagem de montanha do dia estará logo ao km 13.1, com a terceira categoria de Lubinka a apresentar 5.1km a 3.5% de pendente média. Ao km 64 o pelotão cruzará a segunda categoria de Chomranice, com 4.6km a 3.9%. Seguir-se-á um conjunto de subidas não categorizadas e falsos planos até aos kms finais, onde a segunda categoria de Lapszanka, com 4km a 5.3%, situada a 11km da chegada fará uma importante seleção, antes da curta e íngreme subida a Bukowina Resort, onde a etapa se decidirá.

Perfil da quarta etapa do Tour de Pologne

Favoritos

No grande duelo da segunda etapa, João Almeida levou a melhor sobre Diego Ulissi (UAE Team Emirates) no sprint final, após terem entrado juntos nos 200m finais. O polaco Michal Kwiatkwoski (Ineos Grenadiers) acabou por quebrar um pouco e ceder alguns segundos, estando por isso agora a 11s na classificação geral. A correr em casa, o Campeão do Mundo de 2014 quererá recuperar e mostrar que está na luta pela conquista da amarela, e para o fazer é fundamental dar já hoje uma resposta. Será ele capaz?

Por outro lado, Almeida e Ulissi parecem estar num bom momento de forma e ambos são também excelentes finalizadores, pelo que não darão certamente espaço ao polaco para se distanciar. A luta parece encaminhar-se uma vez mais para um grandíssimo duelo na estrada, e cá estaremos para o ver, torcendo, é claro, pelas cores portuguesas.

Matej Mohoric (Bahrain Victorious) é talvez quem mais se possa intrometer entre os três principais nomes, e se já na etapa 2 o fez, nada nos impede de acreditar que hoje pode fazer o mesmo, mas a equipa da Bahrain tem uma outra carta que pode jogar em Dylan Teuns. Como poderão eles abordar a subida final em busca da vitória? Giovanni Aleotti (Bora – Hansgrohe) é outro dos nomes que se pode colocar na discussão, e utilizar o seu extra de potência para sprintar para fazer a corrida pender para o seu lado. Será ele capaz de chegar ao triunfo?

Numa terceira linha de candidatos perfilam-se o eritreu Biniam Girmay e o italiano Lorenzo Rota (Intermache – Wanty – Gobert) e tanto um como outro poderão ser candidatos a fechar entre os dez melhore do dia. O colombiano Einer Rubio (Movistar) esteve ao ataque na segunda etapa, mas a movimentação aconteceu demasiado cedo e gerou uma quebra nos metros finais, pelo que hoje Rubio deverá estar mais atento em busca de uma boa classificação. Tim Wellens (Lotto Soudal) é sempre um ciclista explosivo, e mesmo não estando no seu melhor momento de forma, tem todas as condições para voltar a fechar entre os melhores dez.

Favoritos Ciclismo Mundial

⭐⭐⭐⭐⭐ Michal Kwiatkwoski
⭐⭐⭐⭐ João Almeida e Diego Ulissi
⭐⭐⭐ Dylan Teuns, Giovanni Aleotti e Matej Mohoric
⭐⭐ Biniam Girmay, Tim Wellens, Einer Rubio e Lorenzo Rota
⭐ Quinten Hermans, Ben Tulett, Mikkel Honoré, Alessandro Covi e Matteo Fabbro

Presença Portuguesa

João Almeida (Deceuninck – Quick Step) é o único representante Português à partida da corrida polaca e irá alinha com o dorsal #1, fruto da vitória de Remco Evenepoel, ao serviço da equipa Belga, em 2020.

Transmissão em Direto

A corrida não será transmitida em direto em qualquer dos canais portugueses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock