48ª Volta ao Algarve – Que venha a Algarvia!

Arranca na quarta-feira, dia 16 de fevereiro, a 48ª edição da Volta ao Algarve, com uma prova de 5 dias que promete trazer muito espetáculo e emoção! Mais uma vez, a região do Sul de Portugal surge como o palco natural para um dos primeiros grandes duelos da temporada!

Agora que é conhecida a startlist provisória da Algarvia, sabemos que mais uma vez teremos uma prova recheada de grandes ciclistas do pelotão internacional, o que trará novamente imensa visibilidade a esta prova basilar do calendário nacional.

O Percurso

O primeiro dia de competição apresenta uma jornada de 199.1 km, entre as cidades de Portimão e Lagos, num dia com duas contagens de montanha mas com um perfil que faz antever uma previsível chegada ao sprint. Nomes como Fabio Jakobsen, Pascal Ackermann, e Tim Merlier irão certamente estar na linha da frente da batalha pela primeira amarela da Algarvia.

Perfil da etapa 1

Segue-se a etapa 2, com uma ligação de 182.4 km entre Albufeira e o Alto da Fóia, na Serra de Monchique, na emblemática chegada que será um ponto-chave para a decisão do vencedor da competição.

Perfil da etapa 2

O terceiro dia de prova irá constituir um esforço de 209.1 km, entre Almodôvar e Faro, naquela que deverá ser a segunda chegada para os homens rápidos do pelotão.

Perfil da etapa 3

Depois virá mais um dia de grandes decisões, com a disputa do contrarrelógio individual, numa longa jornada de 32.2 km, entre Vila Real de Santo António e Tavira. Como é regra na Algarvia, a par das chegadas em alto, o contrarrelógio possui um peso elevado nas contas da competição, algo que reforça a importância desta prova nesta fase precoce do calendário.

Perfil da etapa 4

No quinto e último dia da Volta ao Algarve, mais montanha, com uma etapa de 173 km, com início em Lagoa e final no Alto do Malhão, nas imediações de Loulé. Será um dia com muito sobe e desce e um final bem exigente, onde, quem sabe, poderá ser decidida a vitória final!

Perfil da etapa 5

Os Favoritos

Para a edição de 2022, a Volta ao Algarve apresenta mais um alinhamento de sonho, com a presença de 10 formações do World Tour (Ineos Grenadiers, Quick-Step Alpha Vinyl Team, Groupama-FDJ, BORA-hansgrohe, UAE-Team Emirates, Cofidis, Trek-Segafredo, Intermarché-Wanty-Gobert Matériaux, Astana Qazaqstan Team, e Jumbo-Visma), 5 do escalão Pro Teams (Alpecin-Fenix, Team Arkéa Samsic, Caja-Rural, Human Powered Health, e Euskaltel-Euskadi) e 10 conjuntos continentais portugueses (W52-Porto, Glassdrive Q8 Anicolor, Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel, Efapel Cycling, Aviludo-Louletano-Loulé Concelho, Rádio Popular-Paredes-Boavista, Kelly-Simoldes-UD Oliveirense, L.A. Alumínios-Credibom-Marcos Car, ABTF-Feirense, e Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados).

Numa fase tão precoce da temporada, é difícil de apontar com clareza para aquele que será o grande candidato à vitória. Ainda assim, em função do importante contrarrelógio, o favoritismo poderá tender para o lado do jovem prodígio Remco Evenepoel, da Quick-Step. A powerhouse belga irá apresentar um “7” de grande qualidade, com tem sido seu apanágio na Algarvia, com nomes como Mattia Cattaneo no apoio a Evenepoel e com Fabio Jakobsen pronto para brilhar nas chegadas rápidas.

A Quick-Step não terá uma tarefa fácil perante concorrência como a do francês David Gaudu, da Groupama-FDJ, e o norte-americano Brandon McNulty, da UAE-Team Emirates, ele que já venceu nesta nova época. Estas duas formações apresentam mais alguns elementos ilustres, em particular o campeão europeu de contrarrelógio Stefan Küng, do lado da Groupama, mas também Pascal Ackermann, Ivo Oliveira, e Rui Oliveira, campeão da Europa de scratch, do lado da equipa dos Sete Emiratos.

Os tubarões da Ineos Grenadiers irão trazer o segundo classificado da edição do ano passado, Ethan Hayter, que terá seguramente assuntos inacabados com a prova lusitana. O jovem britânico não será a única ameaça da Ineos para a geral, com nomes como Michal Kwiatkowski e Geraint Thomas (ambos com duas Algarvias no currículo) a poderem representar cartadas importantes a jogar nesta competição. Os britânicos trazem também o recém-coroado campeão do mundo de ciclocrosse, Thomas Pidcock, mais uma bela atração da Algarvia.

Outra das fortes equipas deste pelotão será certamente a Jumbo-Visma com nomes como Robert Gesink ou Sam Oomen a apresentarem-se como fiéis escudeiros de Tobias Foss.

Nos comandos da BORA estará Sergio Higuita, enquanto o chefe-de-fila da Cofidis será Ion Izagirre, numa formação que contará também com o português André Carvalho. Já a Astana deverá ter como líder o italiano Gianni Moscon.

A grande equipa do ciclismo nacional e detentora dos títulos da Volta a Portugal e da Volta ao Algarve, a W52-FC Porto, irá apresentar como dorsal nº 1 o campeão da Algarvia, João Rodrigues, que irá tentar fazer novo brilharete perante a renomada concorrência. Outro dos líderes da equipa será o tricampeão da Grandíssima e antigo vencedor da Algarvia, Amaro Antunes, sendo que o restante alinhamento andará em torno do núcleo clássico dos portistas: Samuel Caldeira, Daniel Mestre, Ricardo Mestre, José Neves, e José Gonçalves, com o ciclista de Barcelos, antigo vencedor da Volta à Turquia e que tão perto esteve de triunfar em etapas de grandes voltas, a fazer a estreia pelos azuis-e-brancos.

Entre as equipas lusas, para além da W52-Porto, importa nomear os fortes alinhamentos da Glassdrive, com Mauricio Moreira, Frederico Figueiredo, e Rafael Reis, mas também da Efapel, com João Benta, Tiago Antunes, e Henrique Casimiro, e do Atum General-Tavira, com Alejandro Marque e Delio Fernandez.

Depois refiram-se também o Louletano, com Vicente Garcia de Mateos e José Mendes, a Radio Popular-Boavista, com Daniel Freitas e Tiago Machado, a Oliveirense, com Luís Gomes, a Tavfer-Mortágua, com Gonçalo Carvalho, a LA, com André Ramalho, e finalmente o Feirense, com André Cardoso.

Voltando às formações do World Tour, a Intermarché deverá apresentar-se com foco claro nas chegadas rápidas, com Alexander Kristoff e a sua fiel locomotiva, Andrea Pasqualon. O mesmo se pode dizer da Trek, cujas fichas estarão colocadas no também já vencedor nesta temporada e antigo campeão do mundo, Mads Pedersen.

Falando dos homens rápidos do pelotão, um dos grandes favoritos para os sprints irá alinhar numa formação Pro Team, Tim Merlier, da Alpecin-Fenix.

Na Caja Rural irá estar presente o luso Iúri Leitão, ele que poderá ser um interessante outsider para as chegadas rápidas.

Entre as formações do escalão Pro Team, refira-se que apenas a Arkéa deverá ter um homem entre os melhores da geral, no caso Warren Barguil.

Os dados estão lançados para aquela que será seguramente uma semana de grandes emoções pelas estradas algarvias. Haverá espaço para as equipas portuguesas voltarem a brilhar como no ano passado, ou iremos regressar à norma dos últimos largos anos, com as formações do World Tour a confirmarem o seu favoritismo?

Favoritos Ciclismo Mundial:

⭐⭐⭐⭐⭐ Remco Evenepoel
⭐⭐⭐⭐ David Gaudu e Brandon McNulty
⭐⭐⭐ Ethan Hayter, Michal Kwiatkowski, e Geraint Thomas
⭐⭐ Tobias Foss, Sergio Higuita, João Rodrigues, e Mattia Cattaneo
⭐ Ion Izagirre, Gianni Moscon, Maurico Moreira, Amaro Antunes, e Warren Barguil

Quem irá suceder a João Rodrigues como Rei da Algarvia?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock