Tudo ou nada!

Disputa-se hoje a 18ª etapa do Tour de France, naquela que será a última jornada montanhosa da prova! Os ciclistas irão partir de Lourdes e viajar 143.2 km em direção ao topo do Hautacam, situado na região dos Altos Pirenéus. A primeira parte da tirada será tendencialmente plana, mas depois o pelotão encontra três difícieis contagens de montanha: primeiro virá a categoria especial do Col d’Aubisque (17.1 km a 7%), seguindo-se a primeira categoria do Col de Spandelles (10.2 km a 8.3%) e, finalmente, o brutal Hautacam (13.5 km a 7.9%), mais uma ascensão de categoria especial, esta coincidente com a linha de chegada.

Perfil da etapa 18 do Tour de France

Os Favoritos

Na etapa de ontem, apontámos para a forte possibilidade de ser a fuga a levar a etapa, algo que acabou por não se verificar, com a formação da UAE Team Emirates, mesmo debilitada, a acabar por trabalhar e proporcionar a vitória a Pogacar. Hoje será a última etapa de montanha e a última oportunidade para os trepadores fazerem diferenças, pelo que será de prever que, além da Emirates, outras equipas tenham interesse em manter a etapa sob controlo, especialmente se falharem a fuga do dia.

Assim, é possível antever que a etapa será suficientemente dura para serem os homens da geral a discutirem a vitória, tal como sucedeu no dia de ontem. Agora, surge a grande questão: será Tadej Pogacar capaz de ganhar tempo a Jonas Vingegaard? O esloveno irá seguramente tentar, e deverá fazê-lo várias vezes ao longo do dia, mas o nível do dinamarquês parece ser suficiente para suster as investidas do rival.

Note-se que a própria Jumbo-Visma poderá ter uma estratégia diferente, menos na defensiva e tentando até oferecer mais uma etapa a Vingegaard, num triunfo de amarelo que seria histórico e carregado de simbolismo. Foi no alto do Hautacam que outro dinamarquês selou a vitória no Tour, no caso Bjarne Riis, na etapa 16 do Tour 1996. O Pescador quererá certamente homenagear esse momento, escrevendo ele mesmo nova página de ouro no ciclismo dinamarquês.

Desse modo, vamos apontar para Jonas Vingegaard como favorito à etapa, o que, a verificar-se, irá significar praticamente um ponto final na luta pela amarela. O ciclista da Jumbo-Visma está na forma da sua vida e, se mantiver esse nível no dia de hoje, deverá ser capaz de seguir todas as movimentações de Pogacar e ainda ser o mais forte nos metros finais.

O grande adversário será, obviamente, Tadej Pogacar, que terá hoje uma das etapas mais importantes da sua carreira. O sonho de chegar ao terceiro Tour consecutivo depende de conseguir recuperar algum tempo no dia de hoje e o restante no contrarrelógio de domingo, onde tudo o que seja mais de 1 minuto pode ser impossível de recuperar. Neste momento, a diferença para Vingegaard é de 2’18”, portanto não chega ganhar 4 segundos de bonificação na meta ao dinamarquês, como sucedeu no dia de ontem. Pogacar terá de atacar de longe, explorando alguma debilidade da Jumbo e tentando, pelo menos, desgastar Vingegaard para a subida final. Note-se que o Pequeno Pogi estará condicionado pelo facto de rodar com apenas 3 companheiros de equipa, que ontem realizaram um trabalho tremendo e que pode passar fatura no dia de hoje.

É difícil de imaginar outro corredor a levar a etapa, caso sejam os favoritos a discutir o final. O terceiro melhor da prova é Geraint Thomas, com Romain Bardet, David Gaudu, Nairo Quintana num patamar abaixo, mas nenhum deles deverá ter grande liberdade para estar ao ataque nem capacidade para seguir os dois principais galos da geral. O único destes com alguma chance será Bardet, 6º, a 9’21”, que poderá tentar infiltrar-se na fuga do dia, sendo que os restantes, a menos de 8 minutos, não deverão ter essa liberdade.

Haverão ainda Enric Mas, Louis Meintjes, Aleksandr Vlasov, e Alexey Lutsenko, que poderão ter alguma liberdade mas também não terão hipótese num confronto com os dois primeiros da geral. A grande chance destes corredores será integrar a fuga do dia, onde serão claros candidatos ao triunfo. No caso do cazaque da Astana, este encontra-se a meros 15 segundos do 10º posto de Enric Mas, pelo que poderá tentar ganhar alguma vantagem sobre o espanhol, seja na fuga, seja no final. Será interessante verificar a estratégia destes corredores no dia de hoje.

Como referido, é difícil de imaginar outro corredor que não Vingegaard ou Pogacar a triunfar se a fuga for anulada, portanto, nos lugares seguintes da lista de favoritos vamos colocar mais alguns candidatos a integrar uma possível fuga vencedora. Além dos já mencionados Bardet, Mas, Meintjes, Vlasov, e Lutsenko, refiram-se Nick Schultz, Thibaut Pinot, Giulio Ciccone, Rigoberto Uran, Bob Jungels, Andreas Leknessund, Michael Woods, Tom Pidcock, Valentin Madouas, e Chris Froome.

O único cenário, numa chegada entre favoritos, onde poderá não existir vitória dos dois primeiros da tabela geral será na eventualidade de vermos novamente um Brandon McNulty ou um Sepp Kuss junto dos seus líderes, dois corredores que poderão, no limite, ter uma pequena liberdade para discutir o final.

Favoritos Ciclismo Mundial

⭐⭐⭐⭐⭐ Jonas Vingegaard
⭐⭐⭐⭐ Tadej Pogacar e Romain Bardet
⭐⭐⭐ Enric Mas, Louis Meintjes e Alexander Vlasov
⭐⭐ Alexey Lutsenko, Nick Schultz, Thibaut Pinot e Giulio Ciccone
⭐ Rigoberto Uran, Bob Jungels, Andreas Leknessund, Michael Woods, Tom Pidcock, Valentin Madouas, Brandon McNulty e Sepp Kuss

Presença Portuguesa

Nelson Oliveira (Movistar), com o dorsal #66, é o único português ainda em prova.

Transmissão em Direto

Podes acompanhar a etapa em direto na Eurosport 1, a partir das 12h30, e na RTP2, a partir das 14h45!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock