UCI adiciona proibição de abraços e celebrações entre corredores/staff da mesma equipa ao protocolo Covid-19!

A UCI adicionou a proibição de abraçar corredores da mesma equipa ao protocolo covid-19, insistindo que não tem “nenhum prazer” em se agarrar às celebrações pós-corrida, mas considera “essencial” a proibição durante a pandemia.

A iniciativa foi mencionada pela primeira vez pelo diretor médico da UCI, Xavier Bigard, na semana passada, e foi acrescentada ao protocolo do coronavírus do organismo durante esta segunda feira. Não haverá sanções para os infratores desta regra, mas a medida é listada como obrigatória por existir um risco baixo ou moderado de contágio.

“Embora de um ponto de vista médico o risco de contaminação entre os membros de uma bolha de equipa permaneça baixo, a UCI considera, no entanto, necessário que os corredores adotem medidas de precaução básicas, incluindo o respeito por uma distância física mínima. As demonstrações de alegria e felicitações são espontâneas e naturais, e fazem parte da beleza do nosso desporto. Por conseguinte, não é um prazer para a UCI recomendar vivamente a todos os interessados que se abstenham de abraçar no final. No entanto, devido à atual pandemia é essencial modificar temporariamente certos hábitos para que possamos voltar ao normal o mais rapidamente possível”

Declarações do departamento médico da UCI

A repressão do abraço faz agora parte do protocolo mais amplo do coronavírus, que abrange medidas que incluem bolhas de equipa, gestão de casos suspeitos, e organização de áreas de início e fim. Cada medida é classificada de acordo com a “gravidade pandémica”, cobrindo áreas de risco “moderadas”, “baixas”, e “muito baixas”. A proibição de abraços é considerada obrigatória nas duas primeiras categorias, a ser aplicada pelas equipas em meio a risco moderado, e pela organização da corrida em meio a risco baixo. No caso de risco muito baixo, a proibição é meramente ‘recomendada’.

A UCI, que tem seguido os passos de outros desportos de equipa como o futebol e o rugby, reiterou que a medida não se destina tanto a reduzir o contágio, mas sim a servir de exemplo para o público em geral.

Os protocolos do coronavírus mantêm-se em grande parte inalterados em relação ao ano passado, com os testes PCR pré-corrida obrigatórios e as bolhas entre equipas, tal como as máscaras para as cerimónias de pré e pós-corrida, incluindo idas ao pódio. Os organizadores e as equipas têm de nomear médicos Covid-19, responsáveis pela gestão de quaisquer casos nas corridas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock