UAE Emirates melhor do Mundo? A curto prazo talvez – Matxin

O manager da equipa dos Emirados Árabes Unidos, Joxean “Matxin” Fernandez, deu uma entrevista ao site biciciclismo onde falou dos planos para 2020 e o futuro da equipa onde correm três portugueses, Rui e Ivo Oliveira e Rui Costa e que também contém diversos portugueses no staff.

A equipa foi apanhada de surpresa, tal como todo o mundo ciclistico com suspensão do UAE Tour. Mas segundo Matxin foi um excelente abrir de olhos para o que mundo estava e iria viver – a pandemia do COVID-19. O positivo de Gaviria e Richeze deu para assustar e acabaram por pôr toda a equipa, de forma voluntária, a fazer isolamento (os corredores que estavam na prova foram obrigados). Foram mal vistos pelo pelotão e pela própria UCI na não participação no Paris-Nice, mas acabaram por lhes dar razão mais tarde.

Com a temporada perto de recomeçar após uma longa pausa causada pela Covid-19, Matxín considera que a nova normalidade “é o menos mau”, agradecendo o esforço de União Ciclista Internacional (UCI), equipas e organizadores para o regresso da competição.

No plano desportivo, queremos ser, não sei se num ano, em dois ou em três, num tempo prudente, a melhor equipa do mundo. É difícil e temos de respeitar os rivais. A INEOS leva muito tempo [de trabalho] e é uma grande estrutura, e a Jumbo-Visma está a crescer em passos gigantes. Sabemos que é complicado, mas também temos de ter objetivos importantes para os tentarmos conseguir.

Joxean Fernández Matxín

Para o director geral da equipa o plano é claro – em dois ou três anos ser a melhor equipa do Mundo. Admite que será muito difícil e não quer faltar ao respeito às grande equipas, mas a ideia está formada.

A curto prazo, nomeadamente para 2020, nos quatro meses que faltam, a equipa quer ser protagonista. Todas as provas serão importantes e o facto de ter um plantel de 30 corredores permite gerir tudo muito bem. “Repartimos as ambições entre todos e queremos ser protagonistas em todas as provas que iremos participar.”

Recentemente, uma outra entrevista dada por Matxin onde abordou a sua equipa e as decisões da Ineos para o Tour de France.

Depois de comunicar as equipas para as grandes Voltas numa outra entrevista já aqui referida, o Tour de France será para Fabio Aru com apoio de Davide de La Cruz, Formolo e Pogacar. “Cada um terá o seu papel e as suas responsabilidade” mas Aru é o líder pela sua experiência. Pogacar vai sem compromissos, para aprender, e logo se vê onde poderá chegar. Já na Vuelta veremos uma inversão de papeis, já que Davide de La Cruz, a correr em casa, será o líder enquanto que Aru fará o seu apoio.

Conheça também o calendário de Rui Costa para o resto de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Dan Bigham vai tentar bater o Recorde da Hora, mas as regras não o permitem bater o recorde de Campenaerts!

Dan Bigham anunciou que irá assumir uma tentativa de bater o Recorde de Hora, ao tentar reclamar o título britânico actualmente detido por Sir Bradley Wiggins. O especialista em contrarrelógio e corredor da equipa Ribble-Weldtite Bigham tem vindo a trabalhar especificamente para o recorde mundial da hora, actualmente detido por Victor Campenaerts, e o recorde […]

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock