Tirreno Adriático revela percurso!

A RCS Sport revelou o percurso da edição de 2021 do Tirreno-Adriático, que contará com um final em Prati di Tivo, na etapa 4. A dura subida de 14.5km foi pela última vez utilizada em 2013, onde Chris Froome obteve a vitória, enquanto Vincenzo Nibali foi vencedor da etapa na mesma chegada mas em 2012.

Nibali, que ganhou a classificação geral tanto em 2012 como em 2013, confirmou que irá novamente correr o Tirreno-Adriático este ano. A prova está marcada para 10 a 16 de março, regressando à semana habitual pré Covid-19, depois de no ano passado se ter corrido em setembro.

Pelo segundo ano consecutivo não haverá contrarrelógio coletivo no primeiro dia, ficando para os sprinters a disputa da primeira liderança da prova. A etapa 2 tem cerca de 226km e apresenta algum terreno ondulado na fase final, sendo improvável que os sprinters puros estejam na disputa, em Chiusdino, perto de Siena. Na etapa 3, espera-se algumas mexidas, mas não muitas. O dia é de sobe e desce, e relativamente duro para os homens mais pesados do pelotão.

A etapa 4 promete ser um dia crucial no Tirreno-Adriatico, uma vez que o pelotão enfrentará um percurso curto mas intenso. A tirada de 156km inclui as subidas de Forca di Arrone, Sella di Corno e Passo Capannelle. Uma descida longa levará a corrida ao inicio da subida final a Prati di Tivo. A subida de 14.5km ostenta cerca de 22 curvas e um declive médio de 7%, com pendentes máximas de 12%.

O fim-de-semana final, com a denominada Tappa dei Muri, verá o pelotão a enfrentar 4 voltas de um circuito duro de 23km em torno de Castelfidardo. O circuito, é composto por uma sucessão de subidas íngremes, em forma de parede, com desníveis até 18%. A penúltima etapa deverá oferecer aos sprinters uma outra oportunidade. O último dia terá o habitual contrarrelógio individual. Este ano será ligeiramente mais longo, com 11.1km.

Muitas corridas de abertura da temporada 2021 foram adiadas ou canceladas devido à pandemia de coronavírus, mas a RCS expressou confiança de que o Tirreno-Adriático será capaz de avançar como planeado. A corrida situa-se entre dois outros eventos desportivos da RCS no calendário: Strade Bianche a 6 de março e Milano – SanRemo a 20 de março.

Espera-se que Simon Yates venha defender o título de 2020, bem como Nibali volte a lutar pela geral da prova. Tadej Pogacar também atacará a corrida.

Etapas

Etapa 1: Quarta-feira, 10 de março. Lido di Camaiore-Lido di Camaiore, 156km
Etapa 2: Quinta-feira, 11 de março. Camaiore-Chiusdino, 226 km
Etapa 3: Sexta-feira, 12 de março. Monticiano-Gualdo Tadino, 189km
Etapa 4: Sábado, 13 de março. Terni-Prati di Tivo, 148km
Etapa 5: Domingo, 14 de março. Castellalto-Castelfidardo, 205km
Etapa 6: Segunda-feira, 15 de março. Castelraimondo-Lido di Fermo, 169 km
Etapa 7: Terça-feira, 16 de março. San Benedetto del Tronto, 11,1 km (ITT)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Dan Bigham vai tentar bater o Recorde da Hora, mas as regras não o permitem bater o recorde de Campenaerts!

Dan Bigham anunciou que irá assumir uma tentativa de bater o Recorde de Hora, ao tentar reclamar o título britânico actualmente detido por Sir Bradley Wiggins. O especialista em contrarrelógio e corredor da equipa Ribble-Weldtite Bigham tem vindo a trabalhar especificamente para o recorde mundial da hora, actualmente detido por Victor Campenaerts, e o recorde […]

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock