Revelado o percurso do Tour de Suisse 2021!

Foi oficialmente revelado este fim de semana o itinerário do Tour de Suisse 2021, que oferecerá uma série de etapas de montanha bastante exigentes, mas também incluirá um contrarrelógio plano logo a abrir e outro bem durinho a meio, bem como etapas para os sprinters/puncheurs brilharem.

O Tour de Suisse irá restabelecer-se no calendário em 2021, após o cancelamento da edição do ano passado, com um percurso suscetível de manter a corrida aberta até ao fim, uma vez que a última etapa conta com as subidas a Furkapass, Grimselpass e Sustenpass, todas elas encadeadas. O percurso para a 84ª edição é em parte uma cópia do que estava inicialmente previsto para 2020, já que a edição teve de ser cancelada devido ao Covid-19.

A corrida começa no mesmo dia em que termina o Critérium du Dauphiné, a primeira das provas de preparação para o Tour de France. O último vencedor da Grande Boucle a usar a Suíça como preparação tinha sido Andy Schleck, vencedor em 2010, mas é por norma o Critérium du Dauphiné que sai frequentemente favorecido, uma vez que permite uma recuperação mais longa, e a adaptação às estradas e ao clima francês.

O Tour de Suisse não tem etapas verdadeiramente planas, excepto no contrarrelógio em Frauenfeld, ainda que os três dias seguintes ofereçam opções para os sprinters e puncheurs antes da luta pela geral se decidir, provavelmente a partir da etapa 5.

Perfil da Etapa 1

O contrarrelógio de 11km é seguido duma etapa 2 de 173km, onde os sprinters têm muitas opções de lançamento. A etapa começa nas cataratas do Reno, a maior cascata da Europa, passa pelos desfiladeiros das montanhas de Ghöch e Oberricken, passando pelo Lago Zurique, e termina em Lachen, com uma pequena subida a apenas 8km da meta. De notar que essa será a última de 4 subidas do dia, todas elas nos últimos 70km, e que as segundas categorias iniciais de Ghoch e de Oberricken podem muito bem eliminar as chances dos homens mais pesados triunfarem.

Perfil da Etapa 2

A etapa 3 faz um passeio pelos lagos, começando com o Alto Lago Zurique numa rota montanhosa através do centro da Suíça. Serão 187km entre Lachen e Pffafnau, num dia que apesar de ter apenas duas contagens de montanha e de terceira categoria é em constante sobe e desce, e por isso mesmo as diferenças podem-se fazer facilmente.

Perfil da Etapa 3

A etapa 4 começa em frente ao mosteiro barroco do século XVIII de St Urban e é a mais plana das etapas em linha desta edição. Serão 171km até ao final em Gstaad, mas a grande decisão far-se-á na subida ao de chalet de Saanenmöser, com o topo a 9.8km da chegada, pelo que, uma vez mais, os principais sprinters podem ter dificuldades.

Perfil da Etapa 4

A etapa 5 apresenta 172km entre Gstaad e Leukerbad, com um ponto importante de passagem pelo World Cycling Centre da UCI em Aigle, ao km40. Depois de uma primeira categoria inicial ao Col du Pillon, e de quase 100km planos, a etapa toma uma rota com subidas mais difíceis e curvas serpentinas para Albinen numa subida com duas fases distintas, ambas bastante duras, apenas marcadas por uma pequena descida a meio da mesma. Cruzada a primeira categoria, o pelotão terá 4km para descer até à meta que se encontra num falso plano ascendente em Leukerbad.

Perfil da Etapa 5

A etapa 6 intensifica os desafios alpinos com 162km entre Fiesch e Disentis – Sedrun. Depois de uma primeira categoria especial com 14km a 8%, o Nufenenpass, o pelotão vai ter uma longa descida para entrar na subida mais longa do dia, o Lukmanierpass, com 21km num declive médio de 4.3%. Seguir-se-ão mais 17km em descida, e finalmente uma subida mais suave durante 10km até à meta.

Perfil da Etapa 6

Ao sétimo dia teremos o segundo contrarrelógio, que desta vez inclui uma escalada com o topo situado a meio do percurso para o dia. Serão 23.2km de esforço individual de Disentis a Sedrun, com a passagem pelo Oberalppass, uma subida de 13km a 6.9%, a anteceder uma descida de quase 10km até à meta.

Perfil da Etapa 7

Depois, no domingo, 13 de junho, a corrida terminará com a etapa rainha que tem um ganho de altitude total de 3.600m, ao longo dos 118km com partida e chegada em Andermatt. A etapa começará desde logo com uma subida ao Furkapass, uma categoria especial de 13km a 6.9%, com o seu topo situado a 2.436m de altitude. Após descerem até meio da encosta voltarão a uma nova subida, o Grimselpass que não será subido na totalidade, mas apenas a segunda metade, com 6km a 6.8% numa subida de segunda categoria. A descida será longa até ao km 62.1 onde está situado o sprint intermédio do dia, mas rapidamente iniciar-se-á a mais longa subida da corrida, o Sustenpass, com 27km a 5.9% e o seu topo situado ao km 90.2. Uma nova descida suceder-se-á, e o sprint intermédio ao km 108.8 marcará o início da subida final, uma primeira categoria com que irá terminar a corrida.

Perfil da Etapa 8

Pelotão

Até agora, os principais nomes previstos na prova são o três vezes vencedor e ex-campeão mundial, Rui Costa, e o seu colega de equipa uma das sensações do ano passado, que correrá assim em casa, o suíço Marc Hirschi, e ainda Jakob Fuglsang que fará na Suíça a sua preparação para o Tour de France, onde ambiciona conquistar etapas e ganhar forma para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock