Muita Montanha e cinco chegadas em alto definem a Volta a Portugal 2021! Conheça o percurso, as equipas e as novas camisolas!

Teve hoje, de forma única e digital, a apresentação da 82ª Volta a Portugal em Bicicleta, fazendo jus ao que tem sido o dia a dia que a pandemia nos colocou, com a digitalização dos serviços.

Para arrancar com a 82ª edição da Grandíssima, nada mais do que partir desde a Capital Europeia do Desporto 2021: Lisboa. Num prólogo plano com cerca de 5km teremos os primeiros segundos e diferenças entre os principais candidatos à conquista da prova rainha do Ciclismo Nacional.

Perfil do Prólogo

A primeira etapa em linha verá a inauguração do museu Joaquim Agostinho na sua terra Natal, Torres Vedras. Daí, passando por Vila Franca de Xira, em direção à Margem Sul, e com vista para o Oceano, através da Serra da Arrábida, que tantas diferenças tem feito nos últimos anos. A subida à Serra da Arrábida, uma segunda categoria instalada a 13,6km da meta irá certamente provocar ataques e quebrar o pelotão antes da discussão da vitória. A chegada será em Setúbal, com uma esperada chegada ao sprint entre os favoritos e alguns puncheurs, e poderá colocar alguns dos candidatos já com atrasos temporais significativos!

Perfil da primeira etapa

O Alentejo juntou-se à Volta sob a forma de acordo entre vários Municipios, e terá em Castelo Branco a sua primeira chegada ao sprint. O dia será longo e é esperado muito calor, que poderá fazer mossa no físico dos atletas.

Perfil da Segunda Etapa

A terceira etapa apresentará aos corredores a única contagem de categoria especial desta edição da Volta, com a já habitual chegada à Torre. Num percurso com altos e baixos, e partida desde a Sertã, passagem pela terra da Cereja, o Fundão, e chegada à Covilhã. A jornada terá ainda mais três contagens de montanha, com duas terceiras categorias e uma quarta, num dia que é menos duro do que nas edições anteriores.

Perfil da terceira etapa

A quarta etapa apresenta um percurso de média montanha, aparentando-se na sua fase final, a uma clássica das Ardenas, com subidas curtas mas bastante íngremes. O final será na Guarda, numa contagem de terceira categoria, mas antes disso o pelotão enfrentará uma segunda e uma terceira categoria na última hora da corrida, e ainda uma quarta categoria logo a abrir a jornada.

No dia de descanso terá lugar a Etapa da Volta, na Guarda, com um traçado semelhante à etapa corrida pelo pelotão no dia anterior.

Depois do descanso, a quinta etapa terá uma visita ao maior fabricante de bicicletas a nível europeu: Águeda. Para Joaquim Gomes, esta será a etapa mais urbana, sob a forma de agradecimento às zonas urbanas que mais investem na mobilidade através da bicicleta. A chegada será em Santo Tirso, numa mítica chegada à Senhora da Assunção, num prémio de montanha de segunda categoria. Será certamente mais um dia para os candidatos à geral se baterem.

Perfil da Quinta Etapa

No dia seguinte pedala-se entre Viana do Castelo e Fafe, ao longo de 182.4km, com um percurso pelos vários municípios do Alto Minho que fazem fronteira com o país vizinho, Espanha. Fafe verá no seu centro a chegada de mais uma etapa, mas antes, uma subida a Golães antecede o “sprint” final que será certamente durinho. O final será já na tradicional rampa em empedrado da Praça 25 de abril.

Perfil da sexta etapa.

A etapa mais longa da Volta irá ligar Felgueiras a Bragança, num dia com quase 200km, e que terá em quase todo o seu percurso a Estrada N206, passando assim por diversos municípios, com o sobe e desce tradicional das terras transmontanas. A chegada a Bragança poderá não ser ao sprint, como tem sido habitual, e a hipótese de uma fuga vingar é elevada, já que os três últimos dias de corrida serão decisivos.

Perfil da Sétima Etapa

Bragança será novamente cidade de Chegada e Partida. A etapa 8 irá precisamente arrancar da Capital de Trás os Montes, que irá culminar na subida final à Serra do Larouco, numa discussão prevista entre os grandes favoritos, mas que contará antes com duas subidas categorizadas que certamente farão a sua mossa no pelotão. Antes da última subida, de primeira categoria, os corredores ainda irão escalar a Bolideira, uma segunda categoria, e Torneiros, uma primeira categoria.

Perfil da Oitava Etapa

No penúltimo dia teremos a mítica chegada ao Monte Farinha, no Alto da Senhora da Graça, com os últimos 8km na tradicional subida para definir a última etapa em linha da Volta. Com 145.5km entre Boticas e Mondim de Basto, a etapa culminará na subida final, que será antecedida de quatro prémios de montanha, com o mais relevante a ser a primeira categoria do Barreiro. Foi aí que na Edição Especial da Volta a Portugal de 2020 se deu o ataque decisivo em que Amaro Antunes se isolou com Frederico Figueiredo, para assumir a camisola amarela de líder da corrida.

Perfil da Nona Etapa

Por fim, teremos o contrarrelógio decisivo em Viseu, a “Terra das Rotundas”. Com cerca de 20km, e um pelotão com 10 dias de competição nas pernas, a geral terá os seus últimos acertos neste dia.

Perfil da Décima Etapa

Equipas

A surpresa do ano vai para a presença da Movistar na Prova Rainha. É o regresso de uma equipa do escalão máximo a Portugal, anos depois da Lampre ter estado em Portugal. Não sabemos que corredores levará à competição, mas é sempre bom, ver ritmos diferentes e caras diferentes. A nível do escalão intermédio, para além das presenças habituais dos Espanhois da Caja Rural, Kern Pharma, Burgos e Euskatel, teremos a presença dos belgas da Bingoal, que têm pontuado muito na primeira metade da temporada, a Rally Cycling, que vem de uma Volta a Turquia fortissima e motivada. A segundo maior surpresa poderá ser a Vini Zabu, que depois de ter perdido o convite para o Giro 21 devido aos casos e suspeitas de doping, vem a Portugal procurar alguma dignidade e ritmo competitivo. A nível continental, para além das 9 equipas lusas, teremos a Israel Academy e os ingleses da Swift Carbon.


WorldTeam

  • Movistar Team (ESP)


ProTeam

  • Bingoal Pauwels Sauces WB (BEL)
  • Burgos – BH (ESP)
  • Caja Rural – Seguros RGA (ESP)
  • Equipo Kern Pharma (ESP)
  • Euskaltel – Euskadi (ESP)
  • Rally Cycling (EUA)
  • Vini Zabu (ITA)

Continental

  • Antarte – Feirense (POR)
  • Atum General – Tavira – Maria Nova Hotel (POR)
  • Efapel (POR)
  • Israel Cycling Academy (ISR)
  • Kelly – Simoldes – UDO (POR)
  • LA Alumínios – LA Sport (POR)
  • Louletano – Loulé Concelho (POR)
  • Rádio Popular – Boavista (POR)
  • Swift Carbon Pro Cycling (GBR)
  • Tavfer – Measindot – Mortágua (POR)
  • W52 – FC Porto (POR)

Classificações

A surpresa nas camisolas distintivas das classificações vai para novo patrocinador da Camisola da Montanha, que passa a ser o Continente, e copia o desenho da classificação da Montanha do Tour de France, com a camisola às bolinhas a passar a ser o símbolo do líder dos trepadores.

  1. Classificação Geral Individual por Tempos – Camisola amarela Santander
  2. Classificação Geral por Pontos – Camisola verde Rubis Gás
  3. Classificação Geral da Montanha – Camisola às bolinhas Continente
  4. Classificação Geral da Juventude – Camisola branca Jogos Santa Casa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock