Conheça as 15 equipas presentes na Volta a Portugal Edição Especial!

A Volta a Portugal Edição Especial – Jogos Santa Casa terá um pelotão composto por 15 equipas, sendo a grande novidade, a presença da Seleção Nacional composta por corredores sub-23. Uma iniciativa que nunca deveria ter deixado de existir, mas que o Ciclismo Mundial saúda com grande entusiasmo.

Espera-se um guerra enorme pela conquista da prova entre as 9 formações portuguesas, mas que podem ser intrometidas pelas experientes e francesas Arkéa – Samsic e Nippo Delko Provence (comandada pelo já tão conhecido José Azevedo). Do país vizinho, participarão os habituais Burgos-BH e Caja Rural-Seguros RGA, acabando por não se concretizar a presença da equipa de World Tour Movistar que era dada como certa, já que alguns corredores da equipa espanhola tinham mostrado interesse em fazer a preparação da Vuelta a competir em Portugal. Por ultimo, a Rally Cycling, que está já a estagiar em Portugal, vai ser a representante dos EUA no pelotão, e traz também uma equipa capaz de ambicionar a luta pela classificação geral.

Segundo a Federação, a redução de 20% do pelotão face a 2019, obrigou à recusa de pelo menos 6 equipas (2 Pro e 4 continentais). Cada equipa poderá participar com 7 corredores.

“Esta edição será menos festiva do que é costume mas será mais sentida e simbólica. Para o ciclismo é um momento de afirmação da vitalidade do pelotão português e uma oportunidade para garantir o direito ao trabalho de todos quantos fazem desta modalidade o seu modo de vida em Portugal. No contexto global e nacional, pretendemos que seja uma edição com um forte pendor social. A caravana da corrida vai levar animação e uma mensagem de esperança aos lugares mais recônditos do país, passando a mensagem de que, com responsabilidade, é possível retomar a alegria de viver, mesmo em tempo de pandemia. Deixa-nos muito felizes ter os Jogos Santa Casa como patrocinador principal de uma Volta com tão grande carga simbólica”.

Delmino Pereira, Federação Portuguesa de Ciclismo.

“A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, através da marca Jogos Santa Casa, é a instituição que mais apoia o deporto nacional. Ao apoiarmos esta edição especial da Volta a Portugal estamos, mais uma vez, a assumir este compromisso numa altura de grandes dificuldades e desafios decorrentes da atual situação de crise que se vive no mundo e que afetou todos os setores, incluindo o Desporto. É para nós um orgulho enorme dar o nome a esta edição solidária da Volta e sermos patrocinadores da Camisola Amarela, sabendo que este nosso apoio fará toda a diferença na vida destes atletas do ciclismo profissional. Hoje e mais do que nunca, o desporto continua a ter todo o nosso apoio!”

Edmundo Martinho, Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. 
Lista Provisória de Participantes

Esta é a lista provisória de participantes anunciada pela FPC, com o dorsal 1 entregue ao vencedor do ano passado, o português João Rodrigues da W52 – FC Porto, que estará presente para defender a conquista da 81ª Volta a Portugal nesta Edição Especial. Em seu auxílio terá Gustavo Veloso, Amaro Antunes, Ricardo e Daniel Mestre, Rui Vinhas e Samuel Caldeira, numa equipa que tem todas as condições para lutar pela classificação geral, e colocar mais dois ciclistas no top10 da prova.

A Burgos – BH traz-nos Ricardo Vilela e José Neves, uma dupla de portugueses de grande qualidade que ambiciona disputar a vitória final, assim como Angel Madrazo, ele que esteve até ao final em disputa da classificação da montanha da última Vuelta a España, e Diego Rubio, que já fez parte dos quadros da Efapel, nos anos de 2014 e 2015. A Caja Rural, por outro lado, apresenta-nos uma formação ofensiva, e parece que a aposta nas fugas poderá ser o seu principal objetivo. Cristian Rodriguez poderá ser a carta para lutar por uma presença no top10.

A formação da Nippo Delko Provence, comandada pelo português José Azevedo, traz Delio Fernandez como o seu líder, ele que já fechou no pódio uma Volta a Portugal, com o 3º lugar de 2014 como o super gregário de Gustavo Veloso nessa mesma edição. A equipa francesa traz também Mauro Finetto, um trepador italiano de qualidade, assim como Alessandro Fedeli, um ciclista bastante combativo e um ex-sprinter da Astana, Riccardo Minali.

A Rally Cycling é uma equipa que pode surpreender os mais distraídos com a presença de Gavin Mannion e Keegan Swirbul, dois ciclistas bastantes completos que em voltas por etapas costumam fazer sempre muito bons resultados. A Arkea – Samsic por outro lado traz uma equipa de roladores, focada no seu sprinter Daniel McLay, que pode aqui levar 2 ou 3 etapas de vencida. Atenção também ao contrarrelogista Thibault Guernalec, que tem capacidade para atacar a primeira camisola amarela da prova, já no prólogo de abertura em Fafe!

A equipa de Tavira chega motivada pela vitória de Frederico Figueiredo no Trofeu Joaquim Agostinho. Sem azares, o trepador português pode muito bem entrar na discussão da prova, e atacar o top3 da classificação geral, e fazer finalmente uma Volta ao nível das suas capacidades. Alejandro Marque será o único apoio nas montanhas, mas Cesar Martingil e Aleksander Grigorev poderão também ter as suas oportunidades nos finais rápidos.

Na Aviludo – Louletano, Vicente Garcia de Mateos volta a estar presente para lutar pela geral, depois de ter sido terceiro nos nacionais de Espanha, atrás de Luis Leon Sanchez e Gorka Izagirre. O espanhol chega super motivado e isso pode ser fundamental para tentar combater o domínio da W52 – FC Porto. Como principais apoios terá Oscar Hernandez, Jesus del Pino e Márcio Barbosa na montanha, enquanto João Matias e Sergei Shilov deverão ser cartas a jogar pela equipa em finais mais rápidos.

Na Efapel, Joni Brandão parte de novo com o estatuto de candidato à geral, e desta vez com uma equipa muito mais forte no seu auxílio. A Efapel “roubou” António Carvalho à W52, e ele irá trazer muita experiência ao conjunto dos amarelos. -Em conjunto com Cesar Fonte, Rafael Silva, Sérgio Paulinho e Tiago Machado compõem o conjunto de gregários com mais experiência desta Volta a Portugal, com Luís Mendonça a ser o homem para discutir os finais ao sprint e as etapas de média montanha que terminem com grupos pequenos a discutir a vitória.

O Feirense chega comandado por Rafael Reis e Oscar Pelegri, e irá procurar vencer desde logo a etapa inicial com o contrarrelogista português, para assegurar a primeira camisola amarela da prova. A última etapa encaixa também no perfil do português, e seria incrível abrir e fechar a Volta com chave de ouro. Pelegri é também um dos homens rápidos do pelotão nacional, e irá ser capaz de discutir as etapas rápidas da competição.

A Kelly Simoldes UDO apresenta uma equipa jovem no apoio a Henrique Casimiro e Luís Gomes, e podem sem dúvida estar na luta pela classificação geral, onde os trepadores portugueses poderão dar mostras da sua capacidade ofensiva. Pedro Miguel Lopes deverá estar na luta pela classificação da juventude, depois de ter ficado em 2º na última Volta a Portugal do Futuro, atrás de Emanuel Duarte, ele que será o líder da LA Alumínios, para tentar entrar na primeira vez no top10 da classificação geral, numa equipa que conta com muita juventude e com a experiência de Bruno Silva.

A Miranda – Mortágua vai uma vez mais tentar levar Joaquim Silva a um lugar no top10, numa equipa que mistura juventude e experiência, e que pode ver o ciclista português finalmente a entrar na luta pela geral.

A RP Boavista volta a trazer uma equipa de trepadores, no apoio a João Benta, com Luis Fernandes, Hugo Nunes, Gonçalo Carvalho (também ele candidato à juventude), Daniel Silva, David Rodrigues e Alberto Gallego, e pode muito bem levar a classificação por equipas, e vários lugares no top10 da classificação geral.

Por fim, a Seleção Portuguesa com uma equipa de juventude elevada e com capacidade para surpreender. André Carvalho será o líder, e um ciclista capaz de estar nas chegadas rápidas e de média montanha, numa seleção em que o objetivo será dar experiência aos futuros líderes do nosso país.

A prova terá transmissão diária pelas 15h na RTP1, e em breve lançaremos também o nosso passatempo para mais uma edição da Grandíssima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Dan Bigham vai tentar bater o Recorde da Hora, mas as regras não o permitem bater o recorde de Campenaerts!

Dan Bigham anunciou que irá assumir uma tentativa de bater o Recorde de Hora, ao tentar reclamar o título britânico actualmente detido por Sir Bradley Wiggins. O especialista em contrarrelógio e corredor da equipa Ribble-Weldtite Bigham tem vindo a trabalhar especificamente para o recorde mundial da hora, actualmente detido por Victor Campenaerts, e o recorde […]

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock