Amy Cure anuncia o adeus ao ciclismo!

A australiana teve uma carreira de classe mundial durante 12 anos e foi selecionada para competir nos Jogos Olímpicos de Tóquio, mas decidiu terminar o seu tempo mais cedo do que o esperado, após o adiamento do evento devido ao COVID-19.

“É uma das decisões mais difíceis que já tomei”, disse Cure num comunicado sobre a Cycling Australia. “Sinto o mesmo que sinto na linha de partida nos Jogos Olímpicos ou no Campeonato do Mundo. Estou incrivelmente nervosa, mas também empolgada com o desconhecido “.

Conhecida principalmente por suas prestações na pista, Cure venceu três campeonatos mundiais – Corrida por Pontos em 2014 e a Perseguição Coletiva em 2015 e 2019. Amy alcançou também duas medalhas de ouro nos Jogos da Commonwealth, três com a seleção Olímpica Australiana e dez títulos nacionais.

“Estou decidida há algum tempo e tenho a certeza de que fiz a escolha certa. Estou empolgada com o próximo capítulo da minha vida”

“Andar de bicicleta é e sempre será algo pelo qual serei eternamente grata. Ensinou-me muitas lições valiosas que me moldaram como a pessoa que sou hoje. Aprendi a ser disciplinada, perseverante e otimista, mas acho que uma das maiores lições que aprendi é como ser resiliente “

Amy Cure

Fora da pista, Cure também teve grandes sucessos na estrada. Competiu com as cores das equipas da Lotto Soudal Ladies, Wiggle High5 e Specialized Women’s Racing. Conquistou diversas vitórias como a Rabo Ster Zeeuwsche Eilanden, Trophee d’Or, e ainda a geral no Tour de Feminin- -O cenu Ceského Švýcarska.

“Estou satisfeita com as conquistas que alcancei ao longo da minha carreira, o tempo com a equipa australiana de ciclismo proporcionou-me tantas coisas incríveis na minha vida, e sou muito grata pelas oportunidades e experiências que tive e pelos amigos que fiz “, disse Cure. “Mas depois de fazer do ciclismo a minha prioridade na última década, relacionamentos com familiares e amigos são a minha prioridade agora.”

Cure disse que está confiante de que a equipa australiana terá sucesso nos Jogos Olímpicos de Tóquio, que foram remarcados para o período entre 23 de julho a 8 de agosto de 2021.

“Eu realmente acredito que temos corredoras para dar à Austrália todas as oportunidades de sucesso em Tóquio, pois têm uma equipa de grande profundidade, talento e capacidade de treino. Foi uma decisão difícil, pois sei que Glenn O’Shea será um treinador excepcional e isso dificultou a minha decisão”, disse Cure.

“Prefiro permitir que outra pessoa que tenha a força, a energia, a motivação e o potencial seja ótima. Acredito que a equipa se sairá tão bem, senão melhor, sem mim lá.”

Amy Cure

Cure agradeceu ao treinador e mentor Matthew Gilmore junto com a família Trengove, com quem viveu durante a sua carreira. Ela também agradeceu aos seus colegas de equipa, à Cycling Australia e ao Tasmanian Institute of Sport.

Vídeo de Despedida de Amy Cure

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Dan Bigham vai tentar bater o Recorde da Hora, mas as regras não o permitem bater o recorde de Campenaerts!

Dan Bigham anunciou que irá assumir uma tentativa de bater o Recorde de Hora, ao tentar reclamar o título britânico actualmente detido por Sir Bradley Wiggins. O especialista em contrarrelógio e corredor da equipa Ribble-Weldtite Bigham tem vindo a trabalhar especificamente para o recorde mundial da hora, actualmente detido por Victor Campenaerts, e o recorde […]

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock