Apenas 1 alteração de corredores completa a equipa da Tavfer – Mortágua – Ovos Matinados para 2023!

Após uma temporada inesquecível para o Mortágua, os pupilos da equipa criada pelo saudoso Pedro Silva vão certamente motivados para a próxima época. Venceram 7 vezes, entre as quais 2 etapas da Volta a Portugal, lutaram pela classificação por pontos da Grandíssima e ainda venceram a classificação da montanha da Volta ao Algarve. A formação comandada por Gustavo Veloso, a Tavfer – Mortágua – Ovos Matinados vai para mais uma temporada, onde sofre apenas uma alteração na sua estrutura.

Na equipa ficam Gonçalo Amado, António Barbio, Gonçalo Carvalho, Rui Carvalho, Leangel Linarez, João Matias, Francisco Morais, Nicolas Saenz, Angel Sanchez e Bruno Silva. Saiu apenas Pedro Pinto e entrou Rafael Barbas. Vamos analisar o plantel.

Gonçalo Amado vai para a sua 2ª temporada com a equipa. É um ciclista completo, e evidencia ter uma boa ponta final. Mesmo não vencendo, terminou 6 vezes no top10. Destaca-se o 4º lugar na geral do GP Abimota e o 4º lugar no GP Anicolor.

O ano passado foi o regresso de António Barbio ao ciclismo profissional, depois de 2 anos sem correr. O português de 28 anos vai assim para o seu terceiro ano na equipa, depois de já ter passado nesta casa em 2018. É um corredor também ele completo e foi muito importante na concretização das 2 vitórias de João Matias na Volta a Portugal, sendo o seu lançador principal. Terminou 7 vezes no top10. Durante o ano destacam-se o 2º lugar no GP Anicolor, o 4º posto na etapa 6 da Volta e o 11º lugar na geral do GP Joaquim Agostinho.

Gonçalo Carvalho também segue para o seu 2º ano na equipa. Tem 24 anos e é um bom trepador. Terminou 6 vezes no top10, com destaque para o 10º lugar na Clássica de Viana de Castelo, o 4º posto à geral na Clássica Ribeiro da Silva e no GP Mortágua, o seu 13º lugar na 3ª etapa da Grandíssima, na chegada ao Alto da Torre, e o seu 21º lugar à geral da mesma.

Também Rui Carvalho vai para o seu 2º ano na formação de Mortágua. Tem 27 anos e é um trepador. Na passada temporada, não obteve resultados de referência, submetendo-se na maior parte das vezes a trabalhar para a equipa.

O venezuelano Leangel Linarez vai para a 4ª época com a equipa. Tem 25 anos e é um sprinter. Abriu a temporada a vencer e fez provas relativamente boas, mas a meio da época acabou por partir a clavícula, impossibilitando a sua participação na Grandíssima, que era o seu objetivo. Mesmo assim, venceu por 2 vezes, na Prova de Abertura e na 3ª etapa da Volta ao Alentejo, acabando por 6 vezes nos 10 primeiros. Destaque para o seu 10º lugar na 3ª etapa da Volta ao Algarve, numa chegada com os melhores sprinteres do mundo, o 8º posto na Clássica da Primavera e o 3º lugar na prova de fundo dos Juegos Suramericanos.

Depois de uma época fenomenal, João Matias renova com a equipa. O sprinter de 31 anos venceu 3 vezes, 2 delas na Volta a Portugal, lutou pela classificação por pontos da mesma, venceu o Circuito da Malveira e também venceu a classificação da montanha da Volta ao Algarve. Ainda terminou 11 vezes no top10 durante o ano. Destaca-se o 5º lugar nos Campeonatos Nacionais de fundo, as 3 vezes que acabou nos 10 primeiros em etapas da Grandíssima, mais as 2 que venceu. Em pista destacou-se o 9º lugar no Scratch na Taça do Mundo no Canadá e o 6º lugar nos Campeonatos do Mundo de Eliminação.

Um dos mais jovens desta formação é Francisco Morais. Tem 24 anos mas fica numa casa que já conhece há 2 anos, seguindo para o 3º. É um homem de terrenos mais acidentados. Teve melhor na 2ª parte da época, onde terminou em 4º na 3ª etapa do GP Jornal de Notícias, fez 10º no Circuito de Nafarros. Ainda conquistou 2 camisolas dos sprints intermédios, uma no GP Abimota e a outra no GP Jornal de Notícias.

Nicolas Saenz também vai para o seu 2º ano na equipa. O trepador colombiano de 25 anos também não mostrou resultados muito reveladores, também se tendo dedicado mais a trabalhar para a equipa.

Angel Sanchez apresentou-se em melhor forma na 2ª metade da época. Com 29 anos e sendo um homem muito completo, o espanhol já vai para a 4ª temporada com a equipa. Venceu apenas por 1 ocasião, no GP de Mortágua. Nas etapas que foram decisivas para a geral da Volta a Portugal, o espanhol demonstrou-se sempre muito regular, terminando sempre dentro do top20, acabando a Volta na 13ª posição. Ainda se destaca o 4º lugar na 6ª etapa do GP Jornal de Notícias, onde esteve na fuga.

Ruma à sua 14ª temporada como profissional, e para o seu 2º ano com a equipa, o português Bruno Silva. Tem 34 anos, e é um trepador. Muito esperavam mais da prestação de Bruno Silva na Volta a Portugal, tendo em conta os resultados que a antecederam. Mesmo assim, fez uma boa época, onde venceu por 1 vez, na etapa inaugural do GP do Douro Internacional e acabou 15 vezes no top10. Destaca-se o 8º lugar na geral da Clássica Ribeiro da Silva, a vitória na classificação por pontos do GP do Douro Internacional e o 5º posto à geral da mesma prova, o 3º lugar no GP Mortágua e o 6º lugar na geral do GP Jornal de Notícias.

Ver a imagem de origem
Rafael Barbas ruma ao seu 1º ano de Sub-23 a pedalar na equipa do Mortágua!

Falemos agora do reforço da formação comandada por Gustavo Veloso e também ele o mais jovem desta formação. Chama-se Rafael Barbas, tem 18 anos e vem da equipa da Landeiro – KTM – Matias&Araújo – Frulact. Este vai ser o seu 1º ano no pelotão profissional, sendo o seu 1º ano de Sub23. Revela ser bom nos terrenos acidentados. Não venceu, mas acabou 7 vezes no top10 e destaca-se o 6º lugar na II Judex Trujillanos, o 5º lugar na 1ª e na 4ª prova para a Taça de Portugal, o 13º lugar na Volta ao Concelho de Loulé, o 15º lugar na prova de fundo dos Campeonatos Nacionais, o 10º lugar na 5ª etapa da Volta a Portugal de Juniores e o 12º posto na geral da mesma.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock