Melhores do Ano #9 – Um gregário de luxo!

Se já ontem dissemos, e bem, que nenhuma equipa vence provas sem um forte coletivo, também há aqueles ciclistas que todos querem ter nos seus blocos e que são capazes de fazer a diferença e de partir um pelotão. Para gregários do ano os nossos 4 nomeados são Nelson Oliveira, Sepp Kuss, Jacopo Guarnieri, e Rohan Dennis, todos eles ciclistas preponderantes nas manobras das suas equipas para obterem os resultados que obtiveram em 2020!

Comecemos as apresentações pelo ciclista português da Movistar, Nelson Oliveira, ele que teve mais uma fabulosa temporada ao serviço da equipa espanhola, e esteve por diversas vezes em destaque na frente do pelotão. A temporada até começou com um Nelson a ser o líder da equipa na Vuelta a San Juan, que fechou em 6º, e depois o português entrou ao auxílio de Marc Soler na Vuelta a Andalucia, e de Alejandro Valverde na Vuelta a Murcia.

Após o período de confinamento, o português esteve no Criterium du Dauphine, que não terminou, e embalou para mais um super Tour de France, onde por muitas vezes esteve na frente do pelotão e até em fugas, ajudando a que Enric Mas pudesse fechar no top5 da classificação geral. Seguiram-se os Mundiais com a Seleção Portuguesa, e depois a La Vuelta, onde uma vez mais Nelson se voltou a superar, a dar a cara pela equipa quer a subir, quer a descer, quer em fase plana, a atacar e a integrar-se nas fugas do dia, e quando teve oportunidade, foi por muito pouco que a vitória lhe escapou, ao ser terceiro no contrarrelógio da etapa 13, a apenas 10s do vencedor Primoz Roglic.

Na Jumbo – Visma, o destaque vai para Sepp Kuss, ele que na alta montanha foi sempre o protetor de Primoz Roglic, que muito lhe deve, por exemplo, a sua vitória na La Vuelta. O estadunidense pouco competiu antes do confinamento, e na Vuelta a Burgos esteve no auxílio a George Bennett, que viria a ser quinto. O seu momento de destaque começou mesmo a aparecer no Dauphiné, onde entregou uma vitória de etapa de mão beijada a Primoz Roglic, e onde venceu a etapa final, após a desistência do esloveno devido a queda.

No Tour de France a história repetiu-se, e na quarta etapa Kuss voltou a deixar Roglic na posição ideal para lançar o seu ataque final e vencer de novo. Nas restantes etapas de montanha Kuss voltou a estar quase sempre bem e era ele que muitas vezes levava o comboio dos favoritos à discussão da etapa, sempre num papel de proteção a Roglic. Na La Vuelta, a mesma história, Kuss na proteção a Roglic, e a conseguir até salvar o esloveno de perder muito tempo para os adversários na subida ao Angliru.

Jacopo Guarnieri tem sido o fiel escudeiro de Arnaud Demare, e este ano uma vez mais um dos grandes responsáveis pelas 14 vitórias do ciclista francês! Guarnieri acompanhou Demare ao longo de quase toda a temporada, e fez parte de 13 das 14 vitórias do francês, mostrando-se ser um elemento indispensável no lançamento do sprint no comboio da Groupama – FDJ!

Rohan Dennis, por outro lado, teve uma temporada em que foi muitas vezes segundo e terceiro, mas no Giro d’Itália apareceu quando a INEOS mais dele precisava, ajudando, e de que maneira, Tao Geoghegan Hart a superar o conjunto da Sunweb nas decisivas etapas de montanha na última semana de competição, e mostrando também uma capacidade nunca antes vista no ciclista australiano de ultrapassar as dificuldades de alta montanha.

Uma vez mais chega a tua vez de decidir! Quem foi o gregário do ano 2020?

O período de votação terminou!

Gregário do Ano
113 votos

Vota também na equipa feminina do ano no link abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock