Melhores do Ano #6 – As velocidades furiosas!

Duas concorrentes habituais às vitórias em competições rápidas, já conhecidas contra outras duas novinhas, prontas a assaltar as vitórias às conhecidas. Em 2020, mesmo com pandemia, ambas andaram sempre na luta pela vitória e por diversas vezes conseguiram ser as mais rápidas a alta velocidade. Para Melhor do Ano os nomeados pela equipa Ciclismo Mundial foram Lorena Wiebes, Elisa Balsano, Chloe Hosking e claro, a senhora, Marianne Vos.

Comecemos pela veterana, Marianne Vos, vencedora de tanta coisa que o histórico seria do tamanho de um jornal completo. Aos 33 a holandesa da CCC-Liv continua com a mesma força que tinha em 2004 quando deu inicio neste mundo do ciclismo. Em 2020 participou numa mão cheia de provas, onde só na estranha Brabantse Pijl não disputou a vitória (DNS). Conquistou 3 etapas no Giro Rosa e dominou por completo a prova italiana no que tocou a sprints, vencendo assim a classificação por pontos.

Só não brilhou também na La Course by Le Tour porque havia uma Elizabeth Deignan fortíssima que lhe tirou a vitória por milímetros. Só na primeira prova do ano pós-confinamento, na Durango Durango, é que fez um resultado fora do Top 10, mas também não era uma prova fácil. Foi 4ª classificada nos Nacionais e nos Mundiais de Imola e ainda 8ª no europeu. Repetiu a quarta posição também na Liege-Bastogne-Liege. Terminou a famosa Strade Bianche na 6ª posição, os Europeus na 8ª e a Fleche Wallonne na 9ª.

Chloe Hosking, australiana de 30 anos teve sorte de correr em casa, logo em janeiro, antes dos lockdown mundiais provocados pela COVID-19. E logo aí brilhou com uma vitória na Santos Women’s Tour Down Under, onde venceu uma etapa e fechou a classifcação geral na 5ª posição e o pódio por pontos. Até março a unica posição fora do Top 10, foi numa etapa do Tour Down Under. Em agosto falhou durante a La Course, mas vingou-se com dois 3º lugares e uma vitória na Tour Cycliste Feminin. E até ao fim da época, foi em França onde continuou a brilhar vencendo o GP d’Isbergues.

Chegamos agora às mais novas candidatas e as futuras melhores do mundo. Começamos com Elisa Balsamo que foi campeã europeia de sub-23 em agosto. Salientar a quarta posição na Classica de Navarra e a oitava posição na La Course. Em provas ao estilo da italiana foram quase sempre finalizadas dentro das 20 primeiras, provando que com 22 anos está pronta para vencer. Fechou a Vuelta feminina na 4ª posição depois de uma vitória em Madrid e a 2ª posição na etapa 1.

Por ultimo, a campeã holandesa de 2019, Lorena Wiebes. A vitória sorriu por quatro vezes à corredora de 21 anos que foi super constante ao longo da época. Começou a vencer a Omloop van het Hageland, batendo a veterana Marta Bastianelli. Venceu também mais duas clássicas belgas, Grote Prijs Euromat e Brugge-De Panne onde se debateu contra as melhores. Tal como a Balsamo, terminou a epoca em Espanha, na La Vuelta com uma vitória e um 2º lugar, conquistando a 3ª posição da geral, 2ª por pontos e 1ª da juventude.

Com os dados lançados, a decisão volta a caber-te a ti! Quem foi a Sprinter do Ano em 2020?

O período de votação terminou!

Sprinter do Ano
23 votos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock