Melhores do Ano #5 – Os ases do sprint!

Não ganham gerais importantes, mas também vencem muito ao longo do ano, e são ciclistas que se destacam em quase todas as corridas: os Sprinters! Vários finais intensos e disputados marcaram o ano de 2020, que teve um punhado de ciclistas que se destacaram dos demais na arte de bem finalizar. Para Melhor do Ano os nomeados pela equipa Ciclismo Mundial foram Sam Bennett, Arnaud Demare, Caleb Ewan e… Wout van Aert!

O irlandês Sam Bennett estreou-se em 2020 pela Deceuninck – QuickStep, e acabou por ter um ano recheado de sucessos! Desde logo começou por ser o primeiro vencedor numa prova World Tour no ano, com o triunfo na primeira etapa do Tour Down Under, e poucos dias depois na Race Torquay. Na Austrália e nos EAU Bennett terminou por 6x nos primeiros 4 do dia, e depois do confinamento voltou a aparecer em grande com uma majestosa vitória na quarta etapa da Vuelta a Burgos, e ainda um terceiro lugar na segunda etapa.

No Tour de Wallonie, Bennett picou de novo o ponto na terceira etapa, tendo sido também segundo na primeira delas, antes de ter literalmente partido tudo no Tour de France! O irlandês venceu duas etapas, foi segundo também por duas vezes, uma vez terceiro, e outra quarto, mas mais que isso, tornou-se o primeiro ciclista desde 2012 a bater Peter Sagan na luta pela camisola verde! Depois disso, ainda foi à Vuelta vencer a quarta etapa, para terminar a temporada com 7 vitórias e a camisola verde do Tour de France!

Arnaud Demare teve em 2020 o seu ano mais conseguido de sempre! O francês terminou a temporada com 14 vitórias, e muitas delas ao mais alto nível! Antes do período de confinamento Demare tinha apenas um terceiro lugar no segundo dia do UAE Tour, mas depois do mesmo o francês limpou quase tudo o que teve pela frente! Em Burgos foi duas vezes segundo, e logo de seguida venceu a Milano – Torino num pelotão com Ewan, Sagan, van Aert, Bennett ou Gaviria. De Itália para Wallonie na Bélgica seguiram-se mais duas vitórias, um sétimo e um segundo lugar em 4 etapas, assim como a classificação geral e dos pontos.

Poucos dias depois Demare viria a sagrar-se campeão nacional de França, e vice-campeão europeu, perdendo apenas para Giacomo Nizzolo. Demare limpou também completamente o Tour Poitou-Charentes, com três vitórias de etapa, a classificação geral e dos pontos, venceu também uma etapa na Volta ao Luxemburgo, e seguiu para um Giro d’Itália em que esteve simplesmente dois ou três níveis acima da concorrência. Venceu quatro etapas, a classificação por pontos, e assim terminou a melhor temporada da carreira!

Para Caleb Ewan foi mais um ano de grandes vitórias, começando logo por duas etapas na volta caseira, o Tour Down Under, e um sétimo lugar na Cadel Road Race. Seguiu-se o UAE Tour onde ganhou uma etapa e foi quinto noutra, vencendo também a classificação por pontos. No regresso do confinamento, foi segundo na Milano – Torino, venceu a primeira etapa do Tour de Wallonie, e foi segundo logo na tirada seguinte, perdendo a classificação por pontos para Demare.

Entrado no Tour de France, Ewan venceu por duas vezes, uma delas em grande nível, taco a taco com Bennett, van Aert e Sagan, foi segundo numa outra, e concluiu duas mais no top10. A época do australiano terminou com a vitória na Scheldeprijs, antes de abandonar a Driedaagse de Panne e assim encerrar a temporada.

Falando de Wout van Aert, as palavras começam a ser poucas. O belga esteve forte em todos os terrenos em 2020, e venceu em praticamente todos eles! A grande marca do belga começou logo após o confinamento, e depois de vencer a Strade Bianche foi terceiro ao sprint na Milano – Torino, perdendo para Demare e Ewan, venceu o Monumento dos Sprinters, a Milano Sanremo, e também a primeira etapa e a classificação por pontos do Criterium du Dauphine.

Chegado ao Tour de France após se sagrar campeão nacional de contrarrelógio, van Aert venceu duas etapas ao sprint, foi duas vezes terceiro, uma vez quarto, e ainda sexto uma outra, estando também inúmeros dias no auxílio de Primoz Roglic na montanha. A época do belga terminou noutros terrenos sagrando-se por duas vezes vice-campeão mundial, e com a segunda posição no Tour de Flandres.

Com os dados lançados, a decisão volta a caber-te a ti! Quem foi o Sprinter do Ano em 2020?

O período de votação terminou!

Sprinter do Ano
46 votos

Podes votar também na prova feminina do ano no link abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Releated

Please turn AdBlock off  | Por favor desative o AdBlock